gastronomia - O universo do charuto
Esta página já teve 132.524.128 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.702 acessos diários
home | entre em contato
 

gastronomia

O universo do charuto

15/04/2005
7 Mitos



13/abril/2005


Por: Cesar Adames

     O universo do charuto é cheio de histórias, prazeres e mitos. Alguns deles são repetidos tantas vezes que acabam sendo aceitos por quem está começando a fumar. Selecionamos os sete mitos mais comuns e temos a explicação para cada um deles.

Mito 1 - O bom charuto é enrolado nas coxas das cubanas/baianas.
Este é o mito mais conhecido e citado por todos. Toda vez que estou conversando com um grupo de iniciantes, sempre vem alguém com esta frase. Para fazer um charuto é preciso de uma superfície plana e dura, de preferência uma madeira que permita o corte das folhas com a chaveta (instrumento usado no corte na linha de produção). O único momento que a folha entra em contato com a coxa da cubana/baiana é quando ela abre a folha que recebeu da plantação para efetuar a classificação das mesmas logo que o fumo chega à fábrica.

Mito 2 - Quanto mais escura a capa mais forte o charuto.
Outro mito que visualmente está certo. O fumo escuro é normalmente mais forte que o fumo claro, porém o que dá força ao charuto é o miolo, normalmente composto por 4 a 7 folhas. Se as folhas de miolo forem claras e a capa escura o charuto será suave. Se o miolo tiver folhas escuras e a capa for clara com certeza ele será muito mais forte. Na dúvida consulte o vendedor da tabacaria onde costuma comprar seus charutos.

Mito 3 - Molhar o charuto na bebida que está acompanhando a degustação.
Freqüentemente sou questionado se molhar o charuto no Cognac, Rum ou Vinho do Porto não é uma boa opção. Costumo dizer sempre que gosto não se discute, mas argumento que ao molhar o charuto no líquido estamos aumentando a quantidade de líquido na ponta do charuto (já temos nossa própria saliva). Isso faz com que a ponta comece a se fechar dificultando o fluxo e deixando o charuto mais forte. Existe ainda a possibilidade de literalmente entupir o charuto impossibilitando a continuidade da degustação.

Mito 4 - O charuto deve ser previamente aquecido antes de ser fumado.
Este é um mito que felizmente tem poucos seguidores. Algumas pessoas têm o costume de aquecer o charuto inteiro com a chama de um fósforo ou isqueiro com o objetivo de reduzir a umidade. Se o charuto estiver úmido demais a melhor opção é deixar ele fora do umidor. Ao aquecer um charuto com a chama o que pode acontecer é o contrário, deixar ele seco demais ou ainda queimar a folha de capa, portanto evite este procedimento.

Mito 5 - Charuto é coisa de milionários e grandes banqueiros.
Este é um mito que felizmente está acabando. Hoje é possível encontrar bons charutos nacionais por R$ 12,00 a unidade. Até mesmo os cubanos, sempre mais caros, têm algumas marcas e formatos mais em conta.

Mito 6 - Quanto mais fino e longo o charuto mais suave.
Muitos acreditam que quanto mais fino o charuto mais suave ele será. Normalmente os charutos mais finos são mais compactados na sua elaboração e por isto mais difíceis de puxar a fumaça. Charutos com diâmetro maior, em torno de 2 cm de diâmetro, como os formatos Corona Gorda e Robustos têm um fluxo muito mais fácil. O comprimento do charuto só está relacionado ao tempo que dispomos para fumá-lo.

Mito 7 - Perdi meus charutos, pois eles estão todos secos.
Charutos secos podem ser reumidificados se colocados no umidor a uma temperatura de 16oC a 18oC com umidade de 65% a 70%. Este processo pode ser feito sem nenhum problema uma vez. Caso isto torne a acontecer o procedimento é o mesmo, mas o sabor final pode ser alterado.

MSN


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos