Hipertensão/Pressão Alta - Hipertensão, o que significa?
Esta página já teve 113.940.448 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.865 acessos diários
home | entre em contato
 

Hipertensão/Pressão Alta

Hipertensão, o que significa?

11/09/2004
O QUE É PRESSÃO ARTERIAL

O coração bombeia o sangue para os demais órgãos do corpo por meio de tubos chamados artérias. Quando o sangue é bombeado, ele é "empurrado" contra a parede dos vasos sangüíneos. Esta tensão gerada na parede das artérias é denominada pressão arterial.
  
O QUE É HIPERTENSÃO ARTERIAL
  
A hipertensão arterial é a elevação persistente dessa pressão sangüínea e não as elevações ocasionais, a que todos estamos sujeitos sem que isto represente qualquer anormalidade. Caracteriza-se pelo bombeamento de sangue através de nossas artérias a uma pressão superior àquela encontrada na maioria das pessoas.
  
Isso acontece porque os vasos nos quais o sangue circula se contraem e fazem com que a pressão do sangue se eleve. Para melhor entendimento, podemos comparar o coração e os vasos a uma torneira aberta ligada a vários esguichos. Ao fecharmos os esguichos, a pressão irá subir. Da mesma forma, quando o coração bombeia o sangue e os vasos estão estreitados, a pressão dentro dos vasos sangüíneos aumenta.
  
DIAGNÓSTICO
  
A pressão alta é diagnosticada quando a medida revela uma pressão sistólica acima de 140 mmHg e/ou uma pressão diastólica acima de 90 mmHg. Definir valores normais para a pressão arterial não é fácil porque, quanto maior a pressão, maior o risco cardiovascular e menor a sobrevida, não havendo uma linha divisória entre normotensão e hipertensão.
  
O limite arbitrário adotado operacionalmente é que um indivíduo adulto é considerado hipertenso quando os níveis de pressão arterial são iguais ou maiores do que 140/90 mm Hg. Ela é geralmente diagnosticada quando um tensiômetro colocado no braço registra níveis iguais ou superiores a 140/90 mmHg em múltiplas aferições sob diferentes condições (mmHg significa milímetros de mercúrio e é a unidade para mensuração da pressão). 
  
Acima deste nível, é maior o risco de agressões a órgãos nobres como coração, cérebro e rins, além de acelerar-se o processo de endurecimento das artérias (arteriosclerose) e facilitar-se o depósito de gordura nos vasos (aterosclerose). A pressão sistólica, ou máxima, como habitualmente dizemos, representa a pressão nas nossas artérias quando o coração se contrai e ejeta sangue dentro delas. 
  
A pressão diastólica ou mínima, ocorre quando o coração se relaxa e representa a pressão mínima a que as artérias estão expostas antes da contração cardíaca subseqüente. A hipertensão afeta cerca de 20% da população brasileira e, neste grupo, para um mesmo nível de pressão arterial, os órgãos dos pacientes de raça negra são mais afetados que os de outras raças.
  
Em oitenta por cento dos casos, a pressão está levemente elevada (pressão diastólica entre 90 e 104 mmHg e/ou pressão sistólica entre 140 e 159 mmHg). A chamada "hipertensão sistólica isolada" onde apenas a pressão sistólica se encontra elevada afeta cerca de 30% a 40% da população acima de 65 anos e associa-se com o mesmo risco de derrame cerebral e infarto do miocárdio. 
  
No item Classificação, pode-se observar os níveis da pressão arterial para pessoas adultas. Em crianças e adolescentes, classifica-se a pressão arterial em função de estatura, idade e sexo de acordo com tabelas específicas.

Fonte: Portal Unimeds


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos