Laser -
Esta página já teve 134.615.129 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.668 acessos diários
home | entre em contato
 

Laser

Laser é usado para tratamentos de tumores nas cordas vocais

07/08/2005
 


A permanente evolução do laser na Medicina vem possibilitando tratamentos cada vez mais específicos. Em Otorrinolaringologia, tais avanços têm significado a revolução de terapias até então feitas de maneira mais demorada e com resultados menos satisfatórios. A aplicabilidade do laser se reverte em melhorias para pacientes e médicos. “O laser é um instrumento extremamente eficaz e preciso e apresenta vantagens importantes como maior rapidez na aplicação, menor trauma, ausência de edemas, além de ser mais econômico”, explica o dr. José Antônio Pinto, coordenador de Otorrinolaringologia da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia.

Com o laser de CO2, é possível, por exemplo, tratar problemas e doenças relacionados à laringe. É o caso de tumores — benignos e malignos — e lesões nas cordas vocais. O laser CO2 é acoplado ao microscópio cirúrgico e aplicado apenas no ponto que necessita do tratamento, garantindo maior precisão. Podem ser usados dois pontos de aplicação: os micromanipuladores Acuspot ou Acublade de 250 micra cada. Com tais recursos, o médico pode atingir de maneira focada o problema, evitando que regiões sãs sejam afetadas.

O tratamento vaporiza sem causar nenhum tipo de lesão, sangramento, edema ou efeito colateral, extirpando o tumor. “É um grande avanço na fonomicrocirurgia para lesões das cordas vocais”, diz o dr. Antônio Pinto. Para os pacientes que se submetem a este tipo de tratamento, é indicado, no entanto, repouso vocal de em média uma semana, o que melhora e facilita a recuperação da área submetida ao laser.

Para terapias relacionadas à região nasal, uma das novidades é o tratamento de problemas como a epífora — ou lacrimejamento constante — devido a obstruções no canal lacrimal. Embora tratado por oftalmologistas, a utilização do laser para esse fim no Brasil, a partir de 2002, permitiu que otorrinolaringologistas pudessem também tratar esse paciente. Isso porque com o laser de Diodo, uma finíssima fibra ótica. é introduzido via endonasal, desobstruindo, a laser, o canal lacrimal, sem a necessidade de incisões cirúrgicas. “O tratamento é bastante rápido e simples. Em poucos minutos, o problema está resolvido”, explica. Outra vantagem é que o método não produz sangramento e não altera o cotidiano do paciente.


Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos