-
Esta página já teve 133.089.138 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.664 acessos diários
home | entre em contato
 

Primeiros socorros/Emergência

Intoxicação por clorofenóxis

02/06/2004

INFORMAÇÕES MÉDICAS DE URGÊNCIA NAS INTOXICAÇÕES POR PRODUTOS AGROTÓXICOS

CLOROFENÓXIS (2,4-D2,4,5-T, diclofop metílico, metilclorofenóxipropionato-mcpp)

 

USOS

Herbicidas

VIAS DE ABSORÇÃO

Oral, dérmica e respiratória em menos intensidade

ASPECTOS TOXICOLÓGICOS

Lesões hepática e renais. Neurite periférica transitória.

Lesões musculares. Estes herbicidas atuam como hormônios de crescimento nos vegetais, mas não têm ação hormonal em animais

SINTOMAS E SINAIS CLÍNICOS

Em doses altas: fraqueza, mal-estar, miose, vômitos, dificuldades respiratória, bradicardia, hipotensão arterial, hipertermia, sudorese, oligúria. Enfraquecimento muscular, paralizia intercostal, dores musculares com fibrilação.

Neuropatia periférica, condições diabetifórmes ( hiperglicemia e glicosúria transitória).

Alterações hepáticas e renais.

DIAGNÓSTICO LABORATORIAL

Mioglobina e hemoglobina podem ser encontradas na urina.

Teores altos de desidrogenase lática (LDH), SGOT, SGPT e aldolase indicam a extensão das lesões musculares. O ECG deve ser monitorado para detecção de anormalidades cardíacas. Hiperglicemia e glicosúria podem ser encontradas.

TRATAMENTOS

Lidocaína 50-100 mg I.V., continuando com 1-4 mg/min. , para controlar a irritabilidade muscular. Eletrólitos para compensar as perdas por vômito. Bicarbonato de sódio 10-15 g/dia para manter a urina alcalina durante a mioglobinemia.

www.e.gov.br

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos