- Estado do Acre rompe barreiras geogrficas e entra para lista de doadores de rgos slidos
Esta página já teve 132.444.180 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.705 acessos diários
home | entre em contato
 

Notícias da Dra. Shirley

Estado do Acre rompe barreiras geogrficas e entra para lista de doadores de rgos slidos

24/06/2004

 

 

Equipe mdica do Hospital Israelita Albert Einstein atravessa pas para viabilizar transplante realizado pelo SUS

Pela primeira vez o Estado do Acre disponibiliza um doador de rgos slidos. Mdicos do Hospital Israelita Albert Einstein atravessaram quase 4 mil km, distncia que separa Rio Branco da cidade de So Paulo, para captao de pncreas, rins e fgado.

uma conquista da medicina brasileira, pois nunca rgos viajaram tanto para que um transplante fosse realizado. No h mais limites geogrficos, e comprovou-se que h estrutura para que o nmero de doaes do Pas aumente, explica Marcelo Perosa, mdico da equipe responsvel por transplante de pncreas do Hospital.

Como no h uma Central de Transplantes no Acre outros quatro estados brasileiros tambm no possuem Amap, Roraima, Par e Rondnia foi necessria uma intensa mobilizao para concretizar esse acontecimento. Antecipando o procedimento, exame com os gnglios foram realizados para checagem de compatibilidade com os receptores, um deles aguardando na lista de transplantes desde 1999.  Alm disso, a retirada dos rgos teve que ser agendada em horrio compatvel com os vos disponveis para retorno a So Paulo.

Desde 1997, o nmero de transplantes realizados no Pas quase duplicou. No entanto, a taxa de doadores de rgos uma das menores da Amrica Latina, 3,7 por milho de habitantes, ficando atrs da Argentina e do Chile, que alcanam um ndice entre 10 e 12 doadores por milho. Nos pases desenvolvidos esse nmero sobe para 20 a 40 doadores por milho.

Indicativos de que o transplante no s uma alternativa clnica, mas tambm um ganho para a sade das finanas do Estado. Os nmeros que envolvem, por exemplo, pacientes com patologias renais apontam, hoje, no Brasil mais de 60 mil pacientes em dilise e 20 mil em lista de espera para cirurgia. A dilise ocupa hoje 14,5% dos custos ambulatoriais do SUS, um total de R$ 802 milhes anuais. O custo do Programa de Transplantes SUS / Einstein por ano, para intervenes renais, est em torno de R$ 1 milho.

Parceria entre SUS e Einstein registra mais de 380 transplantes e se consolida como a maior referncia de intervenes de fgado na Amrica Latina. No binio 2002-2003, de acordo com a Associao Brasileira de Transplantes de rgos, cerca de 27% dos transplantes de fgado de So Paulo foram realizados pela equipe HIAE em pacientes. A sobrevida aps um ano foi superior a 90%, assemelhando-se aos melhores resultados dos EUA e Europa.

 Entre 2002 e 2004, o HIAE realizou 444 transplantes, registrando uma taxa de infeco inferior norte-americana. Desse total, mais de 90% das cirurgias ocorreram pelo SUS, sendo que o transplante de fgado (o mais complexo) representa a maior parte das intervenes, com 54%, seguido dos transplantes de rins, 31%, e pncreas, 15%.

 

Saude News journal


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos