- Enxaqueca e Vertigem
Esta página já teve 132.435.881 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.708 acessos diários
home | entre em contato
 

Enxaqueca/Cefaléia/Dor de cabeça

Enxaqueca e Vertigem

11/09/2004

 

 


Com relativa freqüência são relacionadas enxaquecas com sintomas vestibulares, nomeadamente vertigem.

Na 1ª infância podem surgir quadros de vertigem rotatória, violenta, de instalação súbita, muitas vezes repetitiva, acompanhada de palidez, suores e manifestações de pânico, os quais ao fim de alguns minutos, desaparecem - é a vertigem paroxística benigna da infância. Estes quadros desaparecem habitualmente entre os 7-8 anos. Constituem a causa mais freqüente de vertigem neste grupo etário e nada têm a ver com a VPPB. Na anamnese costumam apurar-se nos familiares casos de enxaquecas, devendo estas crianças serem consideradas candidatas a padecer desta doença.. Alguns autores denominam estes quadros - equivalentes migranosos.

No adulto, embora raramente, podem surgir vertigens, com náuseas e vômitos, associadas à crise de enxaqueca, as quais são de tal modo intensas que podem fazer "esquecer" as cefaléias. Estas vertigens tanto aparecem isoladas como associadas a outras manifestações neurológicas sugestivas de compromisso do tronco cerebral - são as enxaquecas basilares.
A duração das vertigens associadas às enxaquecas é variável: em 1/3 dos casos vai de poucos segundos a 2 horas; em quase metade dos casos surge em acessos que se prolongam por 24 horas, podendo, no entanto, ultrapassar vários dias ou semanas, com queixas de desequilíbrio entrecortadas por períodos de vertigens.

Quanto à relação temporal com as cefaléias, as vertigens podem aparecer antes, durante a enxaqueca ou nos intervalos livres de cefaléias. De diagnóstico mais complexo, mas também mais raras, são as vertigens associadas a enxaquecas sem cefaléias.

É, por vezes, difícil estabelecer o diagnóstico diferencial entre as vertigens causadas por enxaqueca com as originadas por patologia vestibular, nomeadamente Ménière e VPPB. Entre a enxaqueca e os sintomas vestibulares podem ou não estabelecer-se relações de causa/efeito. Uma anamnese cuidadosa, procurando antecedentes pessoais e/ou familiares de enxaqueca é indispensável.

 

www.otoneuro.pt


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos