-
Esta página já teve 133.107.288 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.663 acessos diários
home | entre em contato
 

Tóxicos/Intoxicações

Clínica do Leite inicia monitoramento de resíduos antibióticos

11/10/2005

Consumo de leite com esse tipo de resíduo é prejudicial a pessoas alérgicas. Testes seguem normas estabelecidas pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento

 

A Clínica do Leite, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da USP de Piracicaba, tem mais um serviço de alta tecnologia que identifica resíduos de antibiótico presentes no leite. Os testes tiveram início no mês de setembro e seguem as novas normas estabelecidas pela Instrução Normativa 51, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento.

A Clínica fez uma parceria com a empresa holandesa DSM, que fabrica o kit chamado Delvo Pack 5, que traz um meio de cultura de bactérias. Quando a amostra analisada não possui resíduo, as bactérias se multiplicam e o teste fica amarelo. "Trata-se de um teste microbiológico que permite a identificação de um amplo número de inibidores [como resíduos antibióticos] que podem estar presentes no leite", explica o gerente técnico da Clínica, Laerte Cassoli. Segundo ele, o equipamento evita erros de interpretação e digitação.

O perigo de se comercializar leite com resíduos antibióticos está, sobretudo, na possibilidade de se prejudicar a saúde de pessoas alérgicas a essas substâncias. "Outro problema está nos possíveis prejuízos à indústria. Para fabricar iogurte, é necessário que haja fermentação, e ela não ocorre caso o leite tenha esses resíduos", aponta Cassoli. As principais fontes desses resíduos são medicamentos antibióticos aplicados nas vacas leiteiras.

Expectativas

A Clínica do Leite tem previsão de terminar o ano de 2005 realizando cerca de cinco mil análises por mês para monitoramento de resíduos antibióticos. A expectativa é de que esse número dobre no ano que vem. "Esse teste está previsto pela Normativa, e a Clínica do Leite é o primeiro laboratório a oferecê-lo", informa Cassoli. "A expectativa é de que, até o fim do ano, todas as empresas enviem amostras para esse tipo de análise."

Está sendo desenvolvido um projeto piloto de monitoramento da qualidade junto à Secretaria da Agricultura do Estado, e mais de 66 estabelecimentos ligados ao serviço de inspeção estadual aderiram voluntariamente ao projeto.

As indústrias que já realizam monitoramentona Clínica para contagem de células e contagem bacteriana, poderão solicitar ao setor de logística, da própria empresa, o envio do material de coleta para a amostra destinada à análise de resíduo.

O custo do teste de cada análise depende do número de amostras enviadas pela empresa e varia entre R$ 3,00 e R$ 10,00 por amostra, valor abaixo do custo do que a empresa teria se realizasse o teste no próprio laboratório.

Normativa

A Instrução Normativa 51 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que estabelece novas regras para a produção de leite, entrou em vigor no dia 1º de julho. A medida obriga produtores e indústrias de beneficiamento a submeter, mensalmente, seus produtos a análises laboratoriais.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Esalq


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos