Tóxicos/Intoxicações - A poluição causada pelos veículos
Esta página já teve 113.997.192 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.859 acessos diários
home | entre em contato
 

Tóxicos/Intoxicações

A poluição causada pelos veículos

10/06/2003

A queima do combustível

A utilização de veículos automotores pressupõe a queima de combustíveis, fundamental para a economia, porém vital para a natureza, em virtude da emissão de gases tóxicos na atmosfera.Enquanto esses gases estiverem espalhados não corremos risco, mas a alta concentração desses gases gerados por muitas fontes emissoras, resulta na poluição que todos, veementemente combatemos. Calcula-se que 60% da poluição atmosférica nas regiões das grandes cidades sejam decorrentes dos veículos automotores, contudo existem outros vilões, como as indústrias e as queimadas, agravadas pelas condições climáticas.

A poluição vinda dos veículos

O combustível consumido pelos motores dos veículos é transformado em gases que são lançados no ar. Desses, 99,9% são inofensivos, mas 1% é altamente perigoso ao homem e ao meio ambiente e, que se for considerada a frota de veículos automotores existente no país e a quantidade de combustível queimado por ano, esta parcela de 1% passa a ser bastante significativa.

A capacidade poluente dos automóveis é a maior dentre quaisquer outras atividades desenvolvidas pelo homem, pois 50% do total de gases poluentes e, portanto, tóxicos que são expelidos para a atmosfera são provenientes da combustão dos motores dos automóveis. Nas grandes cidades, onde além da grande quantidade de veículos, existem constantes congestionamentos, os veículos respondem por quase 90% do total de gases tóxicos lançados na atmosfera, provocando um grande risco para a vida humana, animal e ao meio ambiente.

0s principais poluentes

Baseados em estudos desenvolvidos nesta área, sabemos que não existe, ainda, um veículo automotor que não polua. Na verdade o que varia é o grau ou a intensidade de poluição que um determinado veículo provoca, dependendo da qualidade do combustível utilizado ou do seu motor.

O monóxido de carbono, expelido durante a combustão da gasolina, é considerado o poluente mais perigoso, pois liga-se à hemoglobina, neutralizando-a e impedindo o trânsito do oxigênio. Com isso a oxigenação do sangue diminui, causando vertigens, alterações no sistema nervoso central, cardiovascular e pulmonar.

A fumaça, poeira e fuligem provenientes, sobretudo dos veículos movidos à diesel e do desgaste de pneus e freios dos veículos em geral, provoca o agravamento de quadros alérgicos e do aparelho respiratório, causando, ainda, irritação nos olhos e garganta, reduzindo a resistência às infecções.

Ao contrário do que muitos acreditam, a emissão de gases poluentes pelos veículos à álcool é bastante semelhante aos veículos movidos à gasolina, a diferença reside na tecnologia empregada nos veículos mais novos que, certamente e independentemente do tipo de combustível que utilizam, poluem menos que os veículos mais antigos, por possuírem mecanismos como catalisadores, canister e injeção eletrônica.

Porém não devemos esquecer de um fator muito importante: a regulagem do motor, pois um veículo novo mas mal regulado, certamente responderá por um maior percentual de gases tóxicos lançados em nossa atmosfera.

A poluição causada pelos veículos

A queima do combustível

A utilização de veículos automotores pressupõe a queima de combustíveis, fundamental para a economia, porém vital para a natureza, em virtude da emissão de gases tóxicos na atmosfera.Enquanto esses gases estiverem espalhados não corremos risco, mas a alta concentração desses gases gerados por muitas fontes emissoras, resulta na poluição que todos, veementemente combatemos. Calcula-se que 60% da poluição atmosférica nas regiões das grandes cidades sejam decorrentes dos veículos automotores, contudo existem outros vilões, como as indústrias e as queimadas, agravadas pelas condições climáticas.

A poluição vinda dos veículos

O combustível consumido pelos motores dos veículos é transformado em gases que são lançados no ar. Desses, 99,9% são inofensivos, mas 1% é altamente perigoso ao homem e ao meio ambiente e, que se for considerada a frota de veículos automotores existente no país e a quantidade de combustível queimado por ano, esta parcela de 1% passa a ser bastante significativa.

A capacidade poluente dos automóveis é a maior dentre quaisquer outras atividades desenvolvidas pelo homem, pois 50% do total de gases poluentes e, portanto, tóxicos que são expelidos para a atmosfera são provenientes da combustão dos motores dos automóveis. Nas grandes cidades, onde além da grande quantidade de veículos, existem constantes congestionamentos, os veículos respondem por quase 90% do total de gases tóxicos lançados na atmosfera, provocando um grande risco para a vida humana, animal e ao meio ambiente.

0s principais poluentes

Baseados em estudos desenvolvidos nesta área, sabemos que não existe, ainda, um veículo automotor que não polua. Na verdade o que varia é o grau ou a intensidade de poluição que um determinado veículo provoca, dependendo da qualidade do combustível utilizado ou do seu motor.

O monóxido de carbono, expelido durante a combustão da gasolina, é considerado o poluente mais perigoso, pois liga-se à hemoglobina, neutralizando-a e impedindo o trânsito do oxigênio. Com isso a oxigenação do sangue diminui, causando vertigens, alterações no sistema nervoso central, cardiovascular e pulmonar.

A fumaça, poeira e fuligem provenientes, sobretudo dos veículos movidos à diesel e do desgaste de pneus e freios dos veículos em geral, provoca o agravamento de quadros alérgicos e do aparelho respiratório, causando, ainda, irritação nos olhos e garganta, reduzindo a resistência às infecções.

Ao contrário do que muitos acreditam, a emissão de gases poluentes pelos veículos à álcool é bastante semelhante aos veículos movidos à gasolina, a diferença reside na tecnologia empregada nos veículos mais novos que, certamente e independentemente do tipo de combustível que utilizam, poluem menos que os veículos mais antigos, por possuírem mecanismos como catalisadores, canister e injeção eletrônica.

Porém não devemos esquecer de um fator muito importante: a regulagem do motor, pois um veículo novo mas mal regulado, certamente responderá por um maior percentual de gases tóxicos lançados em nossa atmosfera.


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos