Meio Ambiente/Ecologia -
Esta página já teve 132.446.224 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.706 acessos diários
home | entre em contato
 

Meio Ambiente/Ecologia

Postos serão obrigados a reaproveitar água na lavagem de veículos

17/02/2006

 

 

Os donos de postos que oferecem o serviço de lavagem de carro serão obrigados a instalar filtros de reutilização de água. Agora, o desperdício é contra a lei no Distrito Federal. A concessão ou renovação do alvará de funcionamentos dos postos ficará condicionada ao cumprimento da medida. Publicada nesta semana no Diário Oficial do DF, o prazo para regulamentação da lei é de seis meses. O investimento na aquisição do filtro ficará a cargo dos empresários.

"Esta lei é de fundamental importância porque você vai deixar de demandar água virgem para ser utilizada em fins não nobres, como lavar carros, por exemplo", diz o sub-secretário da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Pedro Celso Antonieto. Ele explica que agora a lei será enviada para o Conselho de Recursos Hídricos do DF. Formado por representantes da sociedade civil, usuários e governo, o conselho estabelecerá as diretrizes para regulamentação da norma.

Serão definidos como os postos farão a captação da água, que tipo de filtro será utilizado, qual a qualidade de água reutilizada que será admitida e como isto será implementado. A estimativa é que dentro de um ano a lei vire realidade no DF. Após o prazo de seis meses para regularização, pode ser dado ou não um segundo prazo para os postos se adequarem. O proprietário da rede Jarjour explica que em um primeiro momento a classe pode não aprovar a medida, mas a cidade sairá beneficiada.

"No começo, o dono do posto pode achar que vai pagar mais, por conta do filtro, só que no final ele economiza com a conta de água. Hoje o desperdício é muito grande. Na minha opinião é uma lei justa", diz Abdala Jarjour. A reportagem procurou o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do DF (Sinpetro), mas não obteve retorno. O autor do projeto, deputado distrital Peniel Pacheco (PDT), considera que não haverá problemas na viabilização da lei.

Desperdício
"O filtro é um equipamento comum no mercado, parecido com o utilizado em piscinas. Além disso, hoje os postos utilizam água da Caesb ou de poços artesianos regulares. Então, será fácil para o governo estabelecer um controle", diz Pacheco. O deputado conta que a idéia da lei surgiu a partir do grande desperdício verificado no DF. "Cada vez que um carro é lavado há um desperdício total. A mesma água utilizada para lavar um veículo pode ser reutilizada até cinco vezes", afirma.

Economia
Nos cálculos do sub-secretário da Semarh, pode haver uma grande economia de água. "Vai reduzir quase em 60% o consumo de água nestes pontos de utilização", afirma Pedro Celso. A justificativa para a criação da lei, é que o desperdício de água nos postos de lavagens de veículos vem comprometendo "sensivelmente" os mananciais do DF. "Tanto pela exaustão como pela contaminação por dejetos que são disseminados no meio ambiente", diz o texto da lei.

Pesquisa
Segundo pesquisa do Ibope divulgada em 2005, 88% dos brasileiros acreditam que o país terá problemas de abastecimento de água a médio ou longo prazo; 64% dos jovens gastam de 6 a 15 minutos no banho; e 44% da população aponta o desperdício como o maior problema que pode afetar o abastecimento de água no Brasil. Além disso, a pesquisa concluiu que, para evitar o desperdício, 50% dos brasileiros propõem fechar a torneira na hora de escovar os dentes e reduzir o tempo no banho.

 

 

(Fonte: CorreioWeb)

 

 

Para acessar o site do Idec, clique aqui.


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos