- Primeiros socorros: Fraturas
Esta página já teve 133.089.112 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.664 acessos diários
home | entre em contato
 

Primeiros socorros/Emergência

Primeiros socorros: Fraturas

16/06/2003

 

 

 

1. Fraturas
Existem dois tipos de fraturas: as fechadas (a pele fica intacta) e as expostas (quando o osso atravessa a pele).

Essas últimas exigem cuidados especiais e socorro imediato.
• Enquanto o socorro não vem, a pessoa deve ficar calma e aquecida. Se possível, devem ser aplicadas compressas de gelo que auxiliarão a reduzir o inchaço, a dor e a progressão do hematoma. Caso haja hemorragia, é preciso estancá-la, aplicando-se uma bandagem ou pano limpo sobre o ferimento e pressionando-o por cerca de cinco minutos.

• Se houver suspeita de que a pessoa fraturou o pescoço e as costas, é preciso todo cuidado para removê-la. O ideal é que o socorro seja prestado por três pessoas que deverão erguer a vítima e apoiar o seu corpo numa maca. Se não houver uma maca, pode-se utilizar uma tábua ou cobertores. A cabeça da pessoa deve ficar apoiada de forma a não cair para trás.

• Em caso de quedas, também são comuns o entorce – torção de uma articulação, com lesão dos ligamentos (estrutura que sustenta as articulações) –, e a luxação – deslocamento de um ou mais ossos para fora da sua posição normal. Em ambos os casos, os primeiros socorros devem ser semelhantes aos aplicados nos casos de fratura fechada.
Não se deve massagear a região afetada e nem tentar recolocar o osso no lugar.

2. Queimaduras
As queimaduras são classificadas em três tipos, de acordo com a gravidade da lesão. As de 1º grau têm como sinais clínicos vermelhidão local e dor; as de 2º grau, presença de bolha e dor; e as de 3º grau, branqueamento e ausência de dor. Para cada tipo é recomendada uma conduta médica diferente. Nas de 3º grau, há a necessidade de conduta médica e cirúrgica. Como são muito graves, geralmente é preciso fazer a colocação de enxerto. O máximo que pode ser feito, antes de levar o paciente para o hospital mais próximo, é colocar toalhas secas e muito limpas sobre a região afetada.

• Nas de 2º grau, deve-se evitar estourar a bolha, que funciona como um curativo biológico. Se a bolha for muito extensa, é importante que se leve o paciente a um médico, para que sejam feitos curativos. Podem ser dados analgésicos ao paciente, mas apenas por via oral (boca). Deve-se evitar a colocação de produtos tópicos no local. Nunca se deve colocar borra de café ou pasta de dente, pois há o risco de se aprofundar a lesão com esses produtos. É imprescindível levar o paciente ao médico, quando a extensão da queimadura for grande e/ou quando comprometer pés, mãos, face e genitais.

• Nas de 1º grau, pode-se lavar com água corrente para aliviar os sintomas da queimadura. Também podem ser dados analgésicos, por via oral. São recomendados o uso de hidratantes nos dias seguintes e filtro solar, para evitar manchas.

• As queimaduras de 1º grau se curam em 1 semana; as de 2º grau, em quinze dias; e as de 3º grau dependem do tratamento cirúrgico.

 

 

 

 

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos