Alternativa/Fitoterapia/Acupuntura - Objetivos em arteterapia
Esta página já teve 132.482.052 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.703 acessos diários
home | entre em contato
 

Alternativa/Fitoterapia/Acupuntura

Objetivos em arteterapia

24/05/2005

ARTE TERAPIA

Tem por objetivo refletir e debater sobre a importância da Arte como fator de promoção de Saúde e Transformação Social na passagem do Milênio. Arteterapia é a arte pela arte, deixa a criação em segundo plano, para analisar acima de tudo o processo de criação do paciente (pintura, desenho, teatro, etc) Fundamenta-se em Artes em todos os níveis e Técnicas de Terapias diversas (Psicologia, Psicanálise, etc.) Alguns trabalhos dão ênfase ao Psicodrama, muito utilizado em Artes Cênicas e em algumas linhas de Psicanálise. Esta linha de terapia (Psicodrama) pode tratar todos os distúrbios de aprendizagem, alguns comportamentais e é muito útil em terapias anti toxicomania (drogas/álcool) e terapia de casais.


Arteterapia, alquimia e saúde social
A arte sempre esteve presente no universo humano desde os primórdios dos tempos (tomemos como exemplo as pinturas rupestres nas paredes das cavernas do Homem primitivo) até os dias de hoje, nas suas mais diferentes manifestações plásticas, promovendo formas de expressão, comunicação, ritual, liberdade criativa e possibilidades de cura e harmonia interior em um processo de estimulação de idealizações rumo à concretização e realização através da organização emocional. Durante esse processo, há uma ativação da circulação da energia psíquica e física, o que nos traz saúde e desenvolvimento em todos os sentidos.
Os materiais e técnicas são instrumentos alquímicos que facilitam esse processo criativo transformador do mundo interno e externo harmoniosamente unido, conduzindo a uma ampliação da visão consciente, abrindo novas possibilidades de criação e realização de ideais. É como se colocássemos a mão na massa para nutrir, semear uma idéia até que a forma faça sentido, trazendo uma iluminação consciente. O processo de Arteterapia facilita o contato com a percepção e órgãos sensoriais, integrando a sabedoria intuitiva, os sentimentos inscritos na memória corporal e psíquica e o nível racional adequado para a organização e discernimento das escolhas, prioridades e idéias.
A arte e a expressão vêm fazendo história, marcando épocas, gerações, pensamentos, sensações e sentimentos. A arte acompanha o Homem e age como importante agente curativo de nossos desequilíbrios, atualizando situações negativas em nossos registros mentais, aumentando as possibilidades do desenvolvimento da personalidade.
Em geral, as dificuldades pessoais e da sociedade são direcionados para outras pessoas. O processo arteterapêutico auxilia a proximidade com o universo interior e a relação com o mundo, ampliando a compreensão da consciência, o que nos permite maior flexibilidade no olhar, criar e melhor direcionar atitudes e pensamentos. Então, passamos a ter mais chance de resolver situações pendentes que são ao mesmo tempo atuais e sementes de futuros caminhos.
Quando encontramos a possibilidade de caminhar em direção ao equilíbrio, autocompreensão e estima, ocorre maior possibilidade de transformações da personalidade que está sempre em processo de lapidação e evolução - pedra filosofal. Dessa forma, os relacionamentos e toda a rede social também se transformam rumo a uma melhor qualidade de vida nas relações e na sociedade. Quem não sonha com uma sociedade mais harmoniosa e saudável??? Essa possibilidade de transformação pertence também ao estímulo e comprometimento pessoal. Crie e multiplique bons pensamentos em todos os momentos!!!

E a arteterapia chegou ao Brasil
O uso da expressão estética (desenho, pintura, modelagem, música, dança, construções, drama) no diagnóstico e no trabalho psicoterápico já é algo sedimentado na Psicologia Clínica (desde aproximadamente 1940) e na academia (cursos de extensão, aperfeiçoamento, especialização e Pós Graduação em nível de mestrado). Com a Associação brasileira dos Terapeutas da Arte far-se-á uma tentativa de incluir a cadeira de Arteterapia na Universidade Brasileira. Vale a pena tal inclusão? Quais mudanças esta traz à realidade do clínico?. A Musicoterapia, a Dançaterapia e aArteterapia são métodos bem fundamentados que combinam bem com a expressividade do brasileiro em geral. Nossa alma é calorosa, forte, expressiva e a arte tem ajudado a trabalhar eficazmente nosso povo. Onde? Como? A Arteterapia é utilizado em instituições de Reabilitação Física como AACD e outros, Deficiência Mental como APAE e outras, Hospitais Psiquiátricos como Juqueri, Hospital das Clínicas, Pinel e outros, Hospitais de Clínica Geral com clínica de queimados e mutilados, setores das doenças degenerativas como Câncer, AIDS, Esclerose Múltipla, Alzheimer, etc. O centro de referência de São Paulo (AIDS) possui psicólogos trabalhando com artes com múltiplas funções (SIC). Na clínica privada, em consultórios, a arte tem sido excelente instrumental nas terapias sexuais, familiares e nos problemas do dia a dia, principalmente nos casos de dificuldade de comunicação verbal oral. Na história da Psicologia o uso da expressão das emoções, sentimentos, idéias através do desenho nas sessões iniciou-se com Jung e este material foi profundamente estudado também através das técnicas projetivas (H.T.P., Psicodiagnóstico de Rorschach, Teste da Figura Humana e tantos outros). Nós temos um teste gráfico de auto-imagem, no prelo. É na ludoterapia e na análise de crianças que a arte é fundamental uma vez que a verbalização, na criança se estabelece ao redor dos 3 anos apenas.

Benefícios da Terapia pela Arte
Arteterapia através da arte tem alguns benefícios como:
1 - Melhora a comunicação consigo mesmo e com o outro;
2 - O cliente se independentiza do terapeuta pois é ativo, cria nas sessões;
3 - O tempo do tratamento é menor pois a transferência é reduzida, a atividade diminui o valor desta;
4 - Favorece a busca da harmonia e do equilíbrio da vida;
5 - Facilita o diagnóstico propiciando leitura de material pré e inconsciente através de imagens pictórias, sonoras, táteis e cinestéricas.
6 - Aumenta a espontaneidade e a criatividade positivamente orientadas.
A Terapia pela Arte não necessariamente se fixa nos limites clássicos da psicoterapia através da linguagem artística. Na Fonoaudiologia, Fisioterapia, Psicopedagogia, Psicomotricidade, Terapia Ocupacional a arte também é utilizada sendo aí Terapia pela Arte. Cabe ao psicólogo somente a ele o psicodiagnóstico e a psicoterapia através da arte. Em todas as escolas a arte tem desempenhado papel importante ao criar uma possibilidade existencial inédita que é a da estética no contexto terapêutico. Os professores de arte lucram com estes ensinamentos. Meta-realidade? Meta-linguagem? Comunicação averbal apenas?


Perigos de Terapia pela Arte
Quais os perigos da Terapia pela Arte? Alguns deles exigem cautela pois:
1 - O cliente gosta tanto do trabalho arteterapêutico que não quer parar, confundindo a Psicoterapia (tratamento) com o prazer da auto-expressão. Melhor terminar o tratamento e encaminhar à aula de arte;
2 - Pode ocorrer fixação na criação estética ao invés de no real. Nossa tarefa é tratar e não transformar nossos clientes em artistas. Esta é a função do arte-educador;
3 - Em prol da estética, confundir noções de saúde. Exemplo: atrizes, manequins, modelos, bailarinos que, em função de modismos, sacrificam seu equilíbrio interior e sua saúde física. Os modelos estéticos costumavam ser os mesmos dos da saúde na Grécia antiga. Atualmente é difícil a manutenção desta relação pois a estética teve diversas modulações;
4 - Estimular o imaginário sem produzir criações consistentes;
5 - Fugir do real em direção à criação estética sem integrar o que ocorre para aprender a viver melhor.
Isto destaca a importância do Terapêuta da Arte ser antes de mais nada, um bom Clínico e paralelamente ocorrer o aprendizado do manejo do instrumental da criação e expressão estética (Desenho, Pintura, Modelagem, Música, Canto, Dança, etc).

Do sofá, da poltrona, à sala arteterapêutica

Qual é o novo setting? Deverá o arteterapeuta ter a sua disposição uma escola de artes? A especialização em dançaterapia, musicoterapia e arteterapia permite que o terapeuta escolha sua linguagem predileta. Caso o clínico opte pela polivalência uma sala de 120 metros quadrados será suficiente. A introdução das técnicas, dos materiais e dos settings arteterapêuticos muito modificou a psicologia clássica o que importa e que os cursos atuais incluam subsídios para a formação de técnicos aptos no manejo destas técnicas e destes métodos.
A vantagem do aprendizado do núcleo arteterapêutico e sua adaptação as diferentes abordagens da psicologia clínica: psicodinâmica, existencial, holísticas, transpessoais, etc. As propriedêuticas dos materias requerem do psicólogo noções de bioquímica, física e mecânica quântica. No desenvolvimento de nossos projetos de Eco-Cultura observamos o poder estimulatório de cada reino da natureza confirmando a importância das qualidades terapêuticas dos materiais (medicamentos) fazendo a autora criar o termo propriedêutica dos materiais no contexto arteterapêutico. Desta forma além dos materiais escolares básicos a inclusão de cristais de rocha, sementes, palhas e fibras de vegetais devem ser feitos com a consciência de suas propriedades diante do sujeito nas sessões. Confessamos que foi através do estudo da multidisciplinaridade e das diferentes abordagens que tal conhecimento vem sendo por nós desenvolvido. Concluímos que o conhecimento é cumulativo. A mola propulsora do processo e o gesto criativo contido na expressão na observação, na cópia, no mimetismo, na repetição ou na contrução de imagens cinestésicas, plásticas e sonoras.
A Arteterapia, utilizada no contexto Behaviorista, Gestáltico ou Transpessoal só tem sentido ao nosso ver, quando o homem for visto na sua concepçãointegradora: a arte, ciência, religião, saúde, educação, filosofia, lazer, etc. caminham juntos. Cabe ao psicólogo a compreensão do que ocorre quando seu cliente desenha, pinta, modela etc. Cabe ao crítico de arte avaliação das obras dos artistas. A apreciação estética na terapia tem finalidades pedagógicas ou terapêuticas bem estabelecidas, que permeiam a escolha da obra a ser apreciada. No decorrer do processo arteterapêutico quem cria é o cliente. O terapeuta deve colocar em suspensão suas criações estéticas pessoais. A não ser em casos de observação participante o terapeuta deve resguardar o si mesmo nas sessões. Mesmo nas construções ao ar livre ou em sala fechada a função do técnico é de propiciar que a obra ocorra. Nossa experiência na clínica, na sala de aula, nos eventos interativos corrobora nossa afirmação.
E a criatividade do Arteterapeuta ? Devemos perguntar a serviço de quem ela está: do si mesmo, ou do outro? Há momentos para o auto-desenvolvimento e há momentos da criação a serviço do outro.

Institutos ligados:

Universidade São marcos

Pontifícia Universidade Católica- PUC-SP

Maria Alice do Val Barcellos (Val), Artista plástica, formada pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Licenciada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em Desenho, História da Arte e Educação Artística. Arteterapeuta pelo Instituto Sedes Sapientiae. Professora e Coordenadora do Curso de Arteterapia do mesmo Instituto. Desenvolve e acompanha trabalhos em ateliê particular, individual e em grupos.

 

Ateliê Val Barcelos

 

Rua Teffé, 192. Perdizes

 

São Paulo- SP- 01251-050

 

Informações: 11- 3864-7699

 

e-mail: val.ma@uol.com.br

 

 

http://paginas.terra.com.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos