-
Esta página já teve 134.683.598 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.667 acessos diários
home | entre em contato
 

Câncer/Oncologia/Tumor

Estudo clínico-patológico, da proliferação celular e da apoptose no adenocarcinoma gástrico da cárdia

06/12/2007

Arquivos de Gastroenterologia

 

Resumo

MADER, Ana Maria Amaral Antonio, PATRICIO, Francy Reis da Silva, RIGUEIRO, Moacyr Pezati et al. . Arq. Gastroenterol., jul./set. 2006, vol.43, no.3, p.184-190. ISSN 0004-2803.

RACIONAL/OBJETIVO: Em vista do aumento na incidência do carcinoma da cárdia nos últimos anos, este trabalho visa estudar os aspectos clínico-patológicos, da proliferação celular e da apoptose tumorais, suas correlações e eventuais influências no seu prognóstico. MATERIAL E MÉTODO: Estudaram-se 40 doentes submetidos a gastrectomia total por carcinoma da cárdia, no período de 1988 a 2001, com seguimento clínico de no mínimo 3 anos. Excluíram-se aqueles com tratamento químio ou radioterápico prévio, neoplasia precoce, óbito no intra-operatório ou por outras causas não relacionadas ao câncer. Analisou-se sexo, idade, tipo histológico de Laurén, padrão de crescimento tumoral de Ming, estádio e presença ou ausência de metaplasia intestinal e/ou Helicobacter pylori na mucosa adjacente. O índice apoptótico foi avaliado por cortes histológicos corados pela hematoxilina-eosina. O índice de proliferação celular foi avaliado por meio da imunoexpressão ao PCNA, sendo a técnica imunoistoquímica utilizada a da estreptoavidina-biotina-peroxidase. Para análise da sobrevida, excluíram-se os casos com metástase à distância ao diagnóstico. Foram utilizados testes t de Student, de Mann-Whitney, curvas de Kaplan-Meier e modelo de regressão de Cox. O nível de significância adotado foi menor de 0,05. RESULTADOS: A idade média foi de 61 anos (mediana: 63); houve predomínio do sexo masculino (72,5%), tipo histológico difuso (55%) e infiltrativo (72,5%) e de estádios mais avançados (III e IV: 67,5%). Não houve associação com metaplasia intestinal e/ou H. pylori. O índice apoptótico médio foi de 7,05 em 10 campos consecutivos de grande aumento e de 11,40 em 500 células (2,28%). A positividade média ao PCNA foi de 275,05 células em 10 campos consecutivos de grande aumento e de 409,33 em 500 células (81,9%). Houve correlação positiva do tipo histológico intestinal com PCNA e com a apoptose em 10 campos consecutivos de grande aumento. Houve correlação positiva entre a apoptose e PCNA tumorais. A sobrevida média foi de 28,41 meses. A idade (acima de 63) e o índice apoptótico (acima de 7,05), em análise multivariada, mostraram correlação negativa com a sobrevida. CONCLUSÕES: O adenocarcinoma da cárdia ocorreu mais nos indivíduos do sexo masculino, com idade média de 61 anos, com predomínio do tipo difuso e estádios mais avançados. A sobrevivência ainda é baixa. Houve correlação positiva entre a apoptose e proliferação celular tumoral. Tanto a idade como a apoptose foram fatores prognósticos independentes no câncer da cárdia.

Palavras-chave : Proliferação celular; Apoptose; Cárdia; Neoplasias gástricas; Adenocarcinoma.

        · resumo em inglês     · texto em português     · pdf em português

 

 

 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0004-28032006000300006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos