-
Esta página já teve 132.449.326 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.706 acessos diários
home | entre em contato
 

Hipertensão/Pressão Alta

Homens com IMC considerado normal também podem sofrer hipertensão arterial

19/11/2005

Mesmo os valores considerados normais de IMC, entre 22,5 e 25, podem indicar, nos homens, risco para desenvolver a hipertensão arterial, como mostra estudo da FSP feito com funcionários de um hospital de São Paulo

 

 

 

Valores considerados normais de Índice de Massa Corpórea (IMC) - entre 22,5 e 25 - podem indicar risco para o desenvolvimento de hipertensão arterial entre os homens. A conclusão é de uma pesquisa apresentada na Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP pelo médico Flávio Sarno. Entre as mulheres, também foi encontrado um aumento de risco, mas o valor não atingiu significância estatística.

Segundo o pesquisador, o problema não está apenas em passar da faixa "normal" para a faixa "sobrepeso", mas sim em ganhar peso ao longo do tempo. Assim, se uma pessoa passa, por exemplo, do IMC 22 para o 24, pode haver um aumento do risco de hipertensão, apesar de o índice permanecer no intervalo considerado normal.

O Índice de Massa Corpórea (IMC) relaciona o peso da pessoa com sua altura e indica a quantidade aproximada de gordura geral no corpo. Atualmente, os valores considerados normais vão de 18,5 a 24,9 kg/m². A partir de 25, configura-se sobrepeso e, acima de 30, obesidade. "Os pontos de corte e a divisão em faixas de normalidade e anormalidade são importantes para que os médicos tenham um referencial para a tomada de decisões clínicas. Entretanto, a associação entre excesso de peso e suas comorbidades - patologias como hipertensão, diabetes, aumento do colesterol e triglicérides - é contínua, e não 'recortada'", explica Sarno.

Levantamento
Sarno avaliou o estado de saúde de 1.584 funcionários do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, com idade média de 33 anos. Eles responderam a um questionário e passaram por medições de peso, altura, cintura abdominal e pressão arterial. "Notamos que tanto o excesso de gordura corporal geral como o excesso de gordura na região abdominal estão associados ao desenvolvimento de hipertensão", afirma o médico. "E mesmo índices considerados normais de IMC - de 22,5 a 24,9 - já representam um risco para os homens."

Conforme aumenta o valor do IMC, cresce o risco da hipertensão. Sarno verificou que homens com IMC acima de 22,5 e abaixo de 25 têm duas vezes mais chances de desenvolver a doença do que aqueles com valores abaixo de 22,5.

O excesso de risco entre os obesos (IMC acima de 30) é de 12 vezes entre os homens e de 8,7 vezes para as mulheres. As chances de hipertensão também aumentam progressivamente com relação à circunferência abdominal (CA): homens com CA acima de 102 cm têm quase seis vezes mais risco de ter hipertensão, e mulheres com CA acima de 88 cm têm cerca de quatro vezes mais chances para o desenvolvimento da doença, quando ambos são comparados às pessoas com medida de cintura abdominal normal.

O médico admite que, por ter feito sua pesquisa apenas entre funcionários de um hospital, não pode "extrapolar esses resultados como sendo padrão para a população brasileira". É possível que outros fatores e características dos funcionários, como o estresse, tenham influenciado o resultado. "Embora tenhamos chegado a conclusões consistentes, há necessidade de pesquisas mais abrangentes e que analisem outras comorbidades associadas ao excesso de peso, tão importantes quanto a hipertensão arterial, como o diabetes e as dislipidemias, caracterizadas pelo aumento anormal da taxa de lipídios no sangue", afirma.

 

www.usp.br

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos