Hipertensão/Pressão Alta - Hipertensão- sintomas
Esta página já teve 116.583.817 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.686 acessos diários
home | entre em contato
 

Hipertensão/Pressão Alta

Hipertensão- sintomas

11/09/2004

Os sintomas e achados clínicos da hipertensão arterial dependem das causas da hipertensão, duração e severidade, e os graus de efeito nos órgãos comprometidos, como coração, cérebro, rins, olhos e artérias periféricas. Na maioria dos casos, os hipertensos nada sentem. Apenas uma pequena parcela dos hipertensos apresenta sintomas como: 
  
- Tonturas 
- Dor de cabeça 
- Palpitações 
  
Se nestes casos a pressão arterial estiver alta, o paciente está em crise hipertensiva. 
  
TIPOS DE PRESSÃO ALTA
  
Existem dois tipos de pressão alta:
  
Primária
  
Na maioria dos casos de hipertensão a causa é desconhecida. Normalmente ela é o resultado da contração excessiva das artérias. Esta é a hipertensão que ocorre devido ao consumo exagerado de sal, avanço da idade, à obesidade e ao estresse, entre outros. 
  
Secundária

A hipertensão secundária pode ser causada:
  
- por doença renal;
- hipertensão vascular renal;
- hiperaldosteronismo primário e Síndrome de Cushing;
- feocromocitoma;
- coartação da aorta;
- uso de pílula anticoncepcional;
- outras.
  
O Relatório da Saúde Mundial de 2002, resultado de um dos maiores projetos de pesquisas já realizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), identificou as dez principais causas de morte no mundo. Entre elas, hipertensão, obesidade, fumo, colesterol alto e álcool, que são os grandes fatores de risco cardiovascular. 
  
A OMS ainda alertou que maus hábitos como beber, fumar e comer demais, que antes eram coisas de ricos, estão agora crescendo nos países em desenvolvimento. “Não existe mais o risco de uma doença ser exclusividade dos países ricos", declarou Chris Morris, autor do relatório. 
  
Porém, a OMS acredita que políticas corretas de saúde pública, que dêem destaque à prevenção, podem reverter rapidamente esses resultados. Segundo o relatório: "Muitos dos fatores de risco podem ser rapidamente revertidos, obtendo-se muitos benefícios em uma década nos países em desenvolvimento e em cinco anos naqueles desenvolvidos". 
  
As outras principais causas de morte apontadas pela pesquisa são: desnutrição, sexo desprotegido, água suja e condições sanitárias precárias, deficiência de ferro, e inalação da fumaça de fogos feitos em lugares fechados. Esses 10 fatores responderiam por mais de um terço das 56 milhões de mortes que ocorrem no planeta a cada ano.
  
Nos Estados Unidos, estima-se que 50 milhões de pessoas têm hipertensão arterial, atingindo cerca de 15 a 20% da população adulta, podendo chegar a 50% das pessoas com mais de 65 anos. No Brasil, embora não exista um estudo nacional, os estudos regionais realizados com diferentes critérios de definição da doença e de medida da pressão arterial, mostram que, na região Nordeste, as prevalências vão de 7 a 40%, no Sudeste, de 5 a 38%, no Sul, de 1 a 27% e no Centro-Oeste, de 6 a 17%. 
  
O diagnóstico, tratamento e controle da hipertensão arterial melhoraram durante os últimos 25 anos. Também as taxas de mortalidade ajustadas por idade devido a um acidente vascular cerebral diminuíram em aproximadamente 60% e, devido a doenças da artéria coronária, em 53%.

Fonte: Portal Unimeds


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos