Ginecologia/Mulher -
Esta página já teve 132.445.040 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.705 acessos diários
home | entre em contato
 

Ginecologia/Mulher

Estados hiperprolactinêmicos – inter-relações com o psiquismo

13/03/2007

 

 

 

ELIANA AGUIAR PETRI NAHAS1
JORGE NAHÁS-NETO1
ANAGLÓRIA PONTES1
ROGÉRIO DIAS1
CÉSAR EDUARDO FERNANDES2



 

1 Disciplina de Ginecologia do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina
de Botucatu (Unesp).
2 Professor livre-docente e chefe da Clínica Ginecológica da Disciplina de Ginecologia e Obstetrícia da
Faculdade de Medicina do ABC.

Endereço para correspondência:

Eliana Aguiar Petri Nahas. Departamento de Ginecologia e Obstetrícia, Faculdade
de Medicina de Botucatu (Unesp), Rua Rubião Júnior, s/n – 18618-970 – Botucatu – SP. Tel.: (14)
3811-6227; Fax: (14) 3882-1933. E-mail: epetri@fmb.unesp.br


 

 Resumo


 

A hiperprolactinemia é o distúrbio endócrino mais freqüente do eixo hipotálamo-hipofisário, observado em mulheres na idade reprodutiva. Caracteriza-se pela elevação consistente dos valores plasmáticos de prolactina. A regulação da produção da prolactina dá-se por meio da ação inibitória de um neurotransmissor, a dopamina. As manifestações clínicas são distúrbios do ciclo menstrual, amenorréia, galactorréia, infertilidade e diminuição da libido. Entretanto, sintomas psicológicos, especialmente ansiedade e depressão, têm sido associados à hiperprolactinemia. Contudo, há poucos estudos clínicos publicados sobre o tema. O papel da prolactina na patogênese dos distúrbios psiquiátricos pode refletir ação direta sobre o sistema nervoso central, efeito indireto por meio dos hormônios gonadais ou
constituir fatores independentes, resultantes da depleção de dopamina. Assim, detectada a prevalência de distúrbios psiquiátricos em pacientes com hiperprolactinemia, conclui-se pela necessidade de maior número de pesquisas que investiguem as bases da possível inter-relação entre os estados hiperprolactinêmicos e o psiquismo.

Palavras-chaves: Hiperprolactinemia, psiquismo, dopamina.


 

 Abstract


 

Hyperprolactinemia is the most frequent endocrine disorder of the hypothalamus-hypophysis axis observed in women of reproductive age. It is characterized by elevated serum prolactin levels. Prolactin production is regulated by the inhibitory action of a neurotransmitter, dopamine. Clinical manifestations include irregular menstrual cycle, amenorrhea, galactorrhea, infertility and libido decrease, but psychological symptoms, especially anxiety and depression, have also been associated with hyperprolactinemia. Nonetheless, few studies about this condition are available. In the pathogenesis of psychiatric disorders, prolactin may have either a direct action on the central nerve system or an indirect effect via gonadal hormones or function as independent factors as a result of dopamine depletion. Thus, since the prevalence of psychiatric disorders in patients with hyperprolactinemia was detected, it was concluded that further studies are necessary to investigate the basis of a potential
relationship between both hyperprolactinemic and psychiatric conditions.

Key-words: Hyperprolactinemia, psychiatric disorders, dopamine.

 

http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista/vol33/n2/68.html


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos