Ginecologia/Mulher - Viagra facilita prazer sexual de mulheres na menopausa
Esta página já teve 132.442.391 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.709 acessos diários
home | entre em contato
 

Ginecologia/Mulher

Viagra facilita prazer sexual de mulheres na menopausa

24/09/2006

Mulheres que tomaram o comprimido tiveram um aumento considerável da circulação sanguínea na região do clitóris, o que facilita o prazer sexual feminino, como mostra estudo realizado na Faculdade de Medicina da USP

O citrato de sildenafila (princípio ativo de medicamentos como o viagra) pode ajudar mulheres na pós-menopausa a melhorar sua vida sexual. Uma pesquisa da Faculdade de Medicina da USP mostrou que aquelas que tomaram viagra por 15 dias tiveram um aumento da circulação sanguínea na região clitoridiana, o que facilita o prazer sexual feminino. As pacientes também relataram uma maior intensidade de orgasmos e maior sensibilidade do clitóris. A autora da tese de doutorado, a médica Ana Lúcia Cavalcanti, lembra, no entanto, que muitas variáveis estão envolvidas na sexualidade humana e que esse é apenas um dos aspectos.

O estudo selecionou 22 mulheres na pós-menopausa, de 45 a 59 anos, com média etária de 52 anos, que não tomavam nenhuma medicação e sem nenhum problema de saúde. Assim, pôde isolar outros fatores que pudessem interferir nos resultados. Todas elas tinham alguma disfunção orgástica, apresentando um prazer menor, mais lento ou a ausência dele.

A pesquisa
Num primeiro momento, Ana Lúcia avaliou todas as pacientes com Doppler (espécie de ultra-som que mostra também a circulação nos vasos sanguíneos). Após o exame, elas tomaram um comprimido de viagra e, entre 30 minutos e uma hora depois - quando o efeito do remédio, que dura cerca de quatro horas, atinge seu pico - realizaram um novo Doppler. As mulheres foram, então, orientadas a tomar um comprimido do remédio por dia, uma hora antes de ter relações, durante quinze dias. Após esse período foi feita uma nova avaliação por Doppler.

Os exames mostraram que houve um aumento considerável do fluxo sanguíneo na região clitoridiana. Ana Lúcia explica que o pênis e o clitóris são órgãos anatomicamente semelhantes em vários aspectos. Em ambos a excitação causa uma irrigação sangüínea e, nas mulheres, lubrificação vaginal. "Na pós-menopausa os vasos estão mais velhos, a elasticidade é menor e há diminuição do fluxo sangüíneo. O viagra atua como um vasodilatador, compensando esses problemas", diz.

A pesquisa, realizada com o chamado duplo-placebo , em que tanto a pesquisadora quanto as pacientes não sabem quem toma ou não placebo (medicamento sem o princípio ativo), mostrou resultados estatisticamente significativos. Apesar disso, o grupo que tomou medicamento placebo também teve uma melhora, "o que significa que há outras questões, psicológicas e sociais, envolvidas", lembra a médica. Além da avaliação por Doppler, as pacientes responderam a questionários, onde confirmaram uma melhora em sua vida sexual. Elas também relataram um aumento da sensibilidade clitoridiana, lubrificação vaginal, além da intensidade do orgasmo.

Sexualidade
Ana Lúcia sugere a prescrição do medicamento para pacientes com problemas nessa área, mas enfatiza que esse tipo de disfunção nunca é apenas anatômico. "Essas mulheres já tinham dificuldades sexuais quando eram mais novas", diz. Segundo a pesquisadora, muitas das pacientes vinculavam a menopausa ao fim do desejo.

Um dos motivos para pesquisar o tema, de acordo com a médica, foi o fato de que a sexualidade feminina é pouco estudada, até por ser mais difícil de analisar e por envolver mais variáveis. "As mulheres na pós-menopausa, especificamente, recebem menos atenção ainda do que as que estão em idade reprodutiva."

Ana Lucia lembra que mulheres mais jovens, em qualquer idade da pré-menopausa, e pacientes que utilizam drogas psiquiátricas, que diminuem a libido, também podem ser beneficiadas pelo medicamento. O importante, segundo ela, é que o profissional saiba diferenciar as pacientes ao ouvi-las sobre sexo, levando em conta os referenciais culturais e sociais de cada uma.

As contra-indicações e os efeitos colaterais do remédio são os mesmos que os verificados para os homens. Pessoas com problemas cardíacos, que tomam remédios como os nitratos, não devem ingerir o viagra ou outros medicamentos similares. Pacientes sensíveis a algum componente do medicamento também não devem utilizá-lo. Algumas das mulheres que participaram do estudo relataram, como efeitos colaterais, dores de cabeça e nos membros inferiores e visão dupla.

http://www.usp.br/agen/repgs/2006/pags/191.htm


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos