AIDS / HIV - HIV mais letal pode ter se espalhado
Esta página já teve 132.474.756 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.706 acessos diários
home | entre em contato
 

AIDS / HIV

HIV mais letal pode ter se espalhado

15/02/2005


Centro de Pesquisa norte-americano estuda vírus da Aids isolados em dois pacientes

Lawrence K. Altman escreve para o 'New York Times':

Vírus da Aids isolados em dois pacientes estão sendo estudados para que se determine se pertenceriam ao raro e potencialmente mais agressivo subtipo de HIV detectado em um paciente em Nova York na última sexta-feira, anunciaram ontem cientistas envolvidos no estudo.

Muitos testes ainda precisam ser feitos para que se determine se o subtipo encontrado nessas três pessoas seria o mesmo, afirmou David Ho, diretor do Centro de Pesquisa em Aids Aaron Diamond, que está conduzindo alguns dos testes junto com a secretaria de Saúde de Nova York.

Alguns resultados estarão disponíveis em poucas semanas, disse o especialista, mas outros ainda demoram.

Mesmo que se confirme que se trata do mesmo subtipo de HIV, isso não significa necessariamente que o mundo está diante de um supervírus.

Fatores genéticos dos pacientes podem fazer com que a infecção progrida mais rapidamente do que o normal.

Testes feitos no paciente de Nova York (e que deflagraram a investigação) mostraram que o seu subtipo é resistente a 19 das 20 drogas anti-retrovirais usadas no tratamento da doença. Especialistas afirmaram ainda que o subtipo teria levado à uma rápida progressão da doença.

Foi dito também que o sistema imunológico do paciente poderia estar debilitado em razão de um histórico de uso de drogas. O anúncio foi feito pelo secretário de Saúde de Nova York, Thomas R. Frieden.

Exames mostraram que o HIV do paciente era muito distinto dos subtipos que circulam normalmente em Nova York.

Agora, a equipe de Ho está testando um vírus isolado num homem que teria se infectado antes de se tornar parceiro sexual do homem de Nova York.

Eles mantiveram relações em outubro, poucas semanas antes de o homem de Nova York adoecer, tornando o parceiro 'uma potencial fonte' do vírus, segundo Ho.

A segunda amostra de vírus que está sendo estudada é de um paciente não identificado de San Diego que também teria se infectado antes do homem de Nova York.

Ele foi localizado a partir de arquivos médicos e seu subtipo de vírus teria um padrão similar ao do isolado em Nova York.
(O Globo, 15/2)

Jornal da Ciência


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos