-
Esta página já teve 135.318.629 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.662 acessos diários
home | entre em contato
 

Teen/Hebeatria/Adolescência/Jovem

Cólica menstrual

26/03/2005

A cólica menstrual também é chamada de dismenorréia. A maioria das mulheres sente cólicas menstruais em algum período de suas vidas. Elas podem variar de leves a severas. Também podem diferir mês a mês, ano a ano. A dor sentida durante a cólica menstrual pode ser acompanhada de dor nas costas, fadiga, vômitos, diarréia e dores de cabeça. Pode ser intensificada pelo inchaço pré-menstrual ( retenção de água ).

Causas

Existem dois tipos de cólica menstrual - primária e secundária. A primária geralmente ocorre em mulheres que recém começaram a menstruar, e pode desaparecer ou se tornar mais leve quando a mulher atinge a idade de 23-25 anos ou quando dá à luz ( o parto estira o útero ). Acredita-se que as cólicas menstruais chamada de prostaglandinas são compostos químicos que existem naturalmente no corpo. Algumas prostaglandinas promovem a contração dos músculos do útero.

A dismenorréia ocorre com menor freqüência em mulheres que não ovulam. Por este motivo, os anticoncepcionais orais (pílulas) diminuem as cólicas em 70-80% das mulheres que o tomam. Quando o uso da pílula é interrompido, a mulher geralmente volta a ter o mesmo nível de cólica que tinha anteriormente.

A dismenorréia secundária ocorre em conseqüência de outras alterações do sistema reprodutor, como os miomas, endometriose, cistos de ovário e, raramente, câncer. O DIU ( dispositivo intra-uterino ) também pode provocar cólicas, principalmente se a mulher nunca tiver tido filhos. A exceção é o DIU que libera pequenas quantidades de progesterona dentro do útero, o que ajuda a diminuir a cólica e o fluxo de sangue durante a menstruação.

Perguntas a fazer

    Suas menstruações têm sido especialmente dolorosas após colocação do DIU?

    seta_sim.gif (1030 bytes) img_socorro.gif (1741 bytes)

    seta_nao.gif (1054 bytes)

    Você tem algum sinal de infecção, febre e saída de secreção com odor ruim da vagina? Você tem fezes enegrecidas ou com sangue?

    seta_sim.gif (1030 bytes) img_socorro.gif (1741 bytes)

    seta_nao.gif (1054 bytes)

    Para mulheres ainda capazes de dar à luz: Você teve uma menstruação mais abundante do que o normal ou a sua menstruação está mais de 1 semana atrasada?

    seta_sim.gif (1030 bytes) img_socorro.gif (1741 bytes)

    seta_nao.gif (1054 bytes)

    A dor é intensa? Você costuma ter menstruações com cólicas há anos mas agora passou a sentir cólicas mais severas?

    seta_sim.gif (1030 bytes) img_socorro.gif (1741 bytes)

    seta_nao.gif (1054 bytes)

    Você continua sentindo cólica, mesmo após o final da menstruação?

    seta_sim.gif (1030 bytes) img_socorro.gif (1741 bytes)

    seta_nao.gif (1054 bytes)

    img_autocuidado.gif (1688 bytes)

Dicas de autocuidado

  • Durante a menstruação, tome ibuprofeno ou naxopreno de sódio conforme orientação da bula, para diminuir a dor e inibir a liberação das prostaglandinas. O acetaminofen diminui a dor, mas não as prostaglandinas. A maioria dos medicamentos para cólica do mercado contém acetaminofen. Leia os rótulos. ( Veja "Analgésicos" em "Farmácia em Casa" ).
  • Beba uma xícara de chá comum, de camomila ou de menta, quente.
  • Coloque uma bolsa de água quente ou bolsa térmica sobre o abdome ou sobre as costas.
  • Tome um banho quente.
  • Massageie delicadamente o seu abdome.
  • Faça exercícios leves como: alongamento, yoga, caminhada ou andar de bicicleta. O exercício pode aumentar o fluxo de sangue e reduzir a dor pélvica.
  • Repouse bastante e evite situações estressantes.
  • Para controle da natalidade, considere a possibilidade de usar pílula, pois esta bloqueia a produção de prostaglandinas, ou o DIU com progesterona, que diminui a cólica menstrual.

Pergunte ao seu médico sobre a indicação e necessidade de suplementação de vitamina B6.

Se após adotar as medidas acima, você continuar sentindo dor, procure o seu médico.

LINCX


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos