Pneumologia/Pulmão - Câncer de pulmão
Esta página já teve 115.784.220 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.700 acessos diários
home | entre em contato
 

Pneumologia/Pulmão

Câncer de pulmão

29/02/2004

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE CÂNCER DE PULMÃO


Traduzido e adaptado do livreto do Instituto Nacional de Câncer Norte-americano


A pesquisa do câncer tem levado a progressos contra o câncer de pulmão e nosso conhecimento está aumentando. Os pesquisadores continuam a procurar melhores maneiras de prevenir, detectar, diagnosticar e tratar o câncer de pulmão. 

Todos os tipos de câncer se desenvolvem em nossas células, as unidades básicas da vida. Para entender o câncer, precisamos saber como as células normais tornam-se cancerosas. O corpo é feito por muitos tipos de células. Normalmente, as células crescem, se dividem e morrem para manter o corpo saudável e funcionando adequadamente. Algumas vezes, entretanto, novas células não necessárias surgem e crescem. A massa de células extras, forma um grupo benigno ou maligno.

Tumores benignos não são cânceres. Eles freqüentemente podem ser removidos e, na maioria dos casos não se espalham para outras partes do corpo. Mais importante, os tumores benignos não encurtam a vida.

Tumores malignos são cânceres. As células nos tumores malignos são anormais e dividem-se mais ou menos rapidamente. Estas células cancerosas podem invadir e destruir os tecidos em torno. As células cancerosas podem entrar na corrente sanguínea ou nos sistema linfático (os tecidos e canais que carregam as células brancas que lutam contra infecção e outras doenças). Isto resulta na disseminação do tumor do local original (primário) para formar novos tumores em vários órgãos (metástases).

Os pulmões
Os pulmões, um par de órgãos em forma de cone, do tipo esponjoso, são partes do sistema respiratório. O pulmão direito se divide em três partes chamada lobos; ele é um pouco maior que o pulmão esquerdo, que tem dois lobos. A função do pulmão é captar o oxigênio que é necessário para a vida de nossas células e eliminar o gás carbônico que é um produto final do metabolismo. 

Entendendo o câncer de pulmão
Os cânceres que começam nos pulmões são divididos em dois tipos maiores, o câncer de pulmão não de pequenas células e o câncer de pulmão de pequenas células, dependendo de como as células se parecem sob o microscópio. Cada tipo de câncer de pulmão cresce e se espalha de maneiras diferentes, e são tratados diferentemente. 

O câncer de pulmão de não pequenas células é mais comum do que o câncer de pulmão de pequenas células, e ele geralmente cresce e se espalha mais lentamente. Existem três tipos principais de câncer pulmonar não de pequenas células. Eles são chamados pelo tipo de células na qual o câncer se desenvolve: carcinoma de células escamosas (também chamado de carcinoma epidermóide), adenocarcinoma, e carcinoma de grandes células. 

Carcinoma pulmonar de pequenas células, às vezes chamado de carcinoma de células de aveia, é menos comum que o carcinoma de pulmão de não pequenas células. Este tipo de câncer de pulmão cresce mais rapidamente e se espalha mais facilmente para outros órgãos do corpo.

Câncer de pulmão: quem corre riscos? 
Os pesquisadores descobriram várias causas do câncer de pulmão – a maioria está relacionada ao uso do tabaco. 

Cigarros – fumar cigarros causa câncer de pulmão. A probabilidade que o fumante irá desenvolver câncer depende da idade na qual começou a fumar, quanto tempo a pessoa tem fumado, o número de cigarros fumados por dia e quão profundamente o fumante inala. Parar de fumar reduz grandemente o risco de uma pessoa desenvolver câncer de pulmão. 

A chance de desenvolver câncer de pulmão é aumentada pela exposição à fumaça do tabaco no ambiente, o que é chamado de fumo passivo. 

  • Asbesto
    é o nome de um grupo de minerais que ocorrem naturalmente como fibras e são usadas em certas indústrias. As fibras ficam em suspensão no ar e podem ser inaladas aumentando o risco de câncer de pulmão em três a quatro vezes nos trabalhadores expostos. O risco de câncer de pulmão aumenta ainda mais nos trabalhadores que fumam. 

  • Poluição
     mais pesquisas são necessárias para definir a relação entre a poluição e o câncer de pulmão. 

  • Radônio
    é um gás invisível sem cheiro, e sem gosto que ocorre naturalmente no solo e rochas. Pessoas que trabalham em minas podem estar expostas. As vezes o radônio é encontrado em residências. 

  • Doenças pulmonares
    certas doenças pulmonares, tais como tuberculose, aumentam a chance das pessoas desenvolverem câncer de pulmão. O câncer de pulmão tende a surgir em áreas de cicatrizes da tuberculose. 

  • História pessoal
    uma pessoa que teve um câncer de pulmão uma vez tem maior chance de desenvolver um segundo câncer de pulmão em comparação a uma pessoa que nunca teve câncer de pulmão. 

Parar de fumar após o diagnóstico de câncer de pulmão pode prevenir o desenvolvimento de um segundo câncer. 
A melhor maneira de prevenir o câncer de pulmão é parar ou nunca começar a fumar. Nunca é tarde para parar de fumar.

Reconhecendo os sintomas
Sinais e sintomas comuns de câncer de pulmão incluem: 

  • Uma tosse que não vai embora ou piora com o tempo
  • Dor torácica constante
  • Escarro com sangue
  • Falta de ar, chiado, ou rouquidão
  • Pneumonias ou bronquites de repetição
  • Inchado no pescoço e na face
  • Perda de apetite ou perda de peso 
  • Fadiga

Estes sintomas podem ser causados por câncer de pulmão ou por outras condições. É importante consultar um médico pneumologista. 

Diagnosticando câncer de pulmão
Para encontrar a causa do sintoma o médico avalia a história médica da pessoa, história de tabagismo, exposição a substancias ambientais e ocupacionais, e história familiar de câncer. O médico também realiza um exame físico e pode pedir uma radiografia de tórax e outros testes. Se câncer de pulmão é suspeitado, a citologia de escarro (o exame microscópico das células obtidas numa amostra de escarro) é um teste simples que pode ser útil para detectar o câncer de pulmão. Para confirmar a presença de câncer de pulmão, o médico deve examinar tecido do pulmão. Uma biópsia – a remoção de um pequeno pedaço de tecido para exame sob um microscópio por um patologista – pode mostrar se uma pessoa tem câncer. Para obter este tecido, alguns exames podem ser feitos:

  • Broncoscopia – o médico coloca um aparelho (broncoscópio) através do nariz ou da boca para examinar os brônquios. Através deste tubo, o médico pode coletar células ou pequenas amostras de tecido.

  • Aspiração por agulha – uma agulha é inserida através da parede do tórax até o tumor para remover uma amostra de tecido. 

  • Toracocentese – usando uma agulha, o médico remove uma amostra de líquido que envolve os pulmões para ver se encontra células cancerosas. 

  • Toracotomia – uma cirurgia para abrir o tórax é algumas vezes necessária para diagnosticar o câncer de pulmão. Este procedimento é uma cirurgia grande realizada em hospitais.

Estadiando a doença
Se o diagnóstico é câncer o médico precisa estabelecer o estágio (ou extensão) da doença. O estadiamento é feito para saber se o câncer se espalhou, e se isto aconteceu para que parte do corpo. O câncer de pulmão freqüentemente se espalha para o cérebro, ossos e fígado. O conhecimento do estágio da doença ajuda o médico a planejar o tratamento. Alguns testes usados para ver se o câncer se espalhou:

  •  Tomografia computadorizada do tórax, cabeça e abdome.
  • Ressonância nuclear magnética (usada apenas em alguns casos).
  • Mapeamento com radioisótopos.
  • Mapeamento ósseo.
  • Mediastinoscopia (o mediastino é o espaço entre os pulmões e é para onde o câncer geralmente se espalha em primeiro lugar)

Tratamento do câncer de pulmão
O tratamento depende de vários fatores, incluindo tipo de câncer de pulmão, o tamanho, localização e extensão do tumor, e a saúde geral do paciente. Muitos tratamentos diferentes e combinações de tratamento podem ser usados para controlar o câncer de pulmão e/ou melhorar a qualidade de vida reduzindo os sintomas. 

Cirurgia – é uma operação para remover o câncer. O tipo de cirurgia depende da localização do tumor no pulmão. A cirurgia mais comum para câncer de pulmão é a lobectomia que consiste na retirada de um dos lobos de um pulmão. Às vezes é necessária uma pneumonectomia que é a retirada de um pulmão inteiro. Alguns tumores são inoperáveis (não podem ser removidos pela cirurgia) devido ao tamanho ou localização, e alguns pacientes não podem ser operados por outras razões médicas. 

Quimioterapia – é o uso de medicamentos contra o câncer para matar as células cancerosas pelo corpo. Mesmo depois que um câncer foi removido do pulmão, as células cancerosas podem ainda estar presentes em outros lugares. Quimioterapia pode ser usada para controlar o crescimento do câncer ou para aliviar os sintomas. A maioria dos medicamentos contra o câncer são dados por injeção diretamente na veia (IV) ou por meio de um cateter, um tubo fino que é colocado numa veia grande e permanece lá o tempo que for necessário. Alguns medicamentos contra o câncer são dados sob a forma de comprimidos. 

Radioterapia – envolve o uso de raios de alta energia para matar as células cancerosas. A radioterapia é dirigida por uma área limitada e afeta células cancerosas apenas naquela área. A radioterapia pode ser usada antes da cirurgia para encolher um tumor, ou depois da cirurgia para destruir quaisquer células cancerosas que permanecem na área tratada. Os médicos também usam a radioterapia, freqüentemente combinada com a quimioterapia, como tratamento primário ao invés da cirurgia. A radioterapia pode também ser usada para aliviar sintomas tais como a falta de ar. 

Efeitos colaterais do tratamento – os efeitos colaterais do tratamento de câncer dependem do tipo de tratamento e podem ser diferentes para cada pessoa. Os efeitos colaterais são freqüentemente temporários. Os médicos devem explicar os possíveis efeitos colaterais do tratamento e eles podem sugerir maneiras para ajudar a aliviar os sintomas que podem ocorrer durante e depois do tratamento. 

A cirurgia para o câncer de pulmão é uma operação grande. Os pacientes necessitam de fisioterapia pós-operatória para recuperar a capacidade pulmonar. Dor ou fraqueza no tórax e no braço e falta de ar são efeitos comuns da cirurgia do câncer de pulmão. Os pacientes podem precisar várias semanas ou meses para recuperar sua energia e força. 

A quimioterapia afeta as células cancerosas e normais. Os efeitos colaterais dependem do tipo de droga e da dose. Os efeitos colaterais comuns incluem náuseas, vômitos, perda de cabelo, úlceras na boca, e fadiga. 

A radioterapia, como a quimioterapia, afeta tanto as células normais como as cancerosas. Os efeitos colaterais dependem de parte do corpo que está sendo tratada e da dose do tratamento. Efeitos colaterais comuns são garganta dolorosa e seca; dificuldade de engolir, fadiga; mudanças na pele no local do tratamento; e perda do apetite. 

Importância do acompanhamento médico
O acompanhamento após o tratamento do câncer de pulmão é muito importante. Exames regulares permitem detectar alterações no estado de saúde e verificar se o câncer voltou ou um novo câncer surgiu de modo que possa ser tratado logo que possível. Checkups podem incluir radiografias, ou testes laboratoriais. Entre as consultas marcadas, as pessoas que tiveram câncer de pulmão devem relatar quaisquer problemas de saúde para o seu médico logo que eles apareçam. 

Discuta com o seu médico a necessidade de suporte emocional. Não há nada que comprove que tratamentos alternativos mudem a evolução dos pacientes com câncer de pulmão.

www.sbpt.org.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~