-
Esta página já teve 133.046.789 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.670 acessos diários
home | entre em contato
 

Teses/Estudos Avançados/Questões

O estresse na pesquisa epidemiológica: o desgaste dos modelos de explicação coletiva do processo saúde-doença.

23/06/2006

Resumo

CASTIEL, Luis David.Physis, 2005, vol.15 supl, p.103-120. ISSN 0103-7331.

São enfocadas as dificuldades do instrumento epidemiológico em lidar com as questões postas pelos problemas contemporâneos de saúde, nos quais o conceito de estresse encontrará ampla difusão. Assim, apresenta-se uma discussão sobre o arcabouço teórico-conceitual da teoria do estresse e seus desdobramentos. Além disso, são assinaladas as limitações do método e dos modelos epidemiológicos disponíveis, ao abordarem: 1) manifestações cuja previsibilidade não é delimitável; 2) fenômenos que se encontram em níveis hierárquicos distintos. Nesses casos, a teorização subjacente à noção de risco, utilizada para explicar o adoecer referido ao nível individual, mostra-se insuficiente. A complexidade do processo saúde-doença demanda outro paradigma epistêmico que permita ao sujeito da ciência epidemiológica desenvolver outras formas de demarcar e compreender seu objeto.

Palavras-chave: Estresse; pesquisa epidemiológica; processo saúde-doença.

        · resumo em inglês     · texto em português     · pdf em português


 

Instituto de Medicina Social da UERJ

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0103-73312005000300006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos