Diabete/Diabetes -
Esta página já teve 133.084.312 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.664 acessos diários
home | entre em contato
 

Diabete/Diabetes

Novo tipo de açúcar que não é digerido pelo organismo e pode trazer benefícios à saúde

19/09/2006

Pesquisa da Unicamp apresenta novo tipo de açúcar que não é digerido pelo organismo e pode trazer benefícios à saúde

Açúcar saudável


 

Por Thiago Romero

Agência FAPESP - Uma variedade de açúcar que contém uma substância que não é digerida pelo organismo humano, os galactooligossacarídeos, e pode trazer benefícios à saúde foi desenvolvida no Laboratório de Bioaromas, da Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A nova fórmula feita apenas em laboratório ainda será testada em camundongos para depois chegar aos humanos.

O estudo foi apresentado em forma de dissertação de mestrado por Rosângela dos Santos e orientado pela professora da FEA Gláucia Pastore. A pesquisadora chegou ao novo tipo de açúcar, que foi desenvolvido em forma de xarope, a partir de manipulações realizadas com o fungo Scopulariopsis, extraído há mais de 20 anos em solos de diferentes regiões do país.

“Descobrirmos que o Scopulariopsis produz a enzima beta-galactosidase que, por sua vez, produz os galactooligossacarídeos, que são carboidratos que não sofrem digestão”, disse Rosângela à Agência FAPESP. A partir dessa constatação, a pesquisadora fez várias simulações em laboratório para verificar os efeitos do açúcar no organismo humano.

Segundo a pesquisadora, a grande vantagem da ingestão do açúcar com os galactooligossacarídeos é o estímulo à proliferação das Bifidobactérias e Lactobacillus no trato intestinal. Entre outras coisas, esses microrganismos contribuem para a eliminação de bactérias maléficas ao ser humano, como a Escherichia coli e o Clostridium.

“Os galactooligossacarídeos combatem as substâncias putrefatas produzidas por determinadas bactérias. Isso contribui para a redução dos metabólicos tóxicos que podem desencadear algumas doenças como o câncer”, afirma Rosângela.

“Presentes no leite materno, os galactooligossacarídeos são reconhecidos mundialmente como alimentos funcionais. O que ainda não se sabia é que o fungo Scopulariopsis poderia gerar esses compostos”, explica a pesquisadora da FEA.

http://www.agencia.fapesp.br/boletim_dentro.php?id=6039


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos