-
Esta página já teve 133.045.308 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.670 acessos diários
home | entre em contato
 

Pediatria/Criança

Distribuição espacial do baixo peso ao nascer em Sergipe, Brasil, 1995/1998

23/10/2007

Cadernos de Saúde Pública

 

Cad. Saúde Pública v.21 n.5 Rio de Janeiro set./out. 2005

ARTIGO ARTICLE

 

Space distribution of low birth weight in Sergipe, Brazil, 1995/1998

 

 

Ricardo Queiroz GurgelI; Iane Martha Oliveira DiasI; Vera Lúcia Alves FrançaII; Daniel Francisco Neyra CastañedaIII

INúcleo de Pós-graduação em Medicina, Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, Brasil
IINúcleo de Pós-graduação em Geografia, Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, Brasil
IIIDepartamento de Estatística, Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, Brasil

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

O estudo analisa a distribuição espacial do baixo peso ao nascer em Sergipe, Brasil, avaliando o evento como indicador de saúde. A análise foi feita a partir de 166.312 nascimentos vivos dos 75 municípios, numa abordagem ecológica. Foram utilizados quatro métodos: clusters analysis, análise de correlação, análise de regressão múltipla e multiple comparisons (Tukey). O estudo evidencia homogeneidade interna dos municípios nos distritos de saúde e nos grupos resultantes do dendrograma. Considerando 10,00% de perda de informação, identifica-se a presença de sete grupos, sendo dois resíduos (Aracaju e Porto da Folha). A evolução do baixo peso ao nascer, em Sergipe, é declinante (média de 6,97% no período) e reflete tímida melhoria da qualidade de vida. As suas causas indicam relações com o ambiente e são influenciadas pelos padrões de ocupação do espaço. O percentual do baixo peso ao nascer é útil como indicador de risco individual, porém, como indicador coletivo de saúde, não parece ser capaz de expressar diferenças entre regiões que não apresentam variabilidade acentuada entre si.

Distribuição Espacial; Baixo Peso ao Nascer; Eqüidade


ABSTRACT

This study analyzes the spatial distribution of low birth weight (LBW) in the State of Sergipe, Brazil, evaluating the event as a health indicator. The analysis was based on 166,312 live births in the 75 municipalities in the State, using an ecological approach. Four methods were used: cluster analysis, correlation analysis, multiple regression analysis, and multiple comparisons (Tukey). The study shows internal homogeneity in the municipalities' health districts and in the groups resulting from the cluster analysis. Considering a 10% loss of information, seven groups were identified, two of which were residues (Aracaju and Porto da Folha). There is a downward trend in LBW in Sergipe (with a mean of 6.97% during the period), reflecting a slight improvement in quality of life. The causes suggest relations with the environment and are influenced by spatial occupation patterns. The percentage of LBW is a useful indicator of individual risk, but as a collective health indicator it does not appear capable of expressing differences between regions that do not display strong inter-variability.

Spatial Distribution; Low Birth Weight; Equity

 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2005000500004&lng=pt&nrm=iso

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos