-
Esta página já teve 132.449.271 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.706 acessos diários
home | entre em contato
 

Hipertensão/Pressão Alta

Pacientes portadores de hipertensão essencial e doenças cardiovasculares são beneficiados por produtos do cacau e seus bioflavonóides

02/10/2005

 

Das Universidades de L’Aquila (Itália) e de Tufts (Boston), foi publicado no Hypertension, um estudo em que testaram o efeito da ingesta de chocolates escuros sobre a pressão arterial monitorizada por 24 horas, dilatação mediada por fluxo e testes de tolerância oral à glicose em pacientes portadores de hipertensão essencial. Segundo estudos prévios, chocolates escuros ricos em flavonóides proporcionam diminuição da pressão arterial e resistência insulínica em indivíduos saudáveis.

 

Após uma fase de sete dias sem ingesta de chocolates, 20 pacientes portadores de hipertensão essencial, nunca tratados, estágio I (10 indivíduos do sexo masculino; 43,7 + 7,8 anos) foram aleatoriamente designados para receber chocolates escuros 100g ao dia (contendo 88g de flavonóides) ou chocolate branco 90g ao dia, sem flavonóides, de modo isocalórico, por 15 dias. Após segundo período de sete dias sem uso de chocolates, os pacientes foram orientados a seguir o tratamento não utilizado anteriormente. Medidas ambulatoriais não invasivas de pressão arterial por 24 horas, dilatação mediada por fluxo, testes de tolerância oral à glicose, colesterol sérico e marcadores de inflamação vascular foram avaliadas ao final de cada tratamento. A avaliação da homeostase através de modelo de resistência insulínica (HOMA-IR), índice de sensibilidade quantitativa à insulina (QUICKI), e índice de sensibilidade à insulina (ISI) foram calculados a partir dos valores dos testes de tolerância oral à glicose.

 

Houve diminuição da pressão arterial verificada ambulatorialmente, após ingesta de chocolate escuro (pressão arterial sistólica em 24 horas = -11,9 + 7,7 mmHg; p<0,0001; pressão arterial diastólica em 24 horas = -8,5 + 5,0 mmHg; p<0,0001), mas não se verificou redução após ingesta de chocolate branco. Chocolates escuros, e não chocolates brancos, proporcionaram redução de HOMA-IR )(p<0,0001), com melhora de QUICKI, ISI e dilatação mediada por fluxo. Chocolates escuros também reduziram níveis séricos de LDL-colesterol (de 3,4 + 0,5 para 3,0 + 0,6 mmol/L; p<0,05).

 

Portanto, os pesquisadores concluíram que chocolates escuros proporcionam redução da pressão arterial e do LDL-colesterol sérico, melhoram a dilatação mediada por fluxo e melhoram a sensibilidade insulínica em pacientes portadores de hipertensão essencial.

Cocoa Reduces Blood Pressure and Insulin Resistance and Improves Endothelium-Dependent Vasodilation in Hypertensives - Hypertension 2005;46:398.

Cocoa Reduces Blood Pressure and Insulin Resistance and Improves Endothelium-Dependent Vasodilation in Hypertensives

Davide Grassi; Stefano Necozione; Cristina Lippi; Giuseppe Croce; Letizia Valeri; Paolo Pasqualetti; Giovambattista Desideri; Jeffrey B. Blumberg; Claudio Ferri

From the Department of Internal Medicine and Public Health (D.G., S.N., C.L., G.C., L.V., P.P., G.D., C.F.), University of L’Aquila, Italy; and Jean Mayer USDA Human Nutrition Research Center on Aging (J.B.B.), Tufts University, Boston, Mass.

Correspondence to Claudio Ferri, MD, Dipartimento MISP, Università di L’Aquila, Piazzale Salvatore Tommasi 1, 67100 Coppito, L’Aquila, Italy. E-mail claudio.ferri@cc.univaq.it

Consumption of flavanol-rich dark chocolate (DC) has been shown to decrease blood pressure (BP) and insulin resistance in healthy subjects, suggesting similar benefits in patients with essential hypertension (EH). Therefore, we tested the effect of DC on 24-hour ambulatory BP, flow-mediated dilation (FMD), and oral glucose tolerance tests (OGTTs) in patients with EH. After a 7-day chocolate-free run-in phase, 20 never-treated, grade I patients with EH (10 males; 43.7±7.8 years) were randomized to receive either 100 g per day DC (containing 88 mg flavanols) or 90 g per day flavanol-free white chocolate (WC) in an isocaloric manner for 15 days. After a second 7-day chocolate-free period, patients were crossed over to the other treatment. Noninvasive 24-hour ambulatory BP, FMD, OGTT, serum cholesterol, and markers of vascular inflammation were evaluated at the end of each treatment. The homeostasis model assessment of insulin resistance (HOMA-IR), quantitative insulin sensitivity check index (QUICKI), and insulin sensitivity index (ISI) were calculated from OGTT values. Ambulatory BP decreased after DC (24-hour systolic BP –11.9±7.7 mm Hg, P<0.0001; 24-hour diastolic BP –8.5±5.0 mm Hg, P<0.0001) but not WC. DC but not WC decreased HOMA-IR (P<0.0001), but it improved QUICKI, ISI, and FMD. DC also decreased serum LDL cholesterol (from 3.4±0.5 to 3.0±0.6 mmol/L; P<0.05). In summary, DC decreased BP and serum LDL cholesterol, improved FMD, and ameliorated insulin sensitivity in hypertensives. These results suggest that, while balancing total calorie intake, flavanols from cocoa products may provide some cardiovascular benefit if included as part of a healthy diet for patients with EH.


Key Words: endothelium • insulin • hypertension, essential



IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos