-
Esta página já teve 134.664.420 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.668 acessos diários
home | entre em contato
 

Sono/Distúrbio do sono

Mudança de hábitos podem acabar com a insônia

16/07/2004

 
 

Conseguir uma boa noite de sono tem sido desafio para uma parcela crescente da população. Estudos apresentados recentemente em Belo Horizonte, durante a 1ª Semana Brasileira do Sono, revelam um quadro preocupante. Uma das pesquisas, realizada pela Fundação Americana do Sono (NSF), mostrou que 67% dos adultos relatam problemas freqüentes de sono. Entretanto, somente um a cada oito procura um médico para fazer um diagnóstico.

A insônia é a queixa mais comum entre homens e mulheres na fase adulta e atinge 48% dos idosos. Até crianças, de acordo com os pesquisadores, sofrem do mal. A NSF também chegou à conclusão de que 69% de meninos e meninas com idade inferior a dez anos enfrentam noites maldormidas pelo menos um dia por semana.

Os prejuízos de dormir mal são inestimáveis, na avaliação de Geraldo Rizzo, especialista em sono e presidente da Sociedade Brasileira de Neurofisiologia. Segundo ele, os insones respondem por índices mais altos de ausência na escola ou no trabalho e têm sua performance comprometida, inclusive com risco de acidentes. A insônia também causa estresse e aumenta a probabilidade de surgimento de doenças cardíacas e psiquiátricas, entre outras.

Reverter o quadro depende muito do empenho de cada um. O primeiro passo é procurar o médico e mudar hábitos de vida. "Diante de dados tão alarmantes, vale a pena dizer que a maioria dos problemas tem solução e, normalmente, sequer demanda o uso de medicamentos", assegura o especialista.


(Vanessa Jacinto/Estado de Minas)

www.saudeplena.com.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos