-
Esta página já teve 132.444.106 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.705 acessos diários
home | entre em contato
 

Gastroenterologia/Proctologia/Fígado

Carcinoma hepatocelular em pacientes submetidos a transplante hepático: achados radiológicos com correlação anatomopatológica no Brasil

30/05/2006

Resumo

MACIEL, Antônio Carlos, CERSKI, Carlos Thadeu, MOREIRA, Roger Klein et al. . Arq. Gastroenterol., jan./mar. 2006, vol.43, no.1, p.24-29. ISSN 0004-2803.

RACIONAL: O carcinoma hepatocelular é um dos tumores malignos mais comuns em todo o mundo. Exames de imagens, especialmente tomografia computadorizada e ultra-sonografia, estão entre as principais técnicas diagnósticas, embora a acurácia destes métodos possa apresentar significativa variabilidade. OBJETIVOS: Determinar a prevalência de carcinoma hepatocelular em pacientes cirróticos submetidos a transplante hepático na Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, RS; estimar a sensibilidade da tomografia computadorizada e da ultra-sonografia na detecção pré-transplante de carcinoma hepatocelular nesse grupo de pacientes; correlacionar características radiológicas com achados anatomopatológicos. MATERIAIS E MÉTODOS: Estudo de prevalência retrospectivo. População: pacientes adultos, cirróticos, submetidos a transplante hepático de janeiro de 1990 a julho de 2003. Entre os 292 pacientes transplantados, foi diagnosticado 31 casos de carcinoma hepatocelular, dos quais 29 foram incluídos no estudo. As características tomográficas e ecográficas dos tumores diagnosticados pré-transplante foram comparadas com as observadas em exame anatomopatológico. RESULTADOS: A prevalência da infecção pelo vírus da hepatite C nos pacientes com diagnóstico de carcinoma hepatocelular foi de 93,5% e a prevalência deste entre os pacientes transplantados foi de 10,6%. A sensibilidade dos métodos de imagem na detecção de casos de carcinoma hepatocelular foi de 70,3% para tomografia computadorizada e de 72% para ecografia. CONCLUSÃO: A prevalência de carcinoma hepatocelular na instituição onde foi desenvolvido o estudo, bem como a sensibilidade da ultra-sonografia e da tomografia computadorizada para detecção dessa neoplasia na avaliação pré-transplante foi semelhante à relatada na literatura. Em contrapartida, a prevalência de infecção pelo vírus da hepatite C, fator etiológico de hepatopatia mais freqüente nos pacientes desta série, é das maiores já relatadas. Os fatores que influenciaram as taxas de detecção de carcinoma hepatocelular foram: tempo decorrido entre realização do exame e transplante; realização de tomografia computadorizada com fase arterial; tamanho da lesão. A fase arterial provou ser a mais importante no diagnóstico de carcinoma hepatocelular neste estudo.

Palavras-chave: Carcinoma hepatocelular; Transplante de fígado; Tomografia; Ultra-sonografia.

        · resumo em inglês     · texto em inglês     · pdf em inglês


 

IBEPEGE, CBCD e SBMD

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0004-28032006000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos