Dermatologia/Pele - Pele- estrutura
Esta página já teve 114.010.220 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.855 acessos diários
home | entre em contato
 

Dermatologia/Pele

Pele- estrutura

15/08/2005

A pele é um órgão externo que reveste o organismo humano e dá proteção às estruturas internas com relação ao meio exterior.
A pele desempenha inúmeras funções no organismo humano como :

  • eliminação de toxinas através das glândulas sudoríparas
  • proteção do organismo
  • termorregulação
  • sensorial
  • imunológica
  • renovação dos tecidos de revestimento

    Como sabemos a pele é constituída por três camadas de fora para dentro que são epiderme, derme e hipoderme.
    A epiderme, formada por tecido epitelial estratificado córneo tem uma estrutura diversificada que é constituída por células como queratonócitos (responsáveis pela produção da queratina) , melanócitos (responsáveis pela pigmentação da pele), anexos cutâneos (pêlos, unhas, glândulas) apresentando , ainda cinco camadas como:

  • camada basal ou germinativa: é a região onde estão as células jovens com intensa capacidade de reprodução ou mitose.
  • camada espinhosa: onde estão presentes as células de Malpighi , responsáveis pela produção de queratina
  • camada granulosa: é a área onde são encontradas células achatadas formadas por grânulos de queratina
  • camada lúcida: aqui encontraremos células anucleadas, achatadas e ricas em queratina
  • camada córnea: é formada por diversas células mortas que constituem uma capa de queratina e que se renova continuamente. Esta camada é responsável pelo aumento da espessura da pele , principalmente na palma da mão e sola dos pés. É a camada da pele que protege o organismo contra agressões físicas, químicas e biológicas do meio ambiente.

    A renovação constante da epiderme ocorre para manter a sua integridade e se inicia a partir das células basais que levam de 60 a 75 dias para chegar até a camada córnea.
    Além do sistema queratínico a pele também é formada pelo sistema melanocítico que tem como célula de importância primordial o melanócito , responsável pela síntese da melanina que é o pigmento da pele.
    Estes melanócitos estão a nivel da camada basal e se encontram na proporção de 1 para cada 10 queratinócitos basais nos indivíduos da raça branca podendo existir em maior quantidade nos indivíduos mulatos e negros.
    A luz solar auxilia no processo de ativação da síntese de melanina na pele tornando-a mais bronzeada.
    Ainda na epiderme e derme estão presentes as células de Langerhans que tem função imunológica porque atua como fagócito nos processos alérgicos e infecciosos como micoses provocadas por fungos.

    ANEXOS DA EPIDERME
    Os anexos da epiderme são o folículo pilossebáceo, a glândula sudorípara e a unha.
    O folículo pilossebáceo é composto pelo pêlo, glândula sebácea e músculo eretor do pêlo que tem estrutura muscular.
    Os folículos pilossebáceos estão dispersos por várias regiões do organismo sendoque existem regiões como barba e couro cabeludo onde os pêlos são mais espessos porém as glândulas sebáceas são menores enquanto que na face há predomínio de pêlos finos mas com glândulas sebáceas bem desenvolvidas.
    As unhas são lâminas de queratina que recobrem as falanges e originam-se da matriz ungueal e seu crescimento é contínuo servindo como um elemento de proteção das pontas dos dedos.
    As glândulas sudoríparas são de dois tipos: apócrinas e écrinas.
    As glândulas sudoríparas apócrinas desembocam nos folículos pilo-sebáceos e secretam um líquido leitoso constituído por substâncias proteicas, lipídicas e glicídicas.
    Estas glândulas estão presentes em regiões do corpo como axilas, genitais, etc e sua secreção apresenta odor típico que é proveniente da decomposição pela ação das enzimas bacterianas.
    As glândulas do tipo écrinas estão presentes nas regiões palmoplantares e em toda extensão do corpo lançando sua secreção diretamente sobre a epiderme.

    DERME
    É a camada intermediária entre a epiderme e a hipoderme sendo constituída por substância fundamental, fibras, vasos e nervos e, ainda, folículos pilossebáceos e glândulas sudoríparas.
    A derme apresenta três camadas diferentes que são:

    1. camada papilar: é a região onde estão presentes as células e as fibras colágenas;
    2. camada reticular: é intermediária entre a camada papilar e a hipoderme apresentando feixes de fibras colágenas mais espessos;
    3. derme adventicial: é encontrada ao redor dos folículos pilo-sebáceos, glândulas e vasos sendo formado por feixes delgados de colágeno.

    A substância fundamental encontrada na derme tem composição de mucopolissa-carideos ácidos, 70% de fibras colágenas, fibras elásticas associadas às colágenas , fibras reticulares também associadas às colágenas com intensa elasticidade.
    Estas fibras associadas se entrelaçam formando uma trama na derme que é responsável pela elasticidade e resistência da pele.
    Ainda na derme são encontrados os vasos sanguíneos e linfáticos, células como fibroblastos, histiócitos e mastócitos que tem funções como síntese de fibras colágenas, elásticas e reticulares e de defesa da pele.

    HIPODERME OU TECIDO SUBCUTÂNEO
    É formado por células adiposas que se agrupam formando lóbulos separados por filamentos de colágeno e por vasos sanguíneos.
    A constituição celular dos adipócitos apresenta basicamente os lipídeos do tipo triglicerídeos e colesterol , vitaminas e água.
    A hipoderme tem importantes funções como proteger o organismo contra choques e traumatismos, atuando ainda como reserva energética e isolante térmico.

    FISIOLOGIA DA PELE
    A pele apresenta diversas funções que atuam de forma importante na manutenção dos mecanismos por ela exercidos.
    Entre as funções principais da pele estão:

    1. proteção: é a função primordial que a pele realiza porque preserva as estruturas internas contra agressões do meio ambiente como traumatismos e contra as radiações solares através do sistema melânico. A camada córnea impermeabiliza a pele contra perdas excessivas de água e de eletrólitos mantendo o equilíbrio hidroeletrolítico. A atuação da pele como elemento de defesa do organismo é garantida pelas células de Langerhans, pelos linfócitos, macrófagos e mastócitos que tem atividade antimicrobiana.
    2. percepção: como a pele apresenta-se ricamente inervada devido a presença de inúmeras terminações provenientes da medula espinhal as sensações de frio, pressão, calor, dor e outras podem ser captadas. As sensações táteis, dolorosas, térmicas são atribuídas a certos corpúsculos nervosos presentes em diversas partes do organismo.
    3. termorregulação e hemorregulação: a pele apresenta plexos vasculares e glomos que auxiliam a manutenção e a regulagem do débito circulatório. No mecanismo de termorregulação existe a participação das glândulas sudoríparas écrinas que liberando a secreção sobre a pele ajudam a refrigerá-la.
    4. metabolização: a pele auxilia na metabolização de hormônios como testosterona, progesterona e vitamina D.
    5. secreção: a pele sintetiza substâncias como melanina, queratina, gordura, suor que tem inúmeras funções no funcionamento normal de suas atividades.
    6. excreção: as glândulas sudoríparas écrinas produzem o suor que é constituído por excretas e eletrólitos que devem ser eliminados do organismo.

    LESÕES ELEMENTARES
    A análise da pele é um dos passos mais importantes para se definir a forma de tratamento após o reconhecimento das alterações que ocorrem nos tecidos que compõem a sua estrutura tegumentar.
    Qualquer alteração presente na estrutura da pele seja qual for a causa que a provocou caracteriza a formação de lesões elementares.
    Os mecanismos indutores de lesões elementares podem ser de natureza circulatória, inflamatória, metabólica, degenerativa ou hiperplásica.
    Dependendo dos tipos de lesões e das causas que a provocaram podemos classificar as lesões da pele da seguinte forma :

    1) Quanto à Modificações da Cor

    A) Manchas Pigmentares: estão relacionadas à melanina e podem ser classificadas em hipercrômicas, hipocrômicas e acrômicas
    As manchas hipercrômicas apresentam tom escuro por excesso de melanina no local onde estão presentes. As manchas hipocrômicas são claras por apresentarem menor quantidade de pigmento e as acrômicas são desprovidas de melanina.

    1. Manchas por pigmentos como bilirrubina, caroteno, alcaptona que podem ter coloração amarelada, marron, etc.
    2. Manchas relacionadas a pigmentos estranhos ao organismo como ouro, prata, arsênio, corantes, etc.

    Medicamentos e substâncias que contenham ouro, prata e arsênico podem alterar a coloração da pele assim como tatuagens através dos pigmentos coloridos que ficam nela impregnados e os antimaláricos que a tornam amarelado.

    B)Manchas devidas a alterações vasculares

      a) transitórias: eritema e enantema, cianose e cianema que são manchas de coloração arroxeada.

    O eritema é de cor avermelhada devido à presença de sangue arterial e é provocada por hiperemia enquanto que na cianose a coloração da pele se torna azulada devido a redução da hemoglobina no sangue principalmente nas extremidades digitais, orelhas, comjuntivas e leito ungueal. Quando este processo ocorre nas mucosas é chamado de cianema e também chamamos de enantema o eritema das mucosas.
    b) permanentes: nevo vascular (angioma) e teleangectasia
    O aumento do número de vasos sanguíneos é chamado de nevo vascular e a teleangectasia é a dilatação permanente do calibre de pequenos vasos

    C) Manchas devidas ao pigmento sanguíneo
    * são as púrpuras de coloração avermelhada que dependendo da extensão da mancha podem ser classificadas em petéquia, víbice, hematoma, equimose

    A petéquia é uma lesão purpúrica puntiforme, a víbice é uma lesão purpúrica linear, a equimose é uma lesão purpúrica de grande extensão e o hematoma é uma coleção de lesões purpúricas geralmente de origem traumática.

    2) Eflorescências elementares sólidas
    * segundo a aspecto que apresentam podem ser subdivididas em :

    1. ponfo ou seropápula: é uma eflorescência circunscrita de tamanho variável que faz saliência na pele, com coloração que varia do eritematoso ao anêmico. Nesta lesão surge vasodilatação com saída de plasma e de células sanguíneas.
    2. pápula: eflorescência de consistência dura, superficial com menos de 5 cm , com certa elevação que não forma cicatriz ao regredir. As pápulas podem ser epidérmicas com aumento de células de uma ou várias camadas da epiderme ou em placas que são lesões elevadas em platô provenientes da formação de numerosas pápulas.
    3. tubérculo: é uma formação de consistência endurecida , elevada com mais de 5 mm devido à infiltração de células mesenquimais em toda derme deixando cicatriz ao regredir
    4. nódulo: é uma formação de consistência endurecida de dimensões variáveis, muitas vezes reconhecida pela palpação , em virtude do número de células presentes na hipoderme ou derme profunda.
    5. queratose: é um espessamento da epiderme por proliferação da camada córnea. A superfície das queratoses em geral é áspera e esbranquiçada.
    6. vegetação: é a hipertrofia de algumas papilas dérmicas podendo se apresentar sob o aspecto de verrugas

    3) Eflorescências elementares de conteúdo líquido
    * são as bolhas, vesículas e pústulas As bolhas apresentam conteúdo líquido (seroso) de grandes dimensões enquanto que as vesículas apresentam pequenas dimensões.
    Nas pústulas observamos presença de conteúdo líquido purulento podendo conter bactérias e diversos neutrófilos.
    O abscesso é uma coleção de pus presente na profundidade dos tecidos.
    Todas as lesões de conteúdo líquido, ao involuírem, em geral não deixam cicatrizes com exceção dos abcessos.

    4) Eflorescências por solução de continuidade
    * são as erosões, ulcerações, fissuras, escoriações,
    As escoriações são roturas de tecidos provenientes de mecanismo traumático como cortes com objetos, arranhões, etc.
    As erosões provocam lesões do tegumento por mecanismo patológico superficial que agride a epiderme.
    Nas ulcerações temos erosão profunda da derme e até mesmo da hipoderme, músculos e até ossos.
    As fissuras são lesões lineares ou estreitas da pele.

    5)Eflorescências elementares caducas * escama, crosta, escara
    As escamas são laminulas epidérmicas que se desprendem com facilidade e são devidas a distúrbios de queratinização.
    As crostas são decorrentes do ressecamento de exsudatos do tipo seroso, purulento ou hemático que se eliminam espontâneamente .
    As escaras são lesões negras mais ou menos espessas que podem atingir planos profundos da pele e são provenientes de necrose tecidual.

    6) Sequelas
    * são as cicatrizes e as atrofias

  • http://www.ck.com.br


  • IMPORTANTE

    •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
    • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
    Publicado por: Dra. Shirley de Campos
    versão para impressão

    Desenvolvido por: Idelco Ltda.
    © Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos