- Colinesterases e praguicidas organofosforados e carbamatos
Esta página já teve 133.107.295 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.663 acessos diários
home | entre em contato
 

Tóxicos/Intoxicações

Colinesterases e praguicidas organofosforados e carbamatos

27/03/2006

Revista Brasileira de Toxicologia, 18(1): 43-48, 2005

Importância da linha de base pré-exposição das colinesterases (ChEs) no controle ocupacional a praguicidas organofosforados e carbamatos
Georgino H. Oliveira*; Melissa M. Gomes**; Thais L. Drumond**

Os efeitos tóxicos mais imediatos de uma intoxicação por organofosforados ou carbamatos devem-se à inibição das colinesterases (ChEs). Contudo, as faixas de variação de atividade tanto interindividual como intraindividual das ChEs são muito largas o que dificulta a interpretação dos resultados. Assim, o objetivo deste trabalho é demonstrar o valor da linha de base pré-exposição na interpretação dos resultados da atividade das ChEs de trabalhadores expostos a organofosforados e carbamatos. Utilizando-se o método de Nabb & Whitfield (1967) para analisar sangue de 48 trabalhadores, os resultados mostraram que a colinesterase eritrocitária (ChE-Er) variou de 10,1 a 19,7 mmol/min/mL e a colinesterase plasmática (ChE-Pl) de 2,2 a 6,9 mmol/min/mL. Apesar da grande variação interindividual, com a linha de base pré-exposição que utiliza a variação intraindividual foi possível correlacionar sintomas de intoxicação leve a exposição ocupacional a0 carbamato, com queda na atividade da ChE-Er menor que 30 % da atividade da linha de base pré-exposição.

unitermos: colinesterases; organofosforados; exposição ocupacional; linha de base.

 

Importance of red cell and plasma cholinesterase pre-exposure baseline into monitoring organophosphate and carbamate pesticides occupational exposed workers

The most immediate toxic effects of a poisoning for organophosphate or carbamate are promoted by inhibition of cholinesterases (ChEs). However, a serious limitation to the diagnosis of mild organophosphate or carbamate poisoning and to preventive screening of organophosphate-exposed workers has been the large interindividual variability in ChEs activity. This makes it necessary to obtain a pre-exposure baseline mesurement of enzyme activity as a basis for evaluating subsequent declines. Thus, the objective of this work is demonstrate the value of the pre-exposure baseline in the interpretation of the results of the ChEs activity of the carbamate or organophosphate-exposed workers. Using Nabb & Whitfield (1967) method to analyze blood of 48 workers the results have shown a erythrocyte cholinesterase range of 10,1 to19,7 mmol/min/mL and plasm cholinesterase range of 2,2 to 6,9 mmol/min/mL. Despite the large interindividual variation presented, when one used the pre-exposure baseline it was possible to correlate symptoms of light poisoning of the exposure workers to carbamate with fall in the Er-ChE activity lesser then 30 % of the pre-exposure baseline activity.

keywords: Keywords: cholinesterases; organophosphate, occupational exposure, baseline.

 

* - Faculdade de Ciências Farmacêuticas - Universidade Estadual Paulista. * - Estagiárias de iniciação científica do Departamento de Princípios Ativos Naturais e Toxicologia - Faculdade de Ciências Farmacêuticas - Universidade Estadual Paulista

correspondencia: Georgino Honorato de Oliveira - Faculdade de Ciências Farmacêuticas - UNESP - Rod. Araraquara-Jaú km 1 - 14.801- 902 - Araraquara - São Paulo. Telefone: 16 3301 6986 - Fax 16 222.0073
e-mail: gholive@fcfar.unesp.br

http://www.sbtox.org.br/revistaArtigo.asp?IdArtigo=59

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos