AIDS / HIV -
Esta página já teve 132.451.135 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.706 acessos diários
home | entre em contato
 

AIDS / HIV

Teste rápido para diagnóstico do HIV produzido pela Fiocruz será distribuído ao programa de DST/Aids até o fim do ano

02/12/2004


Um importante produto de controle e prevenção da Aids, principalmente quanto à transmissão vertical do HIV em recém-nascidos, começa a ser distribuído pela Fiocruz ao Programa Nacional de DST/Aids ainda este ano: o teste rápido para diagnóstico de HIV - 1 e 2

A produção nacional deste teste, além de economizar divisas por substituição à importação, vai aumentar o acesso de moradores de áreas carentes ou isoladas, desprovidos de serviços de atenção básica a um exame de triagem.

O resultado do teste rápido sai em até dez minutos, pode ser feito utilizando-se plasma, soro ou sangue total - os convencionais utilizam apenas soro ou plasma - e não precisa de infra-estrutura laboratorial.

O diagnóstico precoce da Aids é de extrema importância para barrar o avanço da doença disseminado por pessoas que não têm conhecimento quanto ao próprio estado sorológico e para se iniciar o quanto antes o tratamento pré-natal com anti-retrovirais, reduzindo as chances de transmissão do vírus da mãe para o filho (transmissão vertical).

Comemorado em 1º de dezembro, o Dia Mundial de Luta Contra Aids deste ano tem como tema para as ações no mundo inteiro o slogan Mulher, meninas, HIV e aids.

No Brasil, onde a situação interna é o reflexo da mundial, o Governo Federal adotou a frase Mulher, sua história é você quem faz. Percebe-se que o público feminino se tornou uma preocupação à parte dos órgãos de controle da Aids.

Segundo o novo relatório das Nações Unidas sobre a doença, divulgado em 23 de novembro, em todas as regiões do planeta, o número de mulheres infectadas com o vírus cresceu durante os últimos dois anos.

No Leste da Ásia, o crescimento foi o mais expressivo - 56% -, seguido dos números do Leste da Europa e da Ásia Central - 48% mais mulheres infectadas. Preocupado com este crescimento, o Governo Federal tem trabalhado no controle da doença voltado principalmente às mulheres. A intenção é aumentar o acesso a exames diagnósticos.

Uma aplicação importante do teste rápido se dá em gestantes em trabalho de parto que não tenham sido testadas para o HIV no pré-natal ou cujo resultado não esteja disponível no momento.

O resultado do teste, que sai em até dez minutos, possibilita a profilaxia medicamentosa para a infecção do HIV, o que pode reduzir de 50 a 70% a transmissão vertical do vírus. Outra aplicabilidade seria em profissionais de saúde que tenham tido exposição ocupacional de risco.

É importante mencionar que o teste rápido não é um diagnóstico confirmatório e sim de triagem, sendo o seu resultado provisório e necessitando de outra confirmação para o caso de positivo.

Transferência de tecnologia - A tecnologia para a produção do teste rápido de HIV foi adquirida por Bio-Manguinhos através de um contrato de transferência de tecnologia com a empresa norte-americana Chembio, assinado no segundo semestre de 2003 e que prevê três anos até a absorção total da tecnologia de produção, sendo em cada ano produzidos 300 mil testes de diagnóstico.

A produção nacional do teste vai gerar uma economia de cerca de 50% em comparação com o que era gasto na compra do produto importado. A transferência também vai gerar um impacto tecnológico bastante positivo, visto que irá qualificar a unidade em uma nova plataforma de produção automatizada e semi-automatizada, com maior probabilidade de sucesso técnico.

Esta tecnologia também será um ponto de partida para a área de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) obter testes para outras patologias aproveitando a mesma plataforma.

(Assessoria de comunicação da Fiocruz)

Jornal da Ciência


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos