- A Fissura Anal
Esta página já teve 132.448.200 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.706 acessos diários
home | entre em contato
 

Gastroenterologia/Proctologia/Fígado

A Fissura Anal

06/12/2005


Muitas pessoas tem uma experiência como laceração ou uma fissura no canto da boca que pode ocorrer na época do frio ou quando boceja. Similarmente, a fissura anal é um pequeno rasgo na pele do ânus, freqüentemente causado por intestino preso. Quando as fezes são endurecidas e secas no momento da evacuação, resulta na ruptura da pele do ânus. A fissura também pode ocorrer quando há diarréia ou quando há uma inflamação no reto. Como resultado final, o ânus torna-se seco e irritado causando a ruptura do ânus. Agressão na região anal durante o parto e abuso de laxantes podem ser outras causas. A fissura é bastante dolorosa durante e imediatamente após evacuação. Isto é causado pela presença de um músculo que envolve o ânus e o canal anal para controlar a passagem e manter o ânus fechado. Quando este músculo é forçado no momento da evacuação, surge um rasgo no canal anal que corresponde a fissura. Isto pode também causar sangramento ou coceira.

DIAGNÓSTICO
Um simples exame visual do ânus, revela a fissura. Geralmente são localizadas na parte posterior da borda anal.


TRATAMENTO


A maioria melhora sem cirurgia. Geralmente o uso de medicação reduzindo a consistência das fezes ajuda a reduzir a dor durante a evacuação. Eventualmente creme de uso local pode ajudar. É importante que o ânus e área entre as nádegas estejam sem limpas e secas. Depois do banho o paciente deve secar a área com delicadeza usando uma toalha limpa e macia. Aplicação de talco é freqüentemente recomendada. Banhos de assento aliviam o desconforto e ajuda na cicatrização. Os banhos de assento devem ser com água fria por 15 a 20 min várias vezes por dia. Se a fissura não responder ao tratamento, o médico deve examinar novamente o paciente. Há situações em que o músculo se contrai exageradamente que pode interferir no processo de cicatrização, fissuras que não cicatrizam podem ser corrigidas com cirurgia. É uma pequena cirurgia usualmente feita em consultório. Sob anestesia local é cortado uma pequena porção do músculo anal, retirando e prevenindo o espasmo. Isto ajuda a cicatrizar a área da fissura e raramente interfere com o controle da evacuação. A cicatrização ocorre em poucas semanas. A dor freqüentemente desaparece após poucos dias. Mais de 90% dos pacientes que se submetem à cirurgia não tem nenhum problema posterior. Para evitar o retorno das fissuras deve tomar no mínimo 8 copos de água por dia e manter adequada fibra na alimentação. Isto previne intestino preso que é a causa mais freqüente das fissuras.

www.gastroweb.com.br

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos