Meio Ambiente/Ecologia -
Esta página já teve 134.591.158 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.668 acessos diários
home | entre em contato
 

Meio Ambiente/Ecologia

Produção de Palmito Pupunha

29/09/2004

O palmito é uma iguaria fina, valiosa e de grande aceitação no mercado, tanto no Brasil como no exterior. Corresponde ao produto comestível, extraído da extremidade superior do tronco de certas palmeiras, constituindo-se de folhas jovens, internas, ainda em desenvolvimento, envolvidas pela bainha das folhas mais velhas.

 

Originalmente o palmito era extraído da palmeira Juçara (Euterpe edulis), que possui palmito de altíssima qualidade, mas um ciclo de produção longo; tendo uma exploração predominantemente extrativista, encontra-se por isso em vias de extinção. Outra palmeira utilizada é o Açaí (Euterpe oleraceae), que possui ciclo longo e palmito de qualidade e rendimento inferiores à anterior. A Pupunha (Bactris gasipaes), palmeira nativa da Amazônia, apresenta um rápido crescimento e produz palmitos de boa qualidade, podendo ser plantada a pleno sol, ao contrário da Juçara e Açaí, facilitando seu manejo e possibilitando sua instalação em áreas tradicionais de cultivo. Devido a estes fatores a palmeira Pupunha está sendo muito aceita para produção de palmito no Brasil.

 

O cultivo da pupunha não apresenta grandes problemas de pragas e doenças, tendo sua maior dificuldade na formação das mudas e na escolha das sementes para plantio. É conveniente que se dê preferência ao cultivo de pupunha sem espinhos, pela facilidade de manuseio e de mão-de-obra.

A propagação é feita via sementes, sendo necessário fazer um tratamento para quebra de dormência. A germinação ocorre de 1 a 3 meses após a semeadura. A semeadura deve ser feita em pré-germinador com substrato de terra/areia/esterco, sendo necessária a construção de um túnel plástico com algum sombreamento, a irrigação deve ser manual.

O transplantio é feito quando as plântulas apresentarem duas folhas, em sacolas plásticas de 1000 cm3 com substrato terra/areia/esterco.

 

Antes do plantio, limpar completamente a área do mato, corrigir o solo com calcáreo e realizar uma adubação orgânica no plantio. A pupunha não suporta a competição com mato, sobretudo a braquiária. Para o plantio deve-se elevar o pH para 5.0 e 5.5 e a saturação de bases para 60%.

 

O transplante das mudas deve ser realizado quando esta apresentar mais de 6 folhas e cerca de 40 cm de altura. Deve ser realizado na estação chuvosa, em dias nublados e com boa umidade no solo, pois nesta fase necessita-se de água em abundância.

Para o transplantio das mudas, são abertos sulcos de 40 cm de profundidade onde deve ser realizada a adubação e posterior cobertura destes sulcos. A seguir , devem-se abrir buracos com cavadeiras no espaçamento recomendado, que é de 2,0 x 1,0 m para palmito envasado. Assim cabem 5.000 plantas/ha, garantindo uma maior produtividade do palmito.

 

O sistema radicular da Pupunha no ponto de corte é bastante superficial: mais de 80% das raízes ficam num raio de 2 m da planta e numa profundidade de até 40 cm . Por isso, a cultura não suporta a mato-competição, principalmente por gramíneas.

 

Os critérios para o corte do palmito são variáveis, sendo melhor utilizar a altura da planta como referência, considerando a partir da primeira folha aberta até a última folha não aberta, ainda em desenvolvimento. Para o mercado envasado, essa região apresenta 1,0m a 1,4m; para o mercado in natura, 1,2m a 1,6m e para obter palmitos mais grossos, 1,6m a 2,5m.

 

A colheita do palmito de pupunha sempre vai ser escalonada, apesar de terem a mesma origem e terem sido plantadas no mesmo período, pois apresentam no campo, um desenvolvimento irregular.

Atualmente, considerável parte do palmito disponível no mercado tem origem clandestina, isto é, Juçara e principalmente Açaí são cortados de maneira irregular em matas ou florestas, processados no próprio local em condições precárias, aumentando o risco de doenças como o butolismo. Tal procedimento limita a exportação de palmito, pois nestas condições o palmito brasileiro nunca irá atingir os padrões internacionais. Além do produto sadio, o mercado internacional exige que sua obtenção não cause danos ao meio ambiente. Neste aspecto, a pupunha constitui-se uma opção bastante interessante.

 

Fonte: Departamento de Agricultura: Cultivo de Palmito de Pupunha; Grupo de Estudos de Olericultura: Boletim Técnico de Hortaliças No 22.


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos