Imunologia/Imunidade -
Esta página já teve 133.085.894 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.664 acessos diários
home | entre em contato
 

Imunologia/Imunidade

Morte celular induzida por radiação ultravioleta B: papel crítico da dose de ultravioleta na inflamação e na redistribuição de autoantígeno lúpico

23/03/2004


 

Pesquisadores da Filadélfia, num recente estudo publicado no The Journal of Immunology, observaram que autoantígenos nucleares do lúpus eritematoso sistêmico translocaram-se para a membrana celular de queratinócitos apoptóticos irradiados com UV e podem representar um importante meio de auto-imunização. É difícil de entender como o comportamento não inflamatório que acompanha a maioria das apoptoses pode provocar uma resposta imunogênica conduzindo a auto-anticorpos.

Os pesquisadores descobriram a quantidade precisa de exposição dos queratinócitos ao UV que determina a taxa de apoptose, a quantidade de produção de citocinas inflamatórias e o grau de translocação de auto-antígenos. Pequenas doses de UVB (15 mJ/cm2) prontamente induziu uma apoptose normal dependente de caspase, enquanto uma dose intermediária de UVB (35 mJ/cm2) causou apoptose com alteração morfológica, fragmentação do DNA mais lenta e degradação de polimerase poli(ADP-ribose) acompanhada por aumento de Bcl-2. Altas doses de UVB (80 mJ/cm2) induziram preferivelmente necrose.

Os pesquisadores observaram a produção de IL-1 durante as doses intermediária e alta de UVB. A redistribuição de antígenos nucleares foi também notavelmente dose-dependente de UV: em baixas doses, Sm, Ku, e DNA translocaram-se para as superfícies de células apoptóticas precoces. Em doses intermediárias, esses antígenos se concentraram na membrana das células quando o núcleo ainda era visível. E em altas doses, os auto-antígenos se difundiram no citoplasma e foram liberados no sobrenadante.

Vistos juntos, os resultados mostraram que baixas doses de UVB induzem a imediata apoptose não-inflamatória. Em contraste, doses intermediárias e altas de UVB induzem apoptose pró-inflamatória e necrose, onde a produção de citocinas inflamatórias é acompanhada pela exposição e liberação de auto-antígenos. Os autores concluíram que a maior importância da dose de UV no destino dos queratócitos apoptóticos e em suas potenciais imunogenicidades poderiam ajudar a esclarecer o papel do UVB na indução de auto-imunidade no lúpus eritematoso sistêmico.

Ultraviolet B Radiation-Induced Cell Death: Critical Role of Ultraviolet Dose in Inflammation and Lupus Autoantigen Redistribution - The Journal of Immunology 2003


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos