Meio Ambiente/Ecologia -
Esta página já teve 132.437.312 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.708 acessos diários
home | entre em contato
 

Meio Ambiente/Ecologia

Tupinambis merianae-Teiú

08/07/2005
 

Nome Popular: teiú, teju

Status: é o lagarto mais comum em cativeiro no Brasil. O Gênero Tupinambis está incluído no Apêndice II da CITES, principalmente devido à comercialização do seu couro.

Características:  Possui 1 metro de comprimento, podendo atingir até 1,4 m. Cabeça comprida e pontiaguda, mandíbulas fortes providas de um grande número de pequenos dentes pontiagudos. Língua cor-de-rosa, comprida e bífida. Cauda longa e arredondada. Coloração geral negra, com manchas amareladas ou brancas sobre a cabeça e membros. Região gular e face ventral branca, adornada de manchas negras. Os filhotes são esverdeados, coloração que vai desaparecendo de acordo com o desenvolvimento dos animais. Vive aproximadamente 16 anos.

Distribuição: Do sul do Amazonas ao norte da Argentina. Estes lagartos ocorrem em quase toda América do Sul ao leste dos Andes, tendo como habitat buracos cavados na terra, nas florestas, cerrados e caatingas.

Hábitos: diurnos e terrestres. 

Alimentação: Onívoro. Alimenta-se sobretudo de frutas e ovos, larvas, vermes e insetos. Em cativeiro alimenta-se de gemas de ovos, carnes, camundongos, pintinhos, rãs, frutas doces, etc.

Reprodução: ovíparo. Desova entre 30 e 36 ovos por postura, que eclodem após 60 a 90 dias de incubação.

Espécie Problema em Fernando de Noronha -  Na década de 60, foi introduzido um casal dessa espécie no Arquipélago de Fernando de Noronha, com o objetivo de controlar as populações de sapos e ratos. Como esse teiú tem hábitos diurnos e suas supostas presas são noturnas, o controle não foi bem sucedido e o lagarto encontrou no arquipélago um ambiente adequado ao seu desenvolvimento e reprodução.
De acordo com informações técnicas, esse animal vem predando principalmente ovos e filhotes da tartaruga verde (Chelonis mydas) e ovos das aves que nidificam no solo, sendo assim o grande responsável pela redução dos efetivos das tartarugas e aves marinhas do Arquipélago; por ter recursos de abundância, a população de T. merianae continua crescendo, causando um grande impacto nessas populações.

Comportamento: É um animal tímido, mas que se defende bem quando atacado, principalmente desferindo chicotadas com a longa cauda. No manuseio pode ser agressivo, razão pela qual são importantes os cuidados no manejo para evitar mordidas.

Cativeiro: Deve ser mantido em terrários espaçosos (3 x 1,5 x 1,5 m) para um casal, dotados de pedras e troncos fortes, com cascas de árvores, musgos, e plantas naturais, sendo o substrato formado por uma espessa camada de areia de rio, pré-lavada. A iluminação deve ser fornecida por lâmpadas fluorescentes ou por luz natural, garantindo um bom período de luminosidade durante o dia. Umidade de 70 % e temperaturas entre 26 e 35 ºC durante o dia e 24 ºC durante a noite

Outros dados: É um animal muito perseguido, em função de ter a carne

 

www.ibama.gov.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos