Meio Ambiente/Ecologia -
Esta página já teve 132.460.800 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.704 acessos diários
home | entre em contato
 

Meio Ambiente/Ecologia

Chiasmocleis albopunctata- rãzinha-pintada

08/07/2005
 

Taxonomia:
 
Filo: Cordados
Sub-Filo: Vertebrados
Super-Classe: Tetrápodo
Sub-Classe: Diapsida
Classe: Lissamphibia
Super-Ordem: Salientia
Ordem: Anura
Família: Microhylidae
Gênero:
Chiasmocleis
Espécie:
Chiasmocleis albopunctata
 
Distribuição: Descrito por Boettger em 1885. Esta espécie ocorre no Brasil, Bolívia e Paraguai. No Brasil tem ampla distribuição no Cerrado, ocorrendo em diversos estados: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo (Frost, 2002).

Características: Espécie de tamanho pequeno para a família microhylidae (Bastos et.al, 2003). Caracteriza-se por apresentar cabeça bastante pequena com delicada estria branca estendendo-se além do canto rostral, passando pelas pálpebras; focinho curto, corpo ovalado, dedos da mão e dos pés livres. A coloração geral do dorso é marrom acinzentado e o ventre apresenta também manchas brancas (Caramaschi & Cruz, 1997).

Status populacional: Não encontra-se em risco ou ameaçada, uma vez que é relativamente abundante em seus locais de ocorrência. Todavia, os pesquisadores consideram a observação em campo desta espécie, uma tarefa bastante difícil.

Hábitos: Vivem em florestas, principalmente em matas de galeria do subtipo inundável. Durante o dia, para evitarem desidratação pelo sol, calor e baixa taxa de umidade, permanecem enterrados no solo. À noite, na época reprodutiva, se deslocam para as margens de pequenos cursos d'água e áreas inundadas.

Alimentação: Não conhecida até o momento.

Reprodução: Como outras espécies do gênero é provável que apresente reprodução explosiva, ou seja, machos e fêmeas se concentram, geralmente após fortes chuvas, em locais apropriados (charcos e/ou pequenos cursos d'água), durante alguns dias no ano, logo após as intensas chuvas do verão (Haddad & Hödl, 1997).
Os machos vocalizam nas margens de poças temporárias, ou mesmo boiando na superfície da água. A reprodução ocorre. A vocalização dos machos é bastante alta (em volume) e pode ser confundida com o som emitido por grilos ou gafanhotos.

Bibliografia
BASTOS, R. P.; MOTTA, J. A. O.; LIMA, L. P.; GUIMARÃES, L. D.Anfíbios da Floresta Nacional Silvânia, estado de Goiás. 1ª edição.Goiânia: R. P. Bastos, 2003. 82p.
CARAMASCHI, U.; CRUZ, C. A. G. Redescription of Chiasmocleis albopunctata (Boettger) and description of  a new species of Chiasmocleis (Anura: Microhylidae). Herpetologica, v.53, p259-268, 1997.
FROST, D.R. 2002. Amphibian Species of the World: an online reference. V2.21 (15 July 2002). Base eletrônica disponível em:
http://research.amnh.org/herpetology/amphibia/index.html. Acesso em 09 de março 2004.
HADDAD, C. F. B.; HÖLD, W. New reproductive mode in anurans: bubble nest in Chiasmocleis  leucosticta (Microhylidae). Copeia, v.1997, p. 585-588, 1997.

Netografia
http://www.herpetologia.hpg.ig.com.br/calbopunctata.htm

www.ibama.gov.br

 

www.ibama.gov.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos