- Como fazer uma boa compra nos supermercados
Esta página já teve 132.572.846 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.697 acessos diários
home | entre em contato
 

Cidadania/Serviços

Como fazer uma boa compra nos supermercados

19/11/2004

SUPERMERCADOS:
PROCON-SP ORIENTA COMO FAZER UMA BOA COMPRA

NComo ir a um supermercado e adquirir produtos e alimentos com qualidade e preço justo? Para responder esta pergunta, os técnicos da Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça do Governo do Estado de São Paulo, elaboraram algumas dicas que vão auxiliar o consumidor na hora de fazer suas compras.

Os técnicos do Procon-SP lembram que o mercado esta muito competitivo e oferece uma diversidade de supermercados, marcas, preços, qualidade e ofertas. O consumidor é parte do mercado de consumo, e deve atuar com consciência para não ser vítima dele. Ao escolher os produtos para seu consumo (marca, preço, tamanho, qualidade etc.) o consumidor está "dizendo" para o mercado o que deseja. O fornecedor, por sua vez, tem que escutar com atenção e atender a mensagem enviada, se quiser se manter neste mercado competitivo.

O consumidor deve:

- levar em conta o tamanho e os hábitos de sua família, fazendo uma lista do que realmente precisa, assim não correrá o risco de levar produtos desnecessários;
- pesquisar os preços em encartes dos supermercados distribuídos dentro de jornais e bancas próprias na entrada do estabelecimento, anúncios publicitários em meios de comunicação e, nas próprias gôndolas do supermercado;
- não fazer compras com pressa pois, é necessário disponibilizar um tempo para comparar preços e marcas, verificar data de validade e condições da embalagem, por exemplo:
- evitar ir às compras quando estiver com fome e, também, quando acompanhado de crianças. Assim não será impulsionado a comprar além do necessário;
- saber que, oferta não quer dizer, necessariamente, preço mais barato: significa que aquele produto está mais barato do que usualmente. Se o seu critério é preço, podem haver outras marcas mais em conta. Verifique o que lhe convém;

- ficar atento às estratégias de marketing como, por exemplo: disposição de uma marca de produto em oferta em corredores centrais, distantes das gôndolas que contenham o mesmo produto com marcas diferentes. Esta manobra faz com que o consumidor deixe de comparar os outros preços para o mesmo produto;
- não se enganar com as embalagens menores que nem sempre são mais baratas proporcionalmente;
- observar que os produtos de marcas nacionais podem ter a mesma, ou melhor, qualidade do que os importados e, ter preços menores. Leve sempre em conta preço e da qualidade.

Formas de pagamento:

- geralmente os cartões próprios do supermercado estabelecem uma data pré-determinada para o pagamento. Mas, é necessário observar qual o melhor dia para a compra para melhor aproveitar o prazo e, ainda, tomar cuidado em não deixar saldo para o próximo vencimento onde terá que arcar com taxas de juros de 10% a 12% ao mês.
- O mesmo vale para cartão de crédito normal;
- existem também, os cartões de fidelidade, que servem apenas para que o supermercado conheça o perfil de compras do cliente e, assim, poder oferecer promoções específicas para este consumidor;
- quando a opção for cheque pré-datado, é necessário ficar atento ao vencimento para não deixar a conta corrente descoberta;
- em se tratando de cheque especial, deve-se evitar o limite pois, de acordo com pesquisa mensal de juros bancários efetuada por esta Fundação, a taxa média cobrada pelos bancos é de 9,49% ao mês.

O QUE OBSERVAR NA COMPRA

ALIMENTOS EMBALADOS: a embalagem deve trazer as seguintes informações: peso líquido, composição (ingredientes), data de validade, lote, características do produto, identificação do fabricante e, em alguns casos (frango embalado) condições de armazenagem. Tudo em língua portuguesa.


ALIMENTOS A GRANEL: o comerciante responde pelas informações necessárias: data de validade, origem e peso líquido. No caso da carne, a fiscalização é feita pelo Ministério da Agricultura e deve ter carimbo do SIF (Serviço de Inspeção Federal) ou SISP (Serviço de Inspeção do Estado). Tudo em língua portuguesa.

HIGIENE: a embalagem deve informar data de validade, procedência, lote, peso, composição, registro no Ministério da Saúde, responsável técnico, identificação do fabricante e, instruções sobre armazenamento e manuseio correto do produto. Tudo em língua portuguesa.

LIMPEZA DOMISSANITÁRIOS: são produtos químicos utilizados para a limpeza geral e desinfecção (detergente, cera, inseticida, raticida, desinfetante etc.). Eles são capazes de causar sérios acidentes quando utilizados ou armazenados de forma incorreta.
A embalagem deve assegurar as características do produto e, nunca deve ser reutilizada após o término do conteúdo.
Antes de manusear esses produtos, leia com atenção as instruções de uso que devem constar no rótulo, de forma clara e precisa. Outros dados que não podem faltar são: prazo de validade, nome do responsável técnico, fabricante, registro no Ministério da Saúde, quantidade, modo de usar, composição química detalhada, ingrediente químico, forma de conservação e armazenamento, advertência para a não reutilização da embalagem, precauções, classe toxocológica (se houver), conduta em caso de acidentes. Tudo em língua portuguesa

A Fundação Procon-SP atende pelo telefone 1512 ou pessoalmente nos postos localizados dentro do Poupatempo Sé, Santo Amaro e Itaquera. A página do Procon com orientações sobre consumo é www.procon.sp.gov.br

ASSESSORIA DE IMPRENSA PROCON-SP (3824.7007/7010/7011)
imprensaprocon@procon.sp.gov.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos