-
Esta página já teve 132.460.671 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.704 acessos diários
home | entre em contato
 

Notícias da Dra. Shirley

Brasil deve fabricar genéricos em países pobres

07/12/2004



Proposta é da Alemanha, que pretende financiar a construção das fábricas

Jamil Chade escreve para 'O Estado de SP':

O governo da Alemanha quer financiar a construção de fábricas brasileiras de remédios genéricos nos países mais pobres do mundo. Berlim fará um convite ao governo brasileiro e às indústrias para que participem, em fevereiro, de uma primeira reunião sobre o tema.

Além do Brasil, a Alemanha busca acordos semelhantes com países como Índia e China.

'O governo está preocupado com a implementação das regras de patentes e acredita que seria necessário pensar caminhos para abrir a produção de genéricos nos países mais pobres', afirmou Frank Schiedchen, especialista em patentes do Ministério de Cooperação Econômica da Alemanha.

Berlim teme que o acordo que existe na Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre patentes não prosperará. Pelo acordo, os 48 países mais pobres do mundo podem importar genéricos de outros locais. Mas, segundo o governo alemão, as condições impostas dificultam essas ações.

A saída seria convencer países que querem fortalecer a produção de genéricos a abrir fábricas nesses locais. Mas a iniciativa não é só solidariedade. O setor farmacêutico alemão seria beneficiado. Funcionários de Berlim admitem que empresas do país poderiam fazer parte dos pacotes de financiamento, por meio de joint ventures com empresas brasileiras ou prestando assistência técnica.

Intertítulo

O Brasil já acertou a transferência de tecnologia para a fabricação de medicamentos anti-retrovirais em países da África e da América Latina, como Moçambique, Nigéria, Guiana e Venezuela. O objetivo é reduzir os custos desses governos com a compra de remédios e ajudar no tratamento das pessoas com aids. Há cerca de um mês foi fechada também cooperação com a Argentina.

Núbia Boechat, diretora de Farmanguinhos, laboratório de referência do Ministério da Saúde que produz drogas que abastecem boa parte da rede pública de saúde, contou que a instituição vem firmando acordos de transferência de tecnologia com outros países, seja como exportador ou como importador de know-how.

Ha ainda estudos para a fabricação de genéricos que prevêem a aquisição de tecnologia pelo Brasil. Até ontem Núbia não havia sido informada do financiamento do governo alemão.

Unidade da Fundação Instituto Oswaldo Cruz, Farmanguinhos é o maior laboratório do governo federal. De todo medicamento adquirido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), 80% vêm dos 18 laboratórios oficiais brasileiros. Metade sai de Farmanguinhos.
(Colaborou Roberta Pennafort)

(O Estado de SP, 5/12)

Jornal da Ciência SBPC


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos