Hematologia/Sangue - Anemia falciforme-saiba um pouco...
Esta página já teve 115.274.626 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.724 acessos diários
home | entre em contato
 

Hematologia/Sangue

Anemia falciforme-saiba um pouco...

01/01/2005
 

O que é anemia falciforme

Autor: SOPERJ - 21/10/2004
Fonte: SOPERJ

O nosso sangue é formado de células vermelhas chamadas de hemácias. As hemácias são células redondas repletas de um pigmento que dá a cor vermelha do sangue chamado Hemoglobina. Esta hemoglobina chama-se A de adulto. A hemoglobina e o ferro são responsáveis por levar o oxigênio do pulmão para todo o corpo para que todos os órgãos funcionem bem . Vocês já ouviram falar muitas vezes em anemia. A anemia é a diminuição da hemoglobina no sangue. Na maioria das vezes esta diminuição ocorre por falta de ferro no sangue que faz com os órgãos não recebam a quantidade suficiente de oxigênio e não possam desempenhar bem suas funções. .A hemoglobina A e o ferro têm uma função muito importante. Se uma pessoa não tem uma alimentação adequada ou tem verminose ou tem perda de sangue cronicamente ela pode ter anemia por falta de ferro.



Hemácia com Hemoglobina A



Mas existe um outro tipo de anemia chamada ANEMIA FALCIFORME. É uma anemia que acontece porque a pessoa não tem a hemoglobina A.e no seu lugar produz outra hemoglobina diferente daquela e chamada S. A hemoglobina S não exerce a função de oxigenar o corpo de forma satisfatória, fazendo com que a pessoa tenha uma anemia crônica que não se corrige nem com alimentação nem com ferro. Nestas pessoas as hemácias em vez de redondas tomam a forma de meia lua ou foice. Estas células afoiçadas tem muita dificuldade de passar pelas veias que levam o sangue para os órgãos levando ao seu entupimento e muitas dores principalmente nos ossos.



Hemácia afoiçada repleta de Hemoglobina S



Porque essa doença é tão comum no nosso meio?

Cabe aqui contar um pequena história .

Há muitos anos na África a malária matava muitas pessoas. A mãe natureza resolveu proteger seus filhos da morte pela malária provocando uma alteração genética que chamamos de mutação, alterando a informação que vem no gen fazendo com que as pessoas que tivessem esta alteração em vez de produzir a hemoglobina A produzissem a Hemoglobina S . Assim quem tivesse na hemácia esta hemoglobina S não seria infectado pela malária e com isto diminuiu muito a morte por esta doença. Em virtude da imigração forçada, isto é, tráfico de escravos e dos movimentos populacionais em busca de melhores condições de vida esta mutação se espalhou pelo mundo. No Brasil por ter recebido uma grande população de escravos e pelo alto grau de mistura de raças temos muita gente com anemia falciforme principalmente nos afrodescendentes.





Como essa doença se transmite?

A Anemia Falciforme é a doença hereditária mais comum no mundo e no nosso país . Todas as nossas características do nosso corpo são feitas por informações que recebemos dos nossos pais através dos genes que vem no espermatozóide do pai e no óvulo da mãe. É assim a cor dos olhos, do cabelo, da pele, a altura e etc. A hemoglobina não é diferente. Se recebermos um gen com a mutação para produzir a hemoglobina S do pai e outro da mãe nascemos com um par de genes com a mutação e assim temos a anemia falciforme.


Mas o que é o traço falciforme?

Se recebermos somente um gen com a mutação seja do pai ou da mãe e o outro gen sem a mutação nascemos com somente o traço falciforme. O portador de traço falciforme não tem doença e não precisa de tratamento especializado. Pode ter vida normal, assumir a profissão que quizer, praticar qualquer esporte. Ele deve ser bem informado sobre isso e saber que se tiver filhos com outro portador de traço falciforme poderá nascer uma criança com a anemia falciforme, ou com traço ou sem nada. Vejamos:







O que sente uma pessoa com anemia falciforme?

As pessoas com anemia falciforme tem sintomas muito variados. Eles podem não ter quase nenhum sintoma, com poucas ou nenhuma transfusão, e portanto excelente qualidade de vida. Mas tem algumas pessoas que mesmo com acompanhamento médico adequado tem crises da doença muito graves com crises de dores ósseas, na barriga , infecções de repetição às vezes muito graves podendo levar a morte.

Alguns doentes podem fazer crises de anemia mais intensa e mais rápida necessitando de várias transfusões de urgência. As crises variam de gravidade e de tipo conforme a idade da pessoa. Os bebes tem mais infecções e dores com inchaço nas mãos e pés. Nas crianças maiores as dores são mais nas pernas, braços e barriga. Em alguns doentes pode chegar a ter derrame cerebral com lesões graves e definitivas. No dia a dia as crianças são pálidas e muitas vezes tem o branco dos olhos amarelados que chamamos de icterícia.

Nos adultos as crises mais freqüentes também são de dores nos ossos e complicações devido ao dano ao longo de sua vida aos órgãos mais importantes como fígado, pulmão, coração e rim. Nesta idade também é comum o aparecimento de úlceras de pernas que são machucados graves de difícil cicatrização.




Crise de dor nos pés ( bebês)



Aumento do baço



Úlcera de perna




Quais os cuidados necessários para uma pessoa com anemia falciforme ?

Quando descoberta a doença, o bebê deve iniciar um acompanhamento médico adequado baseado num programa de atenção integral ao doente com anemia falciforme. Neste programa os pacientes devem ser acompanhados por toda a sua vida por uma equipe multiprofissional. Esta equipe é treinada no tratamento da anemia falciforme em orientar a família e o doente a descobrir rapidamente sinais de gravidade da doença, a tratar adequadamente as crises quando presentes e a praticar medidas para prevenir as crises da doença e infecções graves. Ela é formada por médicos, enfermeiras, assistentes sociais, nutricionistas, psicólogos, dentistas e etc. Além disto as crianças devem ter seu crescimento e desenvolvimento acompanhados como é feito com todas as outras que não tem a doença.


Quanto tempo vive uma pessoa com anemia falciforme?

A ciência avançou muito no conhecimento da doença e seu tratamento adequado. O tempo e qualidade de vida das pessoas com a doença dependem do diagnóstico feito logo ao nascer pelo teste do pezinho, do início da atenção integral e do envolvimento da família com o conhecimento sobre a doença e adesão ao tratamento proposto.


O diagnóstico só é feito pelo teste do pezinho?

Não, mas o ideal é que toda criança na primeira semana de vida vá ao posto de saúde para tomar as vacinas de BCG e Hepatite B e colher as gotinhas de sangue do pé para fazer o teste do pezinho. Este teste não é feito somente para a anemia falciforme, nele estão incluídos mais duas doença : a fenilcetonúria e o hipotireoidismo congênito




Teste do pezinho para Anemia falciforme



Para os que não fizeram o teste do pezinho, existe o teste de afoiçamento e o teste da mancha como exames de triagem e a eletroforese de hemoglobina como exame confirmatório.



Eletroforese de hemoglobina



È importante conhecermos a Anemia Falciforme porque ela está muito presente na nossa população e como foi dito anteriormente quanto mais cedo o diagnóstico melhor a qualidade e o tempo de vida dessas pessoas. Estes são os resultados do teste do pezinho nos três estados onde a anemia falciforme é mais presente.

- Minas Gerais e Rio de Janeiro:

A cada 1200 crianças que nascem uma tem doença falciforme
A cada 23 crianças que nascem uma tem o traço falciforme

- Bahia:

A cada 500 crianças que nascem uma nasce com doença falciforme
A cada 15 crianças que nascem uma nasce com traço falciforme


O programa de atenção integral é uma reivindicação antiga do movimento de homens e mulheres negras. O nosso país tem uma grande dívida social com os afrodescendentes que em sua grande maioria pertencem aos segmentos sociais de maior risco. A Anemia falciforme não tem cura. Ela tem tratamento que permite dar ao doente o direito a uma vida com qualidade e à família conforto e segurança.

www.soperj.org.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
kill yourself rogue.