- Trombose Venosa Profunda (TVP) dos Membros Inferiores
Esta página já teve 132.476.260 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.702 acessos diários
home | entre em contato
 

Vascular/Cirurgia Vascular/Circulação

Trombose Venosa Profunda (TVP) dos Membros Inferiores

26/03/2005
 
 


 
 
O que é?

          É a formação de trombos - coágulos - nas veias profundas dos membros inferiores, impedindo o retorno do sangue das pernas para o coração.
 


 
Por que ocorre?

          Resultante de três alterações principais:

          1. Alteração da parede vascular – lesão do endotélio

          Ocorre quando há agressão direta da parede da veia (trauma, cateterismo, injeção endovenosa, trombose prévia) ou por compressão extrínseca. Inclui-se também nesse grupo os pacientes portadores de varizes nas pernas.  

          2. Alteração do fluxo sangüíneo – estase venosa

          Ocorre quando há fluxo sangüíneo mais lento que o habitual, favorecendo a formação de trombos. Aparecem como fatores de risco a imobilização por tempo prolongado, seja por cirurgia (cardíaca, ortopédica, ginecológica ou urológica), ou por doença que limite ou impossibilite a marcha; Insuficiência cardíaca, obesidade, anestesia geral, entre outros. 

          3. alteração dos componentes do sangue – hipercoagulabilidade

          Ocorre quando há alteração nos fatores da coagulação sanguínea, na forma adquirida ou congênita. Pode haver aumento dos fatores da coagulação, assim como diminuição dos inibidores da coagulação e da atividade fibrinolítica. Aparecem nesse grupo o uso de anticoncepcionais orais (pílulas), o estado pós-parto, o câncer e as coagulopatias por deficiência congênita dos fatores da coagulação.
 


 
Como se manifesta?

          A presença do trombo dentro da veia produz manifestações por três mecanismos, basicamente: obstrução, inflamação e desprendimento. Podemos encontrar com mais freqüência a dor espontânea e à palpação pela distensão da parede venosa; o edema ou inchaço da extremidade acometida e aumento da consistência muscular (empastamento), devido ao aumento da pressão venosa.
 


 
Como diagnosticar?

          As manifestações clínicas nem sempre estão presentes de forma exuberante na TVP, e muitas vezes esta doença não é diagnosticada. Atualmente dispomos da flebografia e da ecografia (ecodoppler venoso colorido) para nos certificarmos do diagnóstico. A flebografia continua sendo o padrão ouro, apesar de ser um método invasivo e que se utiliza de contraste para a sua execução. Entretanto, cada vez mais o ecodoppler vem se constituindo no exame de primeira escolha para confirmar TVP, por não ser invasivo e de mais fácil realização.
 


 
Qual o tratamento?

          O tratamento consiste em medidas gerais que incluem o repouso com os membros inferiores elevados acima do nível do coração e terapia específica de anticoagulação. Utiliza-se no momento da suspeita clínica a heparina endovenosa seguida de terapia anticoagulante oral com antagonistas da vitamina K.

          O uso de fibrinolíticos e cirurgia (trombectomia) restringe-se a casos selecionados e de evolução não favorável com o tratamento convencional. Atualmente está se utilizando cada vez mais as aplicações subcutâneas de heparina de baixo peso molecular como anticoagulante.
 


 
Como prevenir

  • Controle seu peso
  • Pratique exercícios físicos regulares e sob orientação
  • Abandone o tabagismo
  • Utilize meias elásticas de compressão venosa se você passa muitas horas do dia de pé
  • Faça períodos de repouso com as pernas elevadas
  • Após o banho, faça massagens do pé em direção à coxa (seque as pernas de baixo para cima)
  • Procure um cirurgião vascular se possui varizes, se já teve trombose no passado ou se tem história de doenças venosas na família.
 
   
www.drgate.com.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos