-
Esta página já teve 134.598.189 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.670 acessos diários
home | entre em contato
 

Endocrinologia/Glândulas

Tireóide

26/03/2005

 

Glândula endócrina dos vertebrados, situada em seu pescoço. Sua principal função é a secreção de dois hormônios derivados do aminoácido tironina: a tiroxina (ou tetraiodotironina - T4) e a triiodotironina (T3), que aumentam a velocidade das reações químicas em quase todas as células do organismo. Elevam, dessa forma, o nível geral do metabolismo corporal. A tireóide localiza-se exatamente na região cervical do pescoço, na frente da traquéia, e compõe-se de dois lobos unidos por um istmo. De origem endodérmica, desenvolveu-se, evolutivamente, a partir de uma porção do tubo digestivo. Histologicamente, a tireóide é formada por células epiteliais cubóides que, em camadas simples, delimitam os folículos tireoideanos. Estes folículos são cavidades globosas preenchidas por colóide (o hormônio). Além das células epiteliais encontram-se na tireóide pequenos amontoados de células claras e ricas em mitocôndrias. São as chamadas células C ou células parafoliculares, cuja função é a secreção de calcitonina, hormônio que promove a deposição de cálcio nos ossos, diminuindo a concentração de cálcio no sangue. No homem, os folículos tireoideanos tem cerca de 0,5 mm de diâmetro. Todavia, este diâmetro varia grandemente de acordo com a região da glândula e sua atividade funcional. Encontramos, em uma mesma glândula, vesículas grandes e cheias de colóide e vesículas pequenas, praticamente vazias. Neste último caso, ao invés de epitélio cúbico, há epitélio prismático delimitando os folículos. De modo geral, a altura das células epiteliais foliculares é diagnóstica do grau de atividade da glândula. Células baixas indicam pouca atividade. Quando é administrada ao animal alguma droga que estimule a produção de hormônio tireotrófico (hormônio produzido pela hipófise e que, na tireóide, estimula a produção de tiroxina e triiodotironina), observa-se um aumento da altura das células epiteliais foliculares, indicando sua atividade. Envolvendo a tireóide existe uma cápsula de tecido conjuntivo frouxo, constituído especialmente por fibras reticulares, que emite septos para o interior da glândula. Estes septos, mais delgados na parte central da glândula, alcançam todos os lobos, separando-os. A tireóide é ricamente vascularizada e as células endoteliais dos capilares sanguíneos apresentam-se densamente fenestradas, o que facilita a passagem do hormônio da glândula para o sangue. A inervação da tireóide é simpática e parassimpática. Assim, o sistema nervoso participa do controle da secreção hormonal. Este controle, contudo, é realizado principalmente através do hormônio tireotrófico liberado pela hipófise. A tireóide é a única glândula endócrina que acumula grandes quantidades de seu produto. No ser humano, por exemplo, estima-se que o colóide armazene uma quantidade de hormônio suficiente para suprir as necessidades do organismo por vários (até 10) meses. A síntese dos hormônios da tireóide ocorre em várias etapas: 1. síntese da tireoglobulina (precursora dos hormônios), 2. captação de iodeto do sangue, 3. ativação do iodeto, e, 4. iodação dos radicais tirosina da tireoglobulina. A etapa final (iodação da tiroglobulina) ocorre no interior das vesículas coloidais, todas as outras etapas ocorrem intracelularmente, nas células epiteliais do folículo. Antes de serem liberados para a corrente sangüínea, os hormônios tireoideanos passam novamente pelas células epiteliais, onde a tireoglobulina é digerida. Somente depois desta digestão é que a tiroxina (T4) e a triiodotironina (T3) são secretadas para o sangue. Dos dois compostos, a tiroxina é o mais abundante, perfazendo cerca de 90% do hormônio tireoideano circulante. Quando o indivíduo sofre de carência alimentar de iodo, os hormônios tireoideanos não são sintetizados adequadamente. Resulta um crescimento exagerado da glândula, chamado de bócio, muito comum em certas regiões do Brasil (ex. Goiás e Minas Gerais). A iodação do sal de cozinha comercializado tem por objetivo combater a incidência do bócio na população.

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos