-
Esta página já teve 134.651.292 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.670 acessos diários
home | entre em contato
 

Gravidez/Parto/Obstetrícia

Gene permite gravidez após os 45 anos

23/06/2005


Identificação de perfil que possibilita concepção espontânea tardia pode ajudar em tratamento para infertilidade

Cláudia Collucci escreve para a ‘Folha de SP’:

Mulheres com um perfil genético especial podem conceber espontaneamente após os 45 anos, anunciaram ontem pesquisadores israelenses durante o congresso da Sociedade Européia de Reprodução Humana e Embriologia, que acontece em Copenhague (Dinamarca).

Eles identificaram a maneira como esse gene se expressa e esperam que isso possa ajudar no desenvolvimento de tratamentos mais eficazes para a infertilidade na idade tardia.

Segundo Neri Laufer, da Universidade e Hospital Haddassah, de Jerusalém (Israel), sua equipe estudou um grupo de 250 mulheres acima de 45 anos, que engravidaram espontaneamente. Em geral, há menos de 1% de chance de as mulheres engravidarem com seus próprios óvulos nessa faixa etária.

A partir dos 43 anos, médicos já recomendam a gravidez com óvulos doados. "Nessa idade, os óvulos não tem qualidade. Então, pensamos que devia haver um fator especial que permitira essas mulheres conceberem", afirmou Laufer.

A grande maioria das pesquisadas tiveram vários filhos e baixa taxa de aborto, fatores que sugerem uma habilidade natural de escapar do processo de envelhecimento ovariano.

Laufer explica que decidiu checar se havia diferença entre a expressão do gene dessas mulheres e de outras que só conceberam antes dos 30 anos.

Foi colhido sangue e analisado DNA das células dessas mulheres. A conclusão foi a de que aquelas que conceberam após os 45 parecem ter uma predisposição genética única que as protege contra a morte celular (apoptosis) do ovário.

"Não sabemos ainda se o sucesso reprodutivo está relacionado com uma potencial longevidade", disse Laufer.

Segundo o ginecologista Eduardo Motta, professor da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), há estudos que mostram que sim: essas mulheres também teriam maior longevidade. "Mas elas são a exceção da exceção."

Identificando mulheres com essa expressão genética, os médicos poderão saber quais ainda estarão férteis numa idade avançada e poderão aconselhá-las melhor a respeito disso.
(Folha de SP, 22/6)

Jornal da Ciência- SBPC


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos