-
Esta página já teve 134.542.793 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.673 acessos diários
home | entre em contato
 

Câncer/Oncologia/Tumor

Expressão das proteínas BCL-2 e BAX em tumores astrocíticos humanos.

05/12/2007

Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial

 

Resumo

FARIA, Mário Henrique Girão, PATROCINIO, Régia Maria do Socorro Vidal do, MORAES FILHO, Manoel Odorico de et al J. Bras. Patol. Med. Lab., ago. 2006, vol.42, no.4, p.271-278. ISSN 1676-2444.

INTRODUÇÃO: Os astrocitomas constituem os mais freqüentes tumores primários do sistema nervoso central (SNC). Admite-se que parte do crescimento tumoral seja resultante da inibição da morte celular programada: a apoptose. Tal fenômeno é basicamente regulado pelo equilíbrio entre moléculas antiapoptóticas (ex.: B-cell lymphoma protein 2 [BCL-2]) e pró-apoptóticas (ex.: BCL-2 associated protein X [BAX]). OBJETIVO: O presente estudo objetivou avaliar a expressão de BCL-2 e BAX em tumores astrocíticos humanos. MATERIAL E MÉTODOS: Procedeu-se ao estudo imuno-histoquímico dessas proteínas utilizando-se o método da avidina-biotina-peroxidase em 55 astrocitomas (13 do grau I, 14 do II, sete do III e 21 do grau IV) e cinco amostras de tecido cerebral não-tumoral (grupo controle). RESULTADOS: Os índices de positividade para BCL-2 e BAX demonstraram propensão ao acréscimo, de acordo com a gradação tumoral, com positividade geral de 43,26% e 24,67%, respectivamente. Essas proteínas não foram detectadas entre os espécimes não-tumorais. Os escores de marcação para BCL-2 apresentaram tendência ao aumento conforme a progressão histológica, enquanto os para BAX mostraram-se semelhantes nas diversas graduações. A análise conjunta dessas proteínas demonstrou significativa correlação com a gradação tumoral (p < 0,05; teste H), sendo mais evidente nos glioblastomas (grau IV) em comparação com os astrocitomas de baixo grau (I e II) (p < 0,05; teste U). A relação BCL-2/BAX indicou o aumento da orientação à sobrevida celular dos tumores astrocíticos de acordo com a progressão maligna. CONCLUSÕES: Tais resultados indicam as alterações na expressão das proteínas BCL-2 e BAX como resultantes do processo tumorigênico nos astrocitomas, com o crescente predomínio do perfil antiapoptótico de acordo com a transformação maligna. Nesse sentido, sugere-se que a superexpressão de BCL-2 nos tumores astrocíticos possa ser indicativa de fenótipos mais agressivos, configurando ainda um potencial alvo terapêutico.

Palavras-chave : Astrocitomas; BCL-2; BAX; Apoptose; Imuno-histoquímica.

        · resumo em inglês     · texto em português     · pdf em português

 

 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1676-24442006000400008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos