Biologia - Célula-tronco trata lesão no joelho
Esta página já teve 110.789.824 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.760 acessos diários
home | entre em contato
 

Biologia

Célula-tronco trata lesão no joelho

11/06/2005

 

Cirurgia inédita na América Latina foi feita em SP. Técnica abre caminho para tratamento de doenças articulares degenerativas

Joaquim Alessi escreve para “O Estado de SP”:

A primeira cirurgia da América Latina a utilizar células-tronco na reconstrução da cartilagem do joelho foi realizada no dia 27 de abril, no Hospital São Luiz, em SP.

O paciente era um jovem de 18 anos que sofria de uma doença do crescimento chamada osteocondrite dissecante. A doença é caracterizada pela morte de um segmento de osso e da cartilagem que recobrem a articulação do joelho.

Coordenador da equipe de ortopedia do São Luiz, o especialista em artroscopia, cirurgia de joelho e medicina esportiva Ari Zekcer afirmou ontem que com essa cirurgia abrem-se perspectivas para as grandes lesões das cartilagens, especialmente as dos joelhos, comuns, por exemplo, em atletas.

Até agora, eram realizadas apenas transposições de ossos, tornando irregular a área operada. "Procedimentos cirúrgicos realizados com sucesso em humanos a partir de 2000, no Japão, serviram de base científica para a realização deste primeiro procedimento com a utilização de células-tronco na reparação da cartilagem do joelho aqui no Brasil", afirma Zekcer.

O paciente submetido à cirurgia possuía grande lesão da cartilagem do joelho e sentia dores muito fortes, com dificuldade para andar e correr.

"Realizamos a reconstrução da lesão por meio da implantação de uma cultura de células mesenquimais (um tipo de célula-tronco)", explica Zekcer. A equipe médica realizou a coleta de células da medula do osso da bacia do próprio paciente.

Foram retiradas com uma seringa especial 100 mil células. Para a produção da cartilagem destinada a cobrir a parte do joelho onde havia um buraco eram necessários 10 milhões de células. Aquelas 100 mil foram multiplicadas em laboratório até atingir o número necessário para a cirurgia.

Na verdade, a equipe chegou a 27 milhões de células. Depois, elas foram inseridas cirurgicamente no joelho do paciente.

"A maior vantagem da técnica é não ter risco de rejeição", afirma o especialista.

Artrose - Segundo o médico, essa cirurgia poderá ser usada, no futuro, para tratar pacientes com artrose (doença articular degenerativa), já que é recomendada para quem sofre lesões de cartilagem com tamanho superior a 2 centímetros. Zekcer destacou que, depois de cinco meses da realização da cirurgia, o paciente será submetido a uma outra cirurgia por vídeo (artroscopia), para confirmar o crescimento da cartilagem Ari Zekcer explica que ainda não existe no Brasil um sistema que permita a realização em larga escala deste procedimento, que leva em torno de uma hora e meia.

Ele também disse ser muito difícil calcular o custo da cirurgia, mas acredita que possa ficar entre R$ 10 mil e R$ 12 mil. No caso da cirurgia realizada em abril, foi firmada uma parceria entre sua equipe (formada por três médicos), o Hospital São Luiz, que entrou com a hotelaria e o centro cirúrgico, e a empresa Criyopraxis, que entrou com a parte de biotecnologia.

O uso de células-tronco tem mostrado resultados animadores no tratamento de doenças cardíacas e neurológicas, diz Zekcer. As células-tronco são chamadas de totipotentes por terem a característica de se diferenciar em vários tipos de tecido - como ossos, músculos, tendões e cartilagens.

Essas células se formam no organismo logo após a fecundação e permanecem até a idade adulta.

A diferença é que quanto mais jovem é a célula, maior o seu potencial de diferenciação. Em 2002, descobriu-se que as células da medula óssea do adulto também poderiam se transformar em vários tecidos, assim como as células embrionárias.
(O Estado de SP, 10/6)

Jornal da Ciência- SBPC


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos