-
Esta página já teve 132.484.980 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.704 acessos diários
home | entre em contato
 

Sono/Distúrbio do sono

Falta de sono e agressividade dos patrões

06/11/2004

Falta de sono contribui para a agressividade dos patrões.
A privação de sono torna os chefes mais agressivos, segundo
estudo dos centros de pesquisas britânicos Demos e IKEA. De
acordo com o relatório denominado Dream On, pesquisas
comprovaram que 39% dos pesquisados afirmam dormir pouco.
Dentro da faixa dos 35 aos 44 anos, está o grupo que se julga
mais afetado pelo débito de sono: pessoas com cargos de
chefia e que possuem filhos pequenos.
50% dos patrões entrevistados disseram que dormem pouco e
ficam mais irritadiços. Por conseqüência, estão mais
propensos a berrar, ou pior, cometer erros por falta de
concentração. 19% deles confessaram já ter errado na execução
de coisas simples, devido ao pouco tempo que tem para dormir.

Os números indicam que aproximadamente 25% de todas as
pessoas que exercem cargos de chefia na Grã-Bretanha estão
sujeitas ao mau humor porque não dormiram bem. As
preocupações com o trabalho são as causas da insônia em 15%
dos casos. A pesquisa demonstrou ainda que as mulheres são
cinco vezes mais propensas a não dormir à noite devido ao
ronco de seus parceiros.
Entre as recomendações propostas para evitar o problema
administrativo das empresas, está a criação de compartimentos
fechados e automatizados onde se pode tirar um cochilo após
depositar uma moeda, ou mesmo, instalar camas nas empresas. O
relatório sugere ainda que pessoas trabalhando em horários
irregulares, em especial pais de bebês, possam tirar dias de
folga para repor o sono.
Texto: Cassiano Sampaio

Redação Saúde em Movimento


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos