Pneumologia/Pulmão - Drenagem da secreção subglótica como prevenção contra pneumonia associada a ventilação mecânica
Esta página já teve 117.085.313 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.654 acessos diários
home | entre em contato
 

Pneumologia/Pulmão

Drenagem da secreção subglótica como prevenção contra pneumonia associada a ventilação mecânica

29/05/2005

Subglottic secretion drainage for preventing ventilator-associated pneumonia: a meta-analysis
Dezfulian C, Shojania K, Collard HR et al.
Am J Med 2005;118:11-18

Introdução

A pneumonia associada a ventilação mecânica (PAV) tem alta prevalência nas UTIs e, pelo impacto que determina na evolução dos pacientes, é alvo de diferentes estratégias que tentam prevenir sua ocorrência. Neste estudo os autores fazem uma metanálise para avaliar o papel da drenagem das secreções subglóticas na prevenção da PAV.

Métodos

Selecionaram-se para a metanálise os estudos prospectivos e randômicos de comparação entre aspiração rotineira das secreções subglóticas versus nenhuma medida nesse sentido, publicados entre 1996 e 2003. Eles avaliaram a incidência de PAV em cada um dos grupos. Além dessa variável primária, outras foram estudadas: tempo de permanência na UTI e de internação hospitalar, duração da ventilação mecânica e tempo de intubação até o diagnóstico da PAV.

Resultados

A partir da seleção inicial de 110 estudos, apenas cinco preencheram os critérios de inclusão na metanálise, perfazendo um total de 896 pacientes. A Tabela 1 descreve algumas das características das pesquisas:

Tabela 1. Características dos estudos incluídos na metanálise

Estudo

Pacientes
Diagnóstico microbiológico da PAV
Drenagem da secreção subglótica
Outras
intervenções

Mahul

Pacientes com previsão de mais de 72 horas de ventilação mecânica

Sim

Aspiração intermitente

Controle da pressão do balonete

Valles

Pacientes com previsão de mais de 72 horas de ventilação mecânica

Não

Aspiração contínua

Controle da pressão do balonete

Kollef

Pacientes em pós-operatório de cirurgia cardíaca

Não

Aspiração intermitente

Elevação da cabeceira

Bo

Pacientes com previsão de mais de 72 horas de ventilação mecânica

Não

Aspiração contínua

.

Smulders

Pacientes com previsão de mais de 72 horas de ventilação mecânica

Não

Aspiração intermitente

Controle da pressão do balonete do tubo

A metanálise revelou que a drenagem subglótica reduziu o risco de PAV em cerca de 50% (risco relativo de 0,51, com IC de 95%, de 0,37-0,71). Esse resultado se manteve mesmo com a inclusão de pacientes pertencentes aos estudos que recrutaram apenas indivíduos com expectativa de ventilação mecânica superior a 72 horas. A drenagem subglótica também retardou o desenvolvimento da pneumonia (3,1 dias mais tarde que no grupo de controle) e associou-se a diminuição do risco de PAV de início precoce (risco relativo de 0,38, com IC de 95%, de 0,16-0,88). O tempo de ventilação mecânica e de permanência na UTI foi estatisticamente menor no grupo de drenagem subglótica. Em relação à permanência hospitalar e à mortalidade, não se observou diferença estatisticamente significativa entre os dois grupos.

Conclusão

A metanálise mostrou que a aspiração da secreção subglótica é eficaz na prevenção de pneumonia em pacientes submetidos a ventilação mecânica.

Comentários

A aspiração de secreções contaminadas que se acumulam sobre o balonete do tubo endotraqueal é uma importante via na patogenia da PAV. Assim, algumas estratégias que tentam evitar o acúmulo e a aspiração desse inóculo bacteriano – entre elas a sucção sistemática da secreção subglótica, contínua ou intermitente – são estudadas como medidas profiláticas de PAV. A drenagem das secreções subglóticas requer a utilização de uma cânula traqueal específica que apresenta um lúmen posterior acima do balonete, o qual pode ser conectado a um sistema de aspiração.

Essa metanálise mostrou benefícios da drenagem das secreções subglóticas em relação a ocorrência de PAV, duração da ventilação mecânica e tempo de permanência na UTI. De forma interessante, esse método de profilaxia reduziu primariamente a PAV de início precoce e retardou o tempo de aparecimento dessa infecção. Isso pode ser explicado pelo fato de que são múltiplos os fatores implicados na gênese da PAV e medidas preventivas isoladas de prevenção têm sempre eficácia limitada.

Com os resultados desses estudos e da própria metanálise, o Centers for Disease Control and Prevention (CDC) orienta, sempre que disponível, o uso desse tipo de cânula traqueal, classificando essa recomendação como nível II (com base em estudos clínicos ou epidemiológicos sugestivos ou forte racional teórico).

www.pneumoatual.com.br

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos