Laser -
Esta página já teve 134.614.841 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.668 acessos diários
home | entre em contato
 

Laser

Psoríase em placas e excimer laser

02/11/2005
 

Laser excimer fornece raios ultravioletas B monocromáticos de alta energia de 308nm. Vantagens de sua utilização, comparados a fontes de ultravioleta convencionais, incluem a possibilidade de se estabelecer alvos em lesões cutâneas, reduzindo a dose cumulativa e induzindo desaparecimento  mais rápido da lesão. Estudos de laser em pulsoterapia (PDL) para tratamento de psoríase relatam taxas de resposta entre 57% e 82%; a remissão pode se estender até 15 meses.

 

Pesquisadores publicaram, recentemente, no British Journal of Dermatology, um ensaio clínico controlado, em que cada paciente era seu próprio controle, para avaliação do tratamento de psoríase em placas. Vinte e dois pacientes adultos, com Área Média de Psoríase-Índice de Gravidade igual a 7,1 foram incluídos no estudo. Quinze pacientes completaram o tratamento, dos quais 13 indivíduos foram acompanhados por um ano. Duas placas selecionadas foram tratadas com laser excimer duas vezes por semana e PDL V BeamÒ, com pré-tratamento com ácido salicílico, a cada quatro semanas, respectivamente. Duas placas adicionais, tratadas apenas com ácido salicílico ou não tratadas, serviram como controle. As medidas de evolução primárias foram: (I) alterações dos escores de Atividade de Psoríase-Índice de Gravidade modificados da placa, desde a situação basal até o término do tratamento; (II) resposta clínica ao tratamento, avaliada por fotografias seriadas; (III) porcentagem de placas que desapareceram ao término do tratamento; e (IV) porcentagem de placas desaparecidas após um ano de acompanhamento. As medidas secundárias de evolução foram: (I) número de tratamentos a laser para desaparecimento da lesão; (II) tempo para recidiva das lesões; (III) freqüência de efeitos colaterais; e (IV) observações qualitativas com SIAscopeÒ.

 

A melhora média dos escores de Atividade de Psoríase-Índice de Gravidade foi igual a 4,7 (desvio-padrão [D.P.] = 2,4) após tratamento com PDL. A melhora dos escores de Atividade de Psoríase-Índice de Gravidade foi significativamente maior após tratamento com laser excimer, comparado a PDL (p=0,003) ou aos tratamentos controle (p<0,001). Resposta clínica ao tratamento indicou que 13 pacientes apresentaram melhor resposta com excimer, dois pacientes tiveram melhor resposta com PDL e em sete pacientes não houve diferenças quanto a resposta clínica a tratamento com PDL ou laser excimer. A resposta clínica ao tratamento foi significativamente maior ao tratamento com laser excimer, comparado a PDL (p=0,003) ou a ambos tratamentos controle (p<0,001). A resposta clínica ao tratamento também foi significativamente maior para PDL que para ácido salicílico isoladamente (p=0,004) ou ausência de tratamento (p=0,002). Nove (41%) pacientes apresentaram desaparecimento das lesões com excimer, após tratamento médio de 8,7 semanas, mediana igual a dez semanas. Sete entre nove pacientes foram acompanhados por um ano; quatro indivíduos permaneceram sem lesões, dois pacientes apresentaram recidivas em um mês e um paciente apresentou recidiva após seis meses. Seis (27%) pacientes apresentaram desaparecimento das lesões com PDL, após quatro tratamentos. Todos os seis pacientes foram acompanhados por um ano; quatro indivíduos permaneceram sem lesões, um indivíduo apresentou recidiva após quatro meses e outro paciente teve recidivas após nove meses. Apesar dos efeitos colaterais comuns como hiperprigmentação e formação de bolhas, a satisfação dos pacientes com os resultados obtidos foi elevada. Imagens seriadas obtidas com SIAscopeÒ durante o tratamento indicaram diferentes mecanismos de ação com as duas modalidades de laserterapia.

 

Portanto, os pesquisadores concluíram que laser em pulsoterapia (PDL) e laser excimer são modalidades terapêuticas úteis para psoríase em placas, proporcionando remissão a longo prazo.

Controlled study of excimer and pulsed dye lasers in the treatment of psoriasis - British Journal of Dermatology 2005;153(5):960

Controlled study of excimer and pulsed dye lasers in the treatment of psoriasis
S.M. Taibjee, S-T. Cheung, S. Laube and S.W. Lanigan
 Summary

Background and objectives The excimer laser delivers high energy monochromatic ultraviolet (UV) B at 308 nm. Advantages over conventional UV sources include targeting of lesional skin, reducing cumulative dose and inducing faster clearance. Studies of the pulsed dye laser (PDL) in psoriasis report between 57% and 82% response rates; remission may extend to 15 months. To our knowledge, this is the first study assessing both excimer and PDL in psoriasis.

Methods We conducted a within-patient controlled prospective trial of treatment of localized plaque psoriasis. Twenty-two adult patients, mean Psoriasis Area and Severity Index 7·1, were recruited. Fifteen patients completed the full treatment, of which 13 were followed up to 1 year. Two selected plaques were treated with excimer twice weekly and V Beam® PDL, pretreated with salicylic acid (SA), every 4 weeks, respectively. Two additional plaques, treated with SA alone or untreated, served as controls. The primary outcome measures were: (i) changes in plaque-modified Psoriasis Activity and Severity Index (PSI) scores from baseline to end of treatment; (ii) clinical response to treatment (CRT), assessed by serial photographs; (iii) percentage of plaques clear at the end of treatment; and (iv) percentage of plaques clear at 1-year follow-up. The secondary outcome measures were: (i) number of laser treatments to clearance; (ii) time to relapse; (iii) frequency of side-effects; and (iv) qualitative observations with SIAscope®.

Results The mean improvement in PSI was 4·7 (SD 2·1) with excimer and 2·7 (SD 2·4) with PDL. PSI improvement was significantly greater in excimer than PDL (P = 0·003) or both control plaques (P < 0·001). CRT indicated 13 patients responded best with excimer, two patients best with PDL, and in seven patients there was no difference between the two lasers. CRT was significantly greater for excimer than PDL (P = 0·003) or both controls (P < 0·001). CRT was also significantly greater for PDL than SA alone (P = 0·004) or untreated control (P =0·002). Nine (41%) patients cleared with excimer, after mean 8·7, median 10 weeks treatment. Seven of these nine patients were followed up to 1 year; four remained clear, two relapsed at 1 month, and one at 6 months. Six (27%) patients cleared with PDL, after mean 3·3, median four treatments. All six patients were followed up to 1 year; four remained clear, one relapsed at 4 months and one at 9 months. Despite common side-effects including blistering and hyperpigmentation, patient satisfaction was high. Serial images obtained with the SIAscope® during treatment indicated different mechanisms of action of the two lasers.

Conclusions Excimer and V Beam® PDL are useful treatments for plaque psoriasis. Although the excimer appears to be on average more efficacious, a subset of patients may respond better to PDL. Long-term remission is achievable with both lasers.


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos