Nutrologia/Alimentos/Nutrição - Noz-moscada
Esta página já teve 115.738.992 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.709 acessos diários
home | entre em contato
 

Nutrologia/Alimentos/Nutrição

Noz-moscada

26/11/2005


É oriunda da Indonésia e faz parte daquele grupo de especiarias que motivaram os portugueses a chegar à Índia por mar. Tem sido utilizada ao longo dos tempos sobretudo em culinária, apura o sabor do puré de batata, o peixe e os molhos.

NOZ-MOSCADA-DO-BRASIL

Familia : MYRISTICACEAE

Nome Cientifico:MYRISTICA BICUHYBA SCHOOT.

Nomes Populares:
BECUIBA, BICUIBA-DA-FOLHA-MIUDA, BICUIDA-REDONDA, BICUIBA-VERMELHA, BUBUIBA, BUCUUVA, BUCUUVA-ASSU, CANELA, CANELA-CEGA, CANELA-DE-PAPAGAIO, MOSCADA, MOSCADEIRA-DO-BRASIL, NHATINGA (SAO PAULO), VICUIBA,

Indicacoes Terapeuticas:
ESTIMULANTE, ADSTRINGENTE, ESTOMÁQUICA, ANTI-DIARRÈICO, HEMOSTÁTICA, LEUCORRÉIA, INFLAMAÇÕES, ERISIPELA, REUMATISMO, VER CASCA/SEMENTE/INFUSO/DECOC, VER CASCA/SEMENTE/INFUSO/DECOC, VER CASCA/SEMENTE/INFUSO/DECOC,

 

Mais:

  • A Myristica fragrans (Noz-moscada, também chamada de mace), sempre foi utilizada como condimento, mas desde a antiguidade se sabe de seu efeito tóxico.
  • O pozinho é a forma utilizada como forma de abuso também.
  • A semente possui 5 a 15% de gás volátil, que parece ser o principal responsável pelos efeitos tóxicos... mas fora isso, há também componentes psicoativos.
  • 5 a 30g do pó é suficiente para drogar alguém, e há quem diga que 18g já cria casos graves e que já houve óbitos de crianças após comer duas nozes.
  • Os efeitos demoram a aparecer (3 a 6 horas após a ingestão), mas podem durar mais de 24h. Entre os efeitos, já se descreveu: sensação de bebedeira, ansiedade, "hiperexcitabilidade", euforia, alucinações visuais, distorção de tempo e espaço e desespero total. Inclusive secura na boca e no nariz, taquicardia, vômito, náuseas, etc, 

 Click e:Veja mais sobre sua toxidade

Noz Moscada

Deriva do latim nux muscatus, noz almiscarada ou do grego makir, que denota um tempero oriental que poderia ser o macis. Em algumas línguas européias, o macis é denominado flor de noz moscada. O gênero Myristica tem origem no grego myron, bálsamo, unção, relacionado possivelmente à mirra. o nome da espécie frangrans, significa em latim fragrante, aromático.

 

Partes usadas: semente. A noz-moscada não é uma noz, mas o caroço de um fruto similar ao damasco. O macis é o revestimento fino similar a uma rede que envolve o caroço, logo abaixo da polpa do fruto. Para evitar a perda de sabor e a aquisição de produtos impróprios recomenda-se a compra das sementes inteiras para serem raladas no momento de utilizar. Aromáticos, sendo o macis ligeiramente mais aromático que a noz-moscada. Perde o aroma rapidamente, devendo ser ralada a noz-moscada antes de servir. 

Devido à sua limitada distribuição geográfica, a noz-moscada tornou-se conhecida na Europa a partir do século XI, por meio de comerciantes árabes, utilizada inicialmente para aromatizar cervejas. Sua origem era erroneamente atribuída à Índia. Disponível na Europa a partir do século XIII, o comércio significativo não iniciou antes do século XVI, com as navegações portuguesas para as Índias e a Indonésia. 

No século XVII os holandeses substituíram os portugueses no monopólio comercial da noz-moscada e do cravo, monopólios fáceis de manter devido ao isolamento das ilhas produtoras. Os nativos, não desejando cooperar com os colonizadores holandeses foram praticamente exterminados, sendo substituídos por árabes e chineses. 

Este monopólio da Cia. das Índias Orientais foi afetado apenas no século XVIII, quando os franceses contrabandearam árvores de noz moscada. Esta estória afetou a copmposição da população nas ilhas Banda, com templos chineses lado a lado com mesquitas e casas coloniais européias. A variedade cultivada em Granada é utilizada no Caribe, sendo utilizada largamente, desde sorvetes até misturas de especiarias na Jamaica.

 

A noz-moscada possui cerca de 10% de óleo essencial, composto principalmente por hidrocarbonetos. Pode possuir propriedades alucinógenas em altas dosagens (porções acima de metade da semente).

 

Apesar da importância comparativamente reduzida da noz moscada nos dias atuais, tanto esta como o macis são utilizados nos países árabes para temperar carnes, no norte da Índia, Marrocos, Tunísia e Arábia Saudita para compor misturas de temperos. 

Na culinária ocidental, são populares em biscoitos, bolos e frutas cozidas, sendo utilizados para aromatizar queijos (em fondues por exemplo), combinadas a espinafre em massas recheadas na Itália, ou com repolho, batatas, vegetais, cozidos, molhos, sopas e carnes na Holanda. 

O tempero francês quatre épices contém noz moscada misturada a pimenta do reino, cravo e gengibre, podendo ser acrescentada como especiaria adicional a canela, todos moídos finamente e utilizados em carnes, especialmente aquelas cujo preparo depende de longo tempo de cozimento. Em geral, esta mistura de especiarias pode substituir a pimenta do reino, com sabor mais encorpado e aroma mais rico.

Fonte: http://www-ang.kfunigraz.ac.at/~katzer/engl/index.html
 
Nome científico
Myristica fragrans Houtt.
Família
Myristicaceae
Origem
Indonésia Oriental
Sinônimos


Alemão
Muskatnuß

Amharic
Gewz

Árabe
Basbasa, Josat al teeb

Burmês
Mutwinda

Chinês
Rou dou kou, Jon tou k ou, Jon tau kau, Tau kau

Espanhol
Moscada, Nuez moscada

Estoniano
Lõhnav muskaadipuu

Finlandês
Muskottipähkin

Farsi
Djus hendi

Francês
Noix de muscade, Muscade

Gujrati
Jayfal

Hindi
Jaiphal, Taifal, Kathal

Holandês
Nootmuskaat

Húngaro
Szerecsendió

Indonésio
Pala

Inglês
Nutmeg

Islandês
Múskat

Italiano
Noce moscata

Japonês
Nikuzuku

Khmer
Pock kak

Laociano
Chan thed

Malaísio
Buah pala

Malaísio
Kembang pala, Pokok pala

Marathi
Jayphal

Norueguês
Muskatnøtt

Português
Noz moscada

Russo
Muskatniy orekh

Sânscrito
Jatiphala

Singhalês
Sadikka

Sueco
Muskotnöt

Tagalog
Duguan

Tailandês
Chan thet, Luk chand, Chan ban

Tibetano
Zati, Dza ti

Turco
Küçük hindistancevizi

 

Quando Tóxico:

Óleo de noz-moscada

Definição:

Envenenamento causado por ingestão de óleo de noz-moscada.

Elemento tóxico:

  • óleo de noz-moscada

Onde é encontrado:

  • óleo de noz-moscada

Obs.: Pode ser que esta lista não mencione todos os elementos.

 

Sintomas:

  • gerais
    • convulsões
    • boca seca

     

  • nos olhos, ouvidos, nariz e garganta
    • visão dupla

     

  • gastrointestinais
    • dor abdominal

     

  • no coração e vasos sangüíneos
    • batimentos cardíacos acelerados

     

  • no sistema nervoso
    • agitação
    • ansiedade
    • euforia transitória (sensação de bem-estar exagerado)
    • delírio
    • sonolência
    • alucinações
    • tontura leve

 

Tratamento em casa:

Se for instruído para induzir a êmese, o procedimento usual é o seguinte:

Administrar a dose usual de xarope de ipeca: 15 ml ou uma colher de SOPA cheia para crianças e 30 ml (2 colheres de SOPA cheia) para adultos, seguida de 1/2 copo d´água (120 ml) para crianças e 1 copo d´água (250 ml) para adultos, repetindo-se o procedimento dentro de 1/2 hora se o vômito não ocorrer.

Antes de chamar o serviço de emergência:

Determine o seguinte:

  • a idade, o peso e a condição do paciente
  • o nome do produto (seus ingredientes e suas respectivas toxicidades, se conhecidos)
  • hora em que foi ingerido
  • quantidade ingerida

Centro de Controle de Envenenamentos ou número de emergência local:

Você será informado se é necessário levar o paciente para o hospital. Veja endereços e telefones dos Centros de Controle de Envenenamentos. Leve o recipiente para o pronto-socorro.

O que esperar na sala de emergências:

Podem ser realizados alguns ou todos os procedimentos abaixo:

  • lavagem gástrica
  • administração de catártico (evacuador intestinal)
  • tratamento dos sintomas

Expectativas (prognóstico):

A ocorrência de óbito é extremamente rara.

 

 


As informações contidas neste documento não devem ser utilizadas para fins de diagnóstico ou tratamento de quaisquer doenças ou problemas de saúde. Para o diagnóstico e tratamento de todo e qualquer problema de saúde deve-se consultar sempre um profissional de saúde qualificado 

.

 

ANEXOS

Náusea e Vômitos

 

Nomes alternativos:

êmese, indisposição estomacal, mal-estar estomacal, vômitos

Definição:

Náusea é a sensação que leva à necessidade de vomitar. Vomitar é forçar a saída do conteúdo do estômago através do esôfago e pela boca.

Considerações gerais:

A desidratação é a maior preocupação na maioria dos episódios de vômitos. A possibilidade dessa ocorrência depende do tamanho da pessoa, da freqüência dos episódios de vômito, e da presença ou não de diarréia.

Os bebês com episódios freqüentes de vômitos ou diarréia estão em alto risco de se desidratarem e requerem atendimento médico imediato.

São sinais de desidratação: sede acentuada, micção não freqüente ou urina amarela escuro, boca seca, olhos fundos, e pele sem a elasticidade normal.

Causas comuns:

  • medicamentos
  • infecções virais
  • enjôo do mar ou por movimento
  • cefaléias hemicrânias
  • mal-estar matinal durante a gestação
  • intoxicação alimentar
  • alergia alimentar
  • quimioterapia em pacientes com câncer
  • bulimia
  • alcoolismo

Causas possíveis de vômitos em bebês (0 a 6 meses):

  • estenose pilórica congênita; uma constrição da saída do estômago (neste distúrbio, o bebê - geralmente menino, com menos de 4 meses de idade - vomita com força após cada mamada mas, fora esse sintoma, aparenta ser saudável);
  • problemas de equilíbrio causados por se balançar o bebê imediatamente após a mamada;
  • alergias alimentares ou intolerância ao leite;
  • gastroenterite (infecção do trato digestivo que normalmente causa vômitos com diarréia);
  • refluxo gastroesofágico;
  • o orifício do bico da mamadeira pode não ter o tamanho correto;
  • infecção, com freqüência acompanhada de febre ou nariz escorrendo;
  • obstrução intestinal, denunciada por ataques recorrentes de vômitos, e também por choro alto ou gritos, típicos de quando se sente muita dor;
  • ingestão acidental de alguma droga ou veneno - Chame o médico IMEDIATAMENTE ou leve a criança a um pronto-socorro!

Obs.: pode haver outras causas para este problema. Esta lista não menciona todas elas e sua apresentação não está em ordem de probabilidade. As causas destes sintomas podem incluir, indiferentemente, doenças e medicamentos. Além disso, essas causas podem variar com base na idade e sexo da pessoa afetada, assim como nos aspectos específicos do sintoma como: características, evolução, fatores agravantes, fatores atenuantes e queixas associadas. Utilize a opção Análise de Sintomas para explorar as explicações possíveis para a ocorrência deste distúrbio, seja isolado ou combinado com outros problemas.

Bulimia

 

Nomes alternativos:

comportamento bulímico; distúrbios de alimentação

Definição:

Doença caracterizada por episódios incontrolados de ingestão excessiva de alimentos, geralmente seguidos por vômitos provocados (veja também anorexia nervosa).

Causas, incidência e fatores de risco:

Na bulimia o comportamento de comer desenfreadamente pode ocorrer diversas vezes ao dia. O vômito provocado, conhecido com purificação permite que se coma continuamente até que o processo seja interrompido pelo sono, por dor abdominal ou pela presença de outra pessoa.

A pessoa geralmente está consciente de que o seu padrão de alimentação é anormal e pode sentir medo ou ter sentimento de culpa associados aos episódios de comportamento bulímico. O comportamento é geralmente reservado, embora indícios desse distúrbio incluam superatividade, rituais e hábitos peculiares de alimentação e o costume de se pesar freqüentemente. O peso corporal é sempre normal ou abaixo do normal, embora a pessoa se julgue com acima do peso.

A causa exata da bulimia é desconhecida, mas acredita-se que os fatores que contribuem para o seu desenvolvimento são: problemas familiares, dificuldade de adaptação, conflitos de auto-identidade e a ênfase exagerada na aparência física. A bulimia também pode estar associada à depressão. O distúrbio não é geralmente associado com qualquer problema físico subjacente, embora o comportamento possa estar associado a doenças neurológicas ou endócrinas. Essa condição ocorre com maior freqüência em jovens do sexo feminino, adolescentes ou no início da idade adulta. A incidência é de 2 casos em cada 10.000 pessoas

 

 

Anorexia nervosa

 

Nomes Alternativos:

distúrbio da alimentação, anorexia nervosa


Definição:

Distúrbio da alimentação associado à uma imagem distorcida do corpo que pode ser causada por um distúrbio mental. Ingestão inadequada de calorias que resulta em grave perda de peso (veja também bulimia e perda intencional de peso).


Causas, incidência e fatores de risco:

A causa exata deste distúrbio é desconhecida, mas atitudes sociais em relação à aparência do corpo e fatores familiares desempenham um papel no seu desenvolvimento. Esta condição afeta o sexo feminino mais freqüentemente, geralmente adolescentes ou jovens adultas. O empanturramento seguido de vômito (espontâneo ou induzido) e o uso inapropriado de laxantes ou diuréticos são comportamentos que podem acompanhar esse distúrbio. Fatores de risco são origem caucasiana, bom nível sócio-econômico, sexo feminino e ter uma família ou uma personalidade orientadas para alcançar objetivos. A incidência é de 4 em cada 100.000 pessoas.

 

 

Cólicas

As cólicas abdominais são sintomas muito que sempre devem ser destacados quando ocorrem na 3a. idade. Muitas vezes significam uma condição cirúrgica de urgência. O primeiro cuidado que se deve ter é com a rapidez do diagnóstico. Uma situação cirúrgica tardiamente diagnosticada é a grande causa da má evolução da doença. Deve sempre ser evitada a auto medicação. A dor abdominal com sintomas intestinais, principalmente a parada na eliminação de gases, é muito sugestiva de obstrução intestinal.

 

 

Dispepsia

Também conhecida como dispepsia, a indigestão é o nome genérico para designar os problemas que acompanham o processo de digestão. Pode ser causada por distúrbios como gastrite ou úlcera, mas também se originar em problemas emocionais, como histeria, estresse, depressão ou algum tipo de fobia. Na maioria das vezes, no entanto, a indigestão costuma ser causada por hábitos alimentares irregulares, como comer rápido e fora de hora. É a dificuldade em digerir.Os sintomas da indigestão são tão variados quanto suas causas. Dependendo da intensidade, a pessoa sente dores agudas e uma sensação de peso no estômago, azia, náuseas, vômito, gases, gosto de ácido na boca, vertigens e prisão de ventre.

 

www.herbario.com.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~