- Saiba mais sobre os laxantes
Esta página já teve 132.460.980 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.704 acessos diários
home | entre em contato
 

Gastroenterologia/Proctologia/Fígado

Saiba mais sobre os laxantes

24/03/2006

 

·         Laxantes de volume ( incrementadores do bolo fecal )

O tratamento mais correcto da obstipação é feito com dieta rica em fibra suplementada com os laxantes de volume "Bulk-forming laxatives":

    Farelo
    Ispagula ( Agiocur, Agiolax  este contém sene e por isso o seu uso não deve ser prolongado  )
    Psyllium 
   
Bassorina ( Normacol )
   
Plantago ( Mucofalk )

O efeito começa a verificar-se 12- 72 horas depois do início da ingestão.

As indicações clínicas são:
    - Obstipação simples
    - Amolecimento das fezes em situações associadas a hemorróidas sintomáticas, fissura anal, cirurgia anorectal ou úlcera solitária;
    - Obstipação e diarreia do Síndrome de Intestino Irritável
    - Doença Divertícular do Cólon
    - Diarreia ligeira associada a Ileostomia ou colostomia

                  Os laxantes de volume podem ser causa de obstrução intestinal, por esse motivo devem ser sempre tomados com bastante líquido. Os laxantes de volume podem aumentar a distensão e a dor abdominal. É boa norma começar com pequenas quantidades e aumentá-las a pouco e pouco, até atingir a quantidade ideal.

·         Laxantes osmóticos

Lactulose 
Sorbitol

São açucares não absorvidos que provocam uma diarreia osmótica.

As indicações clínicas são:

    - Obstipação
     - Encafalopatia hepática

Estes laxantes causam com frequência, distensão abdominal, flatulência, desconforto abdominal. Deve começar-se o tratamento com pequenas quantidades e aumentar paulatinamente. 

·         Laxantes Salinos

Leite de magnésia

·         Procinéticos

·         Laxantes estimulantes ou de contacto

         - Fenolfetaleína
           - Bisacodil
           - Sene
           - Cascara-sagrada

            Indicações clínicas:

Infelizmente são muito usados e entram na composição de grande parte dos laxantes com nomes inofensivos e atraentes mas deviam usar-se apenas em períodos muito curtos, para a preparação de exames endoscópicos ou radiológicos  ou cirurgia do intestino. A realidade é bem diferente e com frequência são usados cronicamente dando origem ao Cólon Catártico.  

·         Enemas    

Antiespasmódicos

·         Diciclomina
Parece ter um efeito antiespasmódico directo no músculo liso do intestino.

        Os usos clínicos são:
        Síndrome de Intestino Irritável
        Cólica infantil

        Está contra-indicado no Glaucoma e no Íleus Paralítico. Não deve ser utilizado nos doentes com Refluxo Gastro-esofágico nem com Hhipertrofia Prostática. Outrros efeitos secundários: secura de boca, taquicárdia, alteração da visão, cefaleias, fadiga, alucinações delirio e coma.

·         Propantelina

        É um antimuscarínico tal como a Diciclomina com as mesmas indicações e contraindicações.

  Os usos clínicos são:

 Síndrome de Intestino Irritável

·         Escopolamina


É outro antimuscarínico, mas sem os efeitos secundários sobre o CNC dos anteriores, porque não passa a barreira hemática.

        As indicações clínicas são:

        Síndrome de Intestino Irritável
        Cólica biliar
        Para obter o relaxamento muscular no Rx e endoscopia.

·         Mebeverina

        É um antimuscarínico sem efeitos anticolinérgicos, nas doses usadas na clínica.
        Deve evitar-se, no entanto, o seu uso no Refluxo Gastro-esofágico.

  As indicações clínicas são:

      Síndrome de Intestino Irritável

·         Óleo de hortelã-pimenta

Tem propriedades semelhantes aos antagonistas do cálcio.

       As indicações clínicas são:

        Síndrome de Intestino Irritável

        Está contra-indicado na Colite Ulcerosa e no Íleus Paralítico. Pode causar
        Refluxo Gastro-esofágico e raramente reacções alérgicas, cefaleias, bradicárdia, tremor múscular e ataxia.                       

Rehidratação oral

 

Salazossulfapirina e aminosalicilatos

·         Salazosulfapiridina ( sulfasalazina )

·         Mesalazina ( Ácido 5 aminosalicílico )

Tratamento da Fissura anal:

  • Nitratos ( Trinitroglicerina ou Dinitrato de isossorbido )
  • Bloqueadores do cálcio ( Nifedipina )
  • Toxina botulínica 

        Carlos Carvalheira
e-mail: carvalheira@gastro.pt
http://www.gastroalgarve.com


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos