-
Esta página já teve 133.107.397 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.663 acessos diários
home | entre em contato
 

Tóxicos/Intoxicações

Chumbo ambiental e doenças renais crônicas

17/08/2005

Alguns estudos na literatura médica sugerem que exposição ambiental a chumbo correlaciona-se com diminuição de função renal associada à idade.

Métodos: duzentos e dois pacientes com insuficiência renal crônica (indicada por um nível de creatinina sérica entre 1,5 mg e 3,9 mg por decilitro) que tinham uma carga corporal total de chumbo normal e nenhuma história de exposição a chumbo foram observados durante 24 meses. Após o período de observação, 64 indivíduos com uma carga de chumbo corporal elevada foram randomicamente designados para grupos de quelação ou controle. Por três meses, os pacientes do grupo de quelação receberam terapia quelante para chumbo com EDTA cálcico dissódico, e o grupo controle recebeu placebo. Durante os 24 meses seguintes, terapia quelante de repetição foi administrada semanalmente a 32 pacientes com carga corporal de chumbo entre normal e elevada (no mínimo 80 µg mas menos do que 600 µg) exceto se na dosagem de repetição a carga corporal de chumbo tivesse caído para menos de 60 µg; os outros 32 pacientes serviram como controle e receberam infusões semanais de placebo por 5 semanas cada seis meses. O desfecho principal foi um aumento da creatinina sérica de 1,5 vezes o valor basal, durante o período de observação. Um desfecho secundário foi a mudança na função renal durante o período de intervenção.

Resultados: o desfecho principal ocorreu em 24 pacientes durante o período de observação; os níveis basais de creatinina sérica e a carga corporal de chumbo inicial foram os fatores de risco mais importantes. A taxa de filtração glomerular melhorou significativamente no final do período de 27 meses de intervenção nos pacientes que receberam terapia quelante: a mudança média (+DP) na taxa de filtração glomerular dos pacientes do grupo de quelação foi 2,1+5,7 ml por minuto por 1,73 m2 de área de superfície corporal, comparado com -6,0+5,8 ml por minuto por 1,73 m2 de superfície corporal nos controles (P<0,001). A taxa de declínio da filtração glomerular no grupo de quelação foi também menor do que nos controles durante os 24 meses de terapia quelante de repetição ou placebo.

Conclusões: exposição ambiental pequena a chumbo pode acelerar a insuficiência renal progressiva em pacientes não diabéticos que têm doença renal crônica. Terapia de quelação repetida pode melhorar função renal e retardar a progressão da insuficiência renal.

Ja-Liang Lin, Dan-Tzu Lin-Tan, Kuang-Hung Hsu, and Chun-Chen Yu

NEJM 2003; 348: 277-286


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos