Laser -
Esta página já teve 132.479.701 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.703 acessos diários
home | entre em contato
 

Laser

Laser em cirurgia torácica

13/06/2004
O Departamento de Tórax compreende 2 áreas referentes problemas relacionados ao Pulmão e ao Coração.
O Laser quando aplicado no Pulmão por via endoscópica só será possível se a lesão a ser tratada estiver dentro das Vias Aéreas, melhor dizendo, dentro da Traquéia e Brônquios, caso contrario não é possível alcançar a região afetada e trata-lá.
Já no Coração é possível usar um Laser, que não envolve temperatura no processo de
desobstruir as coronárias, bem como remover os eletrodos defeituosos do marcapasso.
A outra possibilidade terapêutica cardíaca é a revascularização a Laser, sendo uma nova opção cirúrgica para um grupo especifico de doentes com coronariopatia acentuada difusa, que sofrem de angina intensa de repouso.

PULMÃO : Este é responsável pela respiração, que consiste essencialmente na absorção de oxigênio e eliminação de gás carbônico, pelo organismo, através das vias aéreas . A via áerea é constituída de traquéia, brônquios que vão ramificando até chegar nos brônquiolos e alvéolos, onde ocorre o processo de trocas gasosas (respiração).
Desta forma, se tivermos uma obstrução das vias áereas a pessoa não será capaz de respirar, apresentando falta de ar, cansaço, tosse, expectoração, etc.
A dificuldade para respirar pode ser devido a tumores, estenoses ou presença de corpos estranhos nos condutos respiratórios.
Estenose Traqueal é uma patologia relativamente freqüente, que se desenvolve basicamente depois de acidentes, como ou cirurgias, devido a uma entubação geralmente prolongada. A estenose é uma membrana cicatricial que cresce exageradamente na áerea da traquéia lesionada, vindo a dificultar a inspiração e a expiração, levando a um quadro de sufocação e muitas vezes até a parada cárdio-respiratória. Outras vezes o paciente é obrigado a ser submetido a
traqueostomia, desenvolvendo uma dificuldade de fonação e infecção respiratória de repetição.
O tratamento convencional para esse caso é uma cirurgia com a retirada dos anéis cartiláginos da traquéia comprometidos, levando a um grande desconforto para o paciente no pós-operatório, de vez que seu mento (queixo) deverá ficar fixado por meio de fios de aço ao externo (peito) pelo prazo de cerca de 15 dias, a fim de evitar qualquer movimento do pescoço.
Para os casos de estenose subglótica ou traqueal, o Laser (algumas vezes com stent) é um tratamento curativo definitivo, menos agressivo, com um tempo de permanência hospitalar de 48 horas, sem dor ou desconforto no pós-operatório.

Tumores Benignos localizados na traquéia e brônquios são extirpados através do Laser por via do endoscópio, permitindo que o processo fique restrito apenas a área realmente afetada pela lesão tumoral. Os sinais e sintomas deste tipo de tumor variam desde pneumonias de repetição a quadros semelhantes como a asma brônquica refratária aos broncodilatadores.
A Fotoressecção (retirada) endoscópica com Laser é um tratamento menos invasivo e mais seguro, quando bem manuseado por médicos experientes, tendo um tempo curto de recuperação no pós-cirúrgico imediato, com a cessação dos sintomas antes apresentados (pré-laserterapia).
Outro grande beneficio fica por conta da rápida recuperação do paciente, sendo necessário somente metade do tempo de hospitalização quando comparado com a cirurgia tradicional neste caso.

Tumores Malignos são os cânceres, que crescem desordenadamente sem qualquer controle e obstruem as vias aéreas, acarretando tosse, sangramento, falta de ar progressiva e dor torácica persistente. Muitas vezes este tumor é removido cirurgicamente ou através de radioterapia mas, volta a crescer, vindo a obstruir os condutos respiratórios levando a um quadro de insuficiência respiratória aguda. A desobstrução endobrônquica com Laser é especialmente eficaz nestes casos onde outras modalidades terapêuticas já não são mais possíveis, sendo o Laser o ultimo recurso paliativo capaz de melhorar a respiração destes pacientes.
O câncer de pulmão é o tumor que mais mata pessoas do sexo masculino, e o terceiro a matar no sexo feminino, no Brasil como nos Estados Unidos e demais países desenvolvidos, estando relacionado com o hábito de fumar. A técnica de aplicação com Laser é realizada por via endoscópica, permitindo vaporizar e coagular o tumor (muitas vezes altamente sangrante) que está obstruindo a traquéia e/ou o brônquio restituindo um alívio imediato do quadro obstrutivo.

Antes do emprego do Laser no carcinoma broncogenico a taxa de sobrevida, em doentes acometidos de insuficiência respiratória aguda , era, em 4 meses, de 31% e em 7 meses de 0%. Já na fase pós- laserterapia, encontramos, em 4 e 7 meses, 87% e 64%, respectivamente de sobrevida. O resultado do emprego desta técnica em lesões do aparelho respiratório tem sido encorajadora, abre um novo horizonte terapêutico para inúmeros casos considerados irrecuperáveis, tornando possível restabelecer o premeio das vias aéreas bloqueadas por neoplasia pulmonar ou metastase de outros orgãos. A aplicação do laser tem ampliado a expectativa de vida e melhorando, sobretudo, a qualidade de vida, destes indivíduos.

CORAÇÃO : Os Lasers a frio só podem ser empregados neste órgão, ao contrario dos Lasers usados no Aparelho Respiratório, pois causaria um dano irreparável no tecido cardíaco levando a sérias complicações. A angioplástia pode ser realizada com Excimer Laser (308 nm), conhecido como Laser à frio, quando ocorre uma oclusão da "stent" ( prótese). Essa prótese é utilizada para manter o vaso aberto e permite o fluxo sangüíneo da região irrigada por esta artéria coronariana isolada. No caso de problema nos eletrodos do marcapasso o Excimer Laser pode ser empregado na sua remoção, sem a necessidade de abrir cirurgicamente o tórax para retirar os fios, que estariam dentro da cavidade cardíaca.
Atualmente no caso em que não é mais possível realizar angioplastía e cirurgia clássica de Revascularização do Miocárdio, uma nova opção cirúrgica para determinados tipos de pacientes é a Revascularização Transmiocardica com Laser de CO2, sendo em muitos casos o último recurso possível para melhorar a intensa angina (dor precordial) deste grupo específico de pacientes com coronariopatia acentuada. O Laser de CO2 possui altíssima potência (800Watts) e é utilizado sobre a superfície do coração, sendo capaz de realizar pequenos canais no músculo cardíaco isquemico (que esta pouco irrigado), e suprir esta região com novo fluxo de oxigênio e nutrientes, como uma nova via alternativa, melhorando a angina e a qualidade de vida desses pacientes.

Tipos de Laser:
Somente os Lasers conhecidos como térmicos (usam o calor) são utilizados na árvore respiratória, contudo depende do comprimento de onda, bem como de sua interação com o tecido (tem que ser bem avaliada pelo médico especialista). Pode ser empregado o KTP (532 nm), CO2 (10.600nm), Diodo (830 nm), não obstante, o Nd-YAG (1064 nm) seja o mais usado na maioria dos casos devido à versatilidade intrínseca, atraves do método de contato ou não-contato. Este tipo de Laser é capaz de vaporizar eficazmente tecidos altamente vascularizados (sangrante), além de promover excelente coagulação do tecido-alvo.

www.sociedadedelaser.com.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos