-
Esta página já teve 133.104.762 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.663 acessos diários
home | entre em contato
 

Tóxicos/Intoxicações

Bebidas apresentam corantes artificiais em excesso e até substância proibida

01/03/2004



Uma avaliação das bebidas comercializadas em supermercados do Rio de Janeiro realizada pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) detectou a presença do corante amaranto acima dos limites permitidos por lei e encontrou também produtos contendo tartrazina, uma substância não regulamentada no país pela suspeita de causar reações alérgicas. Foram analisadas 43 amostras de bebidas não gasosas e não alcoólicas como isotônicos, sucos industrializados, preparados em pó para refresco, guaraná natural e xarope de groselha, recolhidos e encaminhados para análise pela Vigilância Sanitária do município. Os estudos detectaram na groselha o caso mais crítico em relação à presença de corantes artificiais.

"Alguns produtos em forma concentrada foram considerados insatisfatórios antes mesmo das análises porque não apresentavam no rótulo instruções sobre a dissolução em água, conforme previsto em lei", explica a química Shirley Abrantes, que coordenou as análises feitas pela farmacêutica Bárbara Liz Alves. "Não encontramos problemas nas amostras de guaraná natural, por exemplo, que de fato só continham corantes naturais", avalia a pesquisadora. "No entanto, metade das amostras de groselha apresentou o corante amaranto com teor acima ou próximo do permitido pela legislação vigente". O amaranto produz o efeito de coloração púrpura e é reconhecido como causador de tumores em animais de laboratório. Por medida de segurança, seu uso em alimentos é proibido nos Estados Unidos.

Já o corante tartrazina foi encontrado em 28% das amostras de groselha analisadas. Ainda não existem estudos conclusivos sobre a substância suspeita de causar reações alérgicas, como asmas e urticárias, e por isso seu uso em alimentos é controlado pela legislação brasileira. Além disso, a tartrazina inibe a síntese de tromboxano, um composto que está ligado à liberação de plaquetas e interfere no mecanismo de coagulação sangüínea. Estudos realizados com crianças hiperativas também indicam que o consumo de alimentos contendo tartrazina aumenta a hiperatividade e a violência entre elas. Apesar dos aspectos negativos da substância sobre a saúde, pesquisas recentes apontam para a possível ação antitumoral da tartrazina e de outros corantes, como a eritrosina, de coloração vermelha, e o azul de indigotina, que é azul como o nome indica.

Os fabricantes dos produtos que não estavam em conformidade com a legislação foram notificados pela vigilância sanitária. A pesquisadora lembra que os valores sobre a presença de corantes artificiais nas bebidas analisadas foram obtidos para os produtos diluídos segundo as indicações impressas no rótulo, o que muitas vezes não é seguido pelos consumidores. "Muitas crianças usam o xarope de groselha na forma concentrada como cobertura de sorvetes, o que representa uma ingestão pelo menos sete vezes maior de corantes em relação à bebida diluída de forma adequada", avalia Shirley. "Vale lembrar que seguindo a diluição correta e dentro das boas práticas de fabricação, ou seja, dentro dos limites previstos em lei, o uso de corantes artificiais em alimentos ou bebidas não apresenta riscos à saúde", completa.

1/3/2004

Fonte: Fiocruz

Portal do Consumidor


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos