Imunologia/Imunidade -
Esta página já teve 133.101.610 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.662 acessos diários
home | entre em contato
 

Imunologia/Imunidade

Avaliação da Imunidade Humoral para Poliomielite, Tétano, Hepatite B, Sarampo, Rubéola e Caxumba em Crianças após Quimioterapia

15/11/2004
 




Pesquisadores italianos realizaram um estudo, recentemente publicado na revista Cancer, com o objetivo de avaliar o efeito da quimioterapia na imunidade humoral para doenças evitáveis por vacinação, investigando a persistência de títulos de anticorpos protetores em um grupo de pacientes que estavam vivos e saudáveis após terem sido tratados de malignidades pediátricas. 

 

Os níveis de anticorpos séricos foram avaliados para pólio, tétano, hepatite B, rubéola, caxumba e sarampo em 192 crianças. Os termos falta de imunidade e perda de imunidade foram usados para descrever a ausência de imunidade, respectivamente, em pacientes que foram testados somente após a quimioterapia e em pacientes que foram testados tanto antes quanto depois da mesma e foram determinados a ter imunidade antes da quimioterapia.

 

No total, a ausência de um título de anticorpo protetor sérico para hepatite B, sarampo, caxumba, rubéola, tétano e pólio foi detectada em 46%, 25%, 26%, 24%, 14% e 7% dos pacientes, respectivamente. Na análise univariada, a perda de anticorpos contra rubéola, caxumba e tétano foi significativamente associada com menor idade (P < 0,001; P = 0,02 e P = 0,001; respectivamente), e a perda de anticorpos contra sarampo foi significativamente associada com menor idade e sexo feminino (P = 0,0003 e P = 0,008; respectivamente). A administração de 59 vacinações de reforço para 51 pacientes que tinham perdido um título de anticorpo protetor resultou em uma taxa de resposta total de 93%.

 

Os autores concluíram que a quimioterapia induziu diferentes taxas de perda de títulos de anticorpos protetores dependendo do tipo de vacinação administrada e que este achado pode ser responsável pela falha dos programas de vacinação para crianças que se submeteram à quimioterapia. Afirmaram ainda que a administração de uma dose de reforço após a conclusão da quimioterapia é um meio simples e de baixo custo para restaurar a imunidade humoral contra a maioria das doenças evitáveis por vacinação.

 Assessment of humoral immunity to poliomyelitis, tetanus, hepatitis B, measles, rubella, and mumps in children after chemotherapy - Cancer; 2004; 101 (3): 635-641

Assessment of humoral immunity to poliomyelitis, tetanus, hepatitis B, measles, rubella, and mumps in children after chemotherapy
Matteo Zignol, M.D. 1, Marta Peracchi, M.D. 2, Gloria Tridello, Ph.D. 3, Marta Pillon, M.D. 3, Federica Fregonese, M.D. 1, Ruggiero D'Elia, M.D. 1, Luigi Zanesco, M.D. 3, Simone Cesaro, M.D. 3 *
1Department of Pediatrics, Faculty of Medicine and Surgery, University of Padua, Padua, Italy
2Institute of Microbiology and Virology, University of Padua, Padua, Italy
3Pediatric Hematology and Oncology Clinic, University of Padua, Padua, Italy
email: Simone Cesaro (simone.cesaro@unipd.it)

*Correspondence to Simone Cesaro, Pediatric Hematology and Oncology Clinic, University of Padua, Via Giustiniani 3, 35128 Padova, Italy

Fax: (011) 39 0498213510

Keywords
pediatric malignancy • chemotherapy • vaccination • tetanus • poliomyelitis • measles • rubella • mumps • hepatitis B

Abstract

BACKGROUND
To evaluate the effect of chemotherapy on humoral immunity to vaccine-preventable disease, the authors investigated the persistence of protective antibody titers in a group of patients who were alive and well after they were treated for pediatric malignancies.

METHODS
Serum antibody levels were evaluated for polio, tetanus, hepatitis B, rubella, mumps, and measles in 192 children. The terms lack of immunity and loss of immunity, respectively, were used to describe the absence of immunity in patients who were tested only after chemotherapy and in patients who were tested both before and after chemotherapy and determined to have immunity before chemotherapy.

RESULTS
Overall, the absence of a protective serum antibody titer for hepatitis B, measles, mumps, rubella, tetanus, and polio was detected in 46%, 25%, 26%, 24%, 14%, and 7% of patients, respectively. On univariate analysis, loss of antibodies against rubella, mumps, and tetanus was associated significantly with younger age (P < 0.001, P = 0.02, and P = 0.001, respectively), and loss of antibodies against measles was significantly associated with younger age and female gender (P = 0.0003 and P = 0.008, respectively). The administration of 59 booster vaccinations to 51 patients who had lost 1 protective antibody titer resulted in an overall response rate of 93%.

CONCLUSIONS
Chemotherapy induced different rates of loss of protective antibody titers depending on the type of vaccination administered. This finding may be responsible for the failure of vaccination programs for patients who have undergone chemotherapy. The administration of a booster dose after the completion of chemotherapy is a simple and cost-effective way to restore humoral immunity against most vaccine-preventable diseases. Cancer 2004. © 2004 American Cancer Society.


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos